quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Tri-campeão do quase… (Por Joker)





Diz o Tarzan convicto, qu'o menino não bate em ninguém!?
Que não merece, por isso, sequer um amarelo, por aí além
S'a escola é a mesma do Maxi, porquê questionar o método?
Até a'osso é tudo praxis, deixem estudar o André, com denodo!

E aos quatro foras-de-jogo, à vez, se vence sem espinhas!!!
Aos dois a juntar ao outro engodo, registo de bandeirinhas
Que se deixam confundir c'o azul,c'oa estratégia deambulante
Ficam c'os olhos com'ós de Seúl, e tudo vêem em flagrante!!!

Só se não for de vermelho, porque aí impera o amarelo
Como determina o Conselho, nas vésperas do "atropelo"
Nomeando o bom do Duarte, para os jogos da antevisão
Numa garantia à la carte, pró glorioso ser o campeão!!!

Tudo estratégias escolhidas, por quem tem de cumprir mandato
Prometendo vitórias sucessivas, tri-campeonatos no imediato
Mais uma dos campeões europeus, a somar aos três em quatro
Numa equipa de repelões, que costuma quebrar de barato...

Por isso é só aguardar, mesmo no seio desta impunidade
Este mês está pronto a chegar, vem aí o S.L. e Saudade
Uma invenção deste Jesus, que no burgo se permite disto
Uma equipa que lhe faz jus, uma perdedora por registo!

E se não fosse a pouca-vergonha, já na luz se tinham finado
Mesmo com tudo, e tod'a peçonha, lá se ficaram p'lo empatado
Preso por arames d'arbitragem, assim se mantém o moribundo
Até ao novo jogo sem ladroagem, donde sairá à tona o furibundo!

E aí a culpa será do apito, daquele desgraçado equidistante
Nunca mais apitará, o proscrito, jogos daquele clube gigante
Nem que seja o melhor do mundo, qu'isso no burgo não conta
Este é o reino do infecundo, só prevalece quem não o afronta!




Por: Joker
Enviar um comentário
>