domingo, 17 de fevereiro de 2013

Segunda Liga: FC Porto B 4 - 0 V. Guimarães B (Crónica)








Depois do empate em Belém o FC Porto B apresentava-se de novo perante o seu público, em Pedroso, numa tarde gelada e fria, perante um Vitória de Guimarães B que ao longo do campeonato tem visto a sua equipa B enfraquecida pelo sucessivo aproveitar da equipa A (face a dificuldades económicas) dos seus atletas.






O FC Porto partia para este jogo como favorito e em crescendo ao longo do campeonato, ao contrário do Vitória que já não ganhava à nove jogos, ainda para mais reforçado para este jogo com Fabiano e Abdoulaye. 

Ainda assim o primeiro remate da partida seria do Vitória por parte de Josué aos 5m para defesa fácil de Fabiano. Se o Vitória já tem um plantel curto e enfraquecido aos 6m veria Káká ser substituído por Luís Rocha por indisposição.

O primeiro sinal de perigo para o FC Porto viria por intermédio de Kelvin aos 12m, após combinação com Diogo, com o remate descaído da direita a sair à figura do guarda redes Vitoriano Assis. Era um F C Porto de posse no primeiro quarto de hora a tentar encontrar espaços na intermediária contrária, mas com um futebol excessivamente lento e denunciado a não ser quando Kelvin era solicitado no flanco direito do ataque Portista.

Aos 18 minutos após erro monumental de Touré o FC Porto B inauguraria o marcador por  intermédio de Dellatorre, estava feito o primeiro golo com direito a brinde por parte da defensiva Vitoriana.

Não demoraria muito o 2-0, vinte minutos de jogo de novo o FC Porto com Tozé sobre a esquerda do seu ataque a dar um nós cego a Zaza dentro da área vimaranense, deixando o defesa aos papeis e com este a cometer grande penalidade, magia de Tozé, penalti convertido por Abdoulaye (a marcar de novo à turma de Guimarães) estava feito o 2-0 para a turma Azul e Branca.

O Vitória tentava reagir e após perda de bola de Pedro Moreira a meio campo acercava-se com perigo da baliza de Fabiano aos 28 minutos mas com a defesa portista, nomeadamente Zé António, a resolver bem o lance. 

Era uma reacção ténue da equipa forasteira mas o jogo estava controlado pela turma da casa, com Kelvin responder e num malabarismo sobre um defesa contrário a propiciar boa defesa ao guarda-redes Assis.

Estava cumprida a primeira meia hora de jogo, num jogo em que a turma da casa tirava partido da vantagem do marcador e jogava o quanto baste, consentido até um aparente domínio da turma a vimaranense a espaços e apostando ora no passe curto ora em transições rápidas procurando o abre-latas Kelvin especialmente sobre a direita embora com Quiño também muitas vezes a aparecer solto sobre a esquerda do nosso ataque.

Chegaria-se ao intervalo, de uma primeira metade onde só daria Porto, não antes de  Tozé os 38 minutos após solicitação de Dellatorre rematar à malha lateral e Seri isolado aos 45m após tabela com Edú a rematar por cima. Era o canto do cisne da primeira metade, de um jogo calmo, lento e frio como o tempo.

Para a segunda metade o FC Porto entraria com a novidade Sebá no lugar de kelvin, uma substituição talvez para dar ritmo a Sebá e para poupar Kelvin para qualquer eventualidade na terça-feira.

Era uma segunda parte com mais do mesmo, com o FC Porto a controlar o jogo, consentido até a espaços a posse de bola à turma adversária e com isso a pressionar alto a turma de Guimarães tentando rapidamente a posse de bola, como consequência dessa pressão o FC porto ganhava aos 47 minutos um livre que seria marcado por Diogo Mateus com boa defesa de Assis para canto, canto esse que nada viria a dar.

Nova oportunidade para a turma da casa surgiria aos 60 minutos, após canto de Tozé, Edú na ressaca a rematar para as nuvens.

Chegava-se aos 70m da segunda parte com poucas oportunidades de jogo, com o meio-campo dos Azuis e  Brancos a trabalhar bem (Seri em destaque) mas sem construir reais oportunidades de golo junto à baliza adversária. Nova oportunidade só chegaria aos 75m por intermédio do inevitavel Seri mas com este a bailar na frente dos defesas contrários mas a rematar ao lado.

Era a amostra, minuto seguinte e Sebá recupera a bola, arranca em direcção a baliza contraria com toda a potencia, remata cruzado e estava feito o terceiro, bom golo de Sebá, com Vítor Pereira na bancada a gostar da iniciativa do jovem que tem treinado com a equipa principal, era o primeiro golo de Sebá nesta Segunda Liga.

