terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Revista de Imprensa - 12 de Fevereiro 2013

Puxão de Cardozo a Proença em destaque nas capas desportivas

Os jornais desportivos desta terça-feira dão grande destaque ao incidente que marcou a 18.ª jornada do campeonato: o puxão de Cardozo a Pedro Proença, após ter sido expulso, no jogo entre Nacional e benfica


O Jogo:

Thumb resize.


- FC Porto «Jackson esmaga na votação para Figura da Liga, no inquérito OJogo/Eurosondagem - 

"O Melhor do Ano"; Nódoas são caso raro - penalti falhado com o Olhanense, foi apenas o segundo em toda a carreira; Pinto da Costa revisita arbitragem do clássico com o benfica - Nomeação de João Ferreira foi atentado»

- «Cardozo arrisca até quatro jogos, só pelo puxão na caminhada de Pedro Proença»
- «Couceiro se Figo falhar, terá o aval da banca para assumir candidatura»
- «António Salvador, Treinador fica até ao final do campeonato»

Record:

Thumb resize.


- FC Porto «Mangala perto da seleção francesa»


- «Isto vai sair-te caro, o que Proença disse a Cardozo depois do puxão na camisola»
- «Wolfswinkel de saída, processo de renovação do holandês estagnado»

A Bola:

Thumb resize.



- FC Porto «Atsu regressa da CAN para reforçar opções de ataque»

- «Isto vai sair-te caro, resposta a quente de Proença ao puxão de camisola de Cardozo»
- «Luis Figo, ainda mais pressionado»


Notícias sobre o FC Porto:

Pinto da Costa ainda sobre o clássico: 

«Nomeação de João Ferreira foi um atentado ao futebol»

O empate no clássico da Luz, diante do Benfica, ainda não saiu da cabeça de Pinto da Costa. O presidente dos azuis e brancos volta a trazer o tema à baila, considerando que a nomeação do árbitro João Ferreira foi um «atentado ao futebol».

«Contrariando os desejos até da Liga de Clubes, o FC Porto continua a mostrar que é a melhor equipa em Portugal e só não tem mais pontos porque as interferências extrafutebol não o permitem. (…) Do clássico da Luz, mais do que os foras de jogo mal assinalados e as expulsões perdoadas, que só podem surpreender quem não conhece os protagonistas, o que é um atentado ao futebol e à verdade desportiva foi a nomeação do único árbitro em que havia razões objetivas para deixar de fora», lê-se, na página habitual do presidente do FC Porto, na revista Dragões.

Criticando o que chamou «desejos da Liga», Pinto da Costa vai mais longe e explica o porquê de discordar com a nomeação do juiz de Setúbal: «Não é internacional, e o presidente da Comissão de Arbitragem sempre defendeu os melhores árbitros para os melhores jogos, só tinha arbitrado quatro jogos na Liga, foi quarto árbitro no célebre jogo do túnel, tendo tido papel fundamental na acusação aos jogadores do FC Porto; foi o árbitro escolhido pelo presidente do Benfica numa escuta em que de muitos nomes só o João ´pode ser´ Ferreira satisfez».

Por isso, e analisando todos estes dados, o líder dos azuis e brancos sente-se prejudicado e refere casos concretos: «Isto tudo além de ter um passado permissivo em relação ao cumprimento das leis de jogo, especialmente no que se refere a entradas violentas dos jogadores do Benfica, que mais uma vez se verificou. A entrada violenta de Maxi Pereira sobre João Moutinho foi a sétima falta do jogador, mas só aí viu amarelo».

Assim, e já quase em jeito de remate, Pinto da Costa também apontou o dedo a Mário Figueiredo, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, sublinhando o facto de a sua equipa lutar «contra estas armadilhas».

«No jogo com o Benfica, o único susto que tivemos foi quando vimos que a Liga nos tinha atribuído a derrota. Este triste episódio está de acordo com o comportamento do presidente da Liga, que esteve sempre junto dos responsáveis do visitado e não teve sequer a gentileza de cumprimentar ou saber se estava tudo bem com os responsáveis do nosso clube», criticou, recordando o lapso do media center do site da Liga, que durante alguns segundos colocou o Benfica como vitorioso.


Por: Cubillas

Enviar um comentário
>