domingo, 24 de fevereiro de 2013

ABC 20 - 28 FC Porto - Mais um passo rumo à inédita dobradinha








O FC Porto visitou e ganhou no sempre dificil campo do ABC, garantindo desta forma a presença na final-four da Taça de Portugal que se realizará no inicio de Junho em Tavira. A disputar este titulo com os nossos tetracampeões estarão o Águas Santas, o Sporting e o benfica. 




Num jogo que se previa equilibrado, o inicio foi de facto como esperado. A um golo nosso, o ABC respondia na mesma moeda. Os empates eram constantes (1-1, 2-2, 4-4, 5 -5). A nossa defesa apresentava-se concentrada, defendia agressivamente (umas vezes em 5-1 outras mesmo em 6-0). O ABC mesmo nesta fase tinha dificuldades em conseguir boas situações para rematar. Alguma sorte e mérito também permitiam à equipa bracarense manter-se na luta. 

Aos poucos e através dessa defesa agressiva e de rápidos contra-ataques (afinal um dos pontos fortes) a meio da 1ª parte íamos conseguindo mostrar a nossa superioridade, procurando sobretudo as finalizações de Ricardo Moreira. Quando não conseguíamos arrancar através do contra-ataque, o nosso ataque posicional ia mostrando igualmente provas de competência, principalmente com boas acções do nosso pivot e de Spínola que esteve acertado nesta fase.

A vantagem que até ali nunca foi superior a 2 golos no inicio, era agora de 4, 5 golos. Brilhantes os nossos atletas nesta 2ª metade da etapa inicial, ao seu melhor nível. Ao intervalo o marcador mostrava 9 - 14. 

O resultado ao intervalo era excelente mas a equipa bracarense não baixou os braços. Entrou muito bem depois do intervalo e beneficiando de uma série de exclusões nossas (chegamos a ter apenas 4 jogadores de campo a determinado momento e Elias António atingiu mesmo o limite de exclusões), conseguiu fazer um parcial de 3 -0 e encurtar a distância para apenas 2 golos. Soou então o alarme. Obradovic e os seus atltetas, como sempre nos habituaram, cerraram os dentes perante as adversidades e uniram-se ainda mais.

A esse parcial desfavoravel respondemos depois com igual score (4 -1). Estava reposta a vantagem confortável e a vitória estava cada vez mais perto. Os tetra campeões sentiam-no e o ABC mostrava-se impotente para quebrar a defesa montada pelo nosso treinador cometendo muito erros técnicos. A diferença de 8 golos no final mostrou isso mesmo.

Destaques individuais para Ricardo Moreira, excelente a finalizar os muitos contra-ataque, Wilson Davies muito constante durante todo o jogo e Spínola de mão quente no nosso melhor período.


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>