Aos 82m mais um golo, Tozé trabalha bem, cruza para Fábio Martins com ente na primeira vez que tocava na bola a fazer o 4-0, jogada simples e bonita da jovem turma Azul e Branca que materializava no quarto golo o seu quadragésimo segundo ataque na partida!

Nova oportunidade surgiria aos 89m , trocariam-se os intervenientes, desta feita seria Fábio Martins a servir Tozé para uma excelente defesa a negar o golo a Tozé, golo esse que seria amplamente merecido.

Estava resolvido o jogo e a vitória conquistada, num jogo de calma e tranquilidade da turma Azul e Branca, para isso muito contribuiram os golos cedo, que permitiram abordar o restante tempo de jogo sem a pressão de ir atrás do resultado. É um FC Porto B diferente este desde o início do campeonato (somando com este o décimo jogo consecutivo a marcar golos), é uma equipa mais confiante e tranquila, mesmo que este vitória seja um adversário teoricamente dos mais fáceis dentro dos jogos que faltam disputar, a abordagem aos últimos jogos já nos mostra uma equipa mais madura e confiante do que aquela que iniciou o campeonato de forma periclitante.


Análises Individuais:

Fabiano - Sem trabalho de maior perante um ataque quase inexistente da turma visitante, fica na retina aos 45m da primeira parte um lance através de um cante em que devia e podia ter feito melhor, tirando esse lance nada a apontar.

Diogo - Ganhou o lugar a David e demonstrou grande facilidade no apoio ao ataque onde por norma cria desequilíbrios, não tão bem a defender, mormente na primeira parte deu demasiados espaços à turma Vitoriana nas suas costas.

Quiño - Continua errático a defender, precisa cobrir melhor as suas costas, uma casa constrói-se pelos alicerces, a atacar é muito forte, dando imensa profundidade e poder de desequilíbrio.

Zé António - O Ataque contrário apenas se fez notar em lances de bola parada, aí resolveu o que tinha a resolver, ainda apareceu no ataque como é seu timbre a tentar o golo da praxe.

Abdoulaye - À imagem do seu colega de sector, sem trabalho extra para resolver, fez o gosto ao pé de penalti marcando o 1-0. 

Pedro Moreira - Formiguinha de meio-campo, não se fez notar tanto como em outros jogos mas não sabe jogar mal, pautou o seu jogo pelo lavor e por conferir equilíbrio a meio-campo.

Edú - "Sopinha sem sal", pouco em jogo, nada arrisca, joga sempre na mesma velocidade e no passe curto e para o companheiro mais próximo.

Tozé - Não foi decisivo como em jogos anteriores mas nem por isso passou pelo jogo sem deixar a sua marca de qualidade, boas jogadas de elevado quilate individual e assistência para o golo de Fábio Martins aos 82m. Merecia o Golo que Assis lhe negou.

Seri - Um diamante a ser lapidado na oficina de Pedroso. O Essien do Dragão é tecnicamente evoluído, joga simples e prático, está em todo lado no meio-campo Portista, omnipresente no jogo de ataque, preciosa ajuda a fechar os espaços. Que jogador!

Kelvin - Um quebra-cabeças na primeira metade do encontro, sempre que a equipa procurava acelerar era Kelvin que procurava no flanco direito, sai ao intervalo quiça para precaver qualquer eventualidade para Terça-feira.

Dellatorre - Oportuno e "rato" no primeiro golo, um jogo de excelentes pormenores a demonstrar que merece também ele uma oportunidade na equipa principal.


Sebá - Estava-se a mostrar algo trapalhão na partida e eis que aos 76 minutos de jogo tira um coelho da cartola, rouba a bola a um adversário e numa jogada um tanto a imagem do saudoso Hulk concretizaria o 3-0.

Mikel - Deu robustez e frescura ao meio-campo.

Fábio Martins - Primeira vez que toca na bola e golo! Mérito de aparecer no sítio certo para dar sequência ao bom trabalho de Tozé na esquerda. teria ainda uma excelente iniciativa a assistir Tozé mas Assis negaria o golo.


Ficha FC Porto B:

FC Porto: Fabiano, Diogo, Quiño, Zé António e Abdoulaye; Pedro Moreira, Edú, Tozé e Seri (Mikel  aos 79m); Kelvin (Sebá aos 45m) e Dellatorre (Fábio Martins aos 79m).





Por: Rabah Madjer
Enviar um comentário
>