terça-feira, 24 de junho de 2014

A lista “cara” de Lopetegui

 #FCPorto #Lopetegui #Espanha #Futebol #Oliver #Indi #Suso #Barcelona #LaMasia #BluePunisher

Tenho observado e refletido acerca das movimentações e notícias que têm vindo a público sobre a era “Julen Lopetegui” no FC Porto. Em particular, sobre as possíveis saídas e entradas no plantel de futebol sénior.








Vejo nomes como Camacho, Sergi Roberto, Moreno, Óliver Torres (aparentemente quase garantido), Morata, Tello, Suso, Rotman, Raúl Jiménez, Ibarbo, Bruno Indi, Nacho, e tantos outros ventilados pela comunicação social na sua grande maioria associados a grandes clubes espanhóis, e alguns relativos a clubes de menor expressão no país vizinho e de outros países europeus.








Questiono-me a ser verdade que estes nomes estão a ser ponderados, se a condição financeira atual do FC Porto permite considera-los como “alvos realistas”, haverá folga financeira para fazer contratações com este tipo de perfil? Especialmente jogadores oriundos dos grandes clubes de Espanha que terão elevados vencimentos e o seu passe custará algo que raramente o Clube está disposto ou capacitado em desembolsar.

Os últimos resultados financeiros divulgados pela FC Porto SAD são alarmantes, o prejuízo ascende os 30 milhões de euros, entretanto o Clube contraiu um novo empréstimo obrigacionista de 20 milhões de euros, e terá provavelmente recebido o valor relativo ao contrato com a nova marca que equipará as modalidades do Clube, a Warrior.

Entrou dinheiro fresco, e pelo que consta (não foi desmentido oficialmente pela FC Porto SAD), o Clube tem compromissos imediatos com a banca de 30 milhões de euros (a saldar já neste Verão) pelo que tem urgência na realização de mais-valias financeiras.

O contexto financeiro atual da FC Porto SAD obriga a vender novamente as “joias do plantel”, pelo que é mais que provável que os eleitos sejam Fernando, Mangala e Jackson, por aparentemente serem aqueles que mais mercado têm disponível.

O drama não são as vendas a que nos habituamos todos os anos, infelizmente o FC Porto é um clube vendedor e dificilmente consegue manter os seus melhores atletas quando estes começam a brilhar e a “piscar o olho a outros clubes com maior poderio económico”. O que poderá trazer problemas será caso nenhum dos pedidos que o atual treinador fez à FC Porto SAD conhecerem um desfecho positivo (especialmente aqueles atletas que ele considera essenciais para a construção da equipa que idealizou).

Será que Lopetegui compreende o contexto financeiro do clube, terão os dirigentes do FC Porto explicado e colocado o treinador ao corrente da realidade do Clube, para que este perceba “com que linhas se coserá”?

Se calhar não há razões para preocupação ou alarmismo, no entanto é pertinente questionar se realmente todos no Clube estão em sintonia e têm os pés bem assentes na terra, e assim serão evitados mal entendidos, desilusões, frustrações ou desgastes desnecessários.

Recordo-me aquando da passagem do técnico Co Adriaanse pelo FC Porto, quando este pediu com insistência o avançado Hesselink, que a direção não lhe fez a vontade, por não poder ou não querer. O treinador amuou e demonstrou em algumas conferências de imprensa uma atitude que caiu muito mal na direção Portista e até aos adeptos. O clima de rutura entre as partes envolