quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

AA Espinho 2 - 12 FC Porto - Treino com sabor a vingança.



O FC Porto visitou e derrotou o Espinho por larga margem continuando assim a 1 ponto do líder e a depender exclusivamente de si para ser campeão.

Com o jogo do ano passado bem presente na memória, pese embora a certeza que tal não voltaria a suceder (o Espinho este ano é das piores equipas do campeonato e deve descer), os nossos atletas entraram em campo dispostos a resolver cedo. Conseguiram-no e de que maneira!!




Perante um pavilhão muito bem composto o FC Porto dominou em toda a linha. Golos nesta 1ª parte foram 7, podiam ter sido mais, tamanha é a diferença de ritmo, qualidade técnica e até de patinagem. Perigo para a nossa baliza, só em jogadas rápidas e individuais, o que num piso duro como aquele não é fácil resultar. Quase desde o início em vantagem a história desta etapa inicial resume-se ao avolumar de golos portistas. E marcaram Pedro Moreira, Jorge Silva por duas vezes e o inevitável Reinaldo Ventura seguidos por Hélder Nunes e Vitor Hugo (este com 2 golos). Toda a equipa rodou tal como tinha acontecido no último jogo. 




Na 2ª parte já sabíamos que o jogo estava ganho e colocámos em ringue o ritmo que mais nos interessava. Mas a diferença de qualidade é tanta que em pouco mais de 5 minutos fizemos mais 3 golos. Tiago Losna bisou, o primeiro num remate cruzado e segundo num desvio oportuno à boca da baliza. O outro foi marcado por Caio (de regresso ao campeonato e aos golos) numa jogada sua de contra-ataque.

Na altura a vantagem era de 10 golos e não surpreendia. Se já jogávamos sem pressão, ainda mais abrandamos. O Espinho tinha aí a sua oportunidade de se estrear no marcador. Aproveitou e fez os seus 2 golos num curto espaço de tempo. Era altura de Tó Neves mexer e fê-lo quase totalmente, só o guarda-redes se manteve. Reinaldo foi um dos que entrou e marcou logo a seguir.

Permitam-me agora descrever o lance que se seguiu à nossa 9ª falta como reconhecimento do talento do Nélson Filipe que alinhou na 2ª parte. É apenas um exemplo, já tivemos vários... Tem como concorrente/colega de posto um dos melhores do mundo por isso nem sempre tem muitos minutos de jogo. Mas tem uma qualidade indesmentivel, estamos sempre bem servidos e chegou a altura de o destacar. Vamos então ao lance: Vitor Hugo faz falta e leva azul (exagerado). Na marcação do livre o jogador do Espinho tenta fintar o Nelson. Não consegue sequer rematar, foi desarmado. Recupera a bola e volta a tentar passar pelo nosso guardião. E de novo, nem rematar consegue, é novamente desarmado... Isto é classe... 

E para terminar a goleada, Ricardo Barreiros marcou, numa altura em que ambos os conjuntos estavam com menos um jogador.

Foi um grande jogo da nossa equipa, sem qualquer dificuldade.Segue-se a recepção ao Limianos e espera-se nova vitória.

Arbitragem a complicar um dos jogos mais fáceis que podiam ter. Dificuldade em perceber o critério. O Espinho terminou a 1ª parte com duas faltas, quase inédito com estas regras e injusto diga-se. Na 2ª parte um penalti para o nosso adversário a 3 minutos do fim só foi marcado à 3ª tentativa. 

Equipa e marcadores:

Equipa inicial: Edo Bosch (gr), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (2), Ricardo Barreiros (1) e Jorge Silva (2)
Jogaram ainda: Nélson Filipe (gr), Caio (1), Tiago Santos (2), Vítor Hugo (2) e Hélder Nunes (1)


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>