sábado, 16 de fevereiro de 2013

FC Porto 6 - 6 Amatori Lodi (Por Paulinho Santos)

Deixar adormecer e terminar em sobressalto

O FC Porto recebeu os italianos do Lodi nesta 5ª jornada da Liga Europeia tendo empatado a 6 golos. Com a nossa equipa já apurada para a fase seguinte este jogo era para cumprir calendário.




Após 7 meses de castigo Caio voltou a estar disponivel e Tó Neves não hesitou a colocá-lo no 5 inicial. Foi uma equipa titular diferente da habitual. Além do já referido Caio, começaram também Nélson Filipe e Hélder Nunes. Com um inicioem que a nossa equipa ia gerindo da forma que mais lhe convinha o ritmo de jogo e dominando o ataque italiano os primeiros 10 minutos foram muito mornos. A nós não nos interessava um ritmo alto e os italianos não conseguiam criar muito perigo. O primeiro safanão no jogo foi dado pelo nosso craque mais novo. E que safanão! Após ultrapassar um adversário, Hélder Nunes finalizou com um remate cruzado ao ângulo superior da baliza. Bom golo.



Tó Neves entretanto ia aproveitando para mudar os 4 jogadores de campo, numa gestão de plantel bem pensada. E foi já com a rotação completa que surgiu o 2º golo, autoria de Reinaldo Ventura com um remate colocado. Por esta altura, mesmo sem forçar ao máximo, o dominio era nosso. Sem desconcentrações e sem permitir os contra-golpes italianos era expectável o avolumar do resultado. Nem mesmo o golo sofrido instantes depois alterou esse sentimento. Vitor Hugo (está numa fase goleadora), bem perto da baliza como gosta repôs a vantagem em 2 golos. E, caso algum dos cerca de 1000 espectadores não tenha visto este golo uns segundos depois tivemos uma espécie de repetição. Novo desvio em frente à baliza, novamente pelo mesmo interveniente e estava feito o 4 -1 com que chegaríamos ao intervalo.

A 2ª parte começou da melhor forma. Cometemos a 10ª falta, Nelson Filipe defende o respectivo lance e na jogada imediata fomos nós a termos direito a igual sanção. A diferença foi o resultado. O especialista Reinaldo marcou. De destacar o papel do hoje titular Nélson neste golo. Ele foi a diferença entre sofrer um golo de penalti e irmos para o ataque e marcarmos nós. O nosso conseguiu, o deles não... Sorte a nossa termos os guarda-redes assim. 

Estávamos no início da 2ª parte sim, mas o domínio era nosso, trocávamos bem a bola e estávamos por cima. Ninguém esperava o que se seguiu. Talvez fruto da certeza de apuramento e do resultado começamos a revelar lacunas que até então não se tinham notado. Sofremos o 5 -2 após uma perda de bola que o adversário aproveitou para sair rápido. O 5 - 3 numa situação do género. O 5 -4 de penalti a 10 minutos do final. Durante este período valeu-nos o acerto do Nelson e algumas boas jogadas defensivas. 

A diferença de apenas 1 golo teve o condão de "acordar" os nossos atletas. O empate foi uma infelicidade tremenda, após um ressalto. Pelo que mostravamos na altura foi injusto. faltavam 6 minutos e Hélder Nunes ainda conseguiu, através de penalti mostrar que queríamos a vitória. Mas eis que nova falha atacante nossa, permitiu, a 4 minutos do fim novo empate. 

Segue-se o jogo em Espinho, onde o ano passado escorregámos. Este ano não o faremos. Força campeões. 


Equipa e marcadores:

Treinador: Tó Neves


Cinco inicial: Nélson Filipe (gr), Hélder Nunes (2), Ricardo Barreiros, Caio e Jorge Silva

Jogaram ainda: Pedro Moreira, Tiago Santos, Vítor Hugo (2) e Reinaldo Ventura (2)


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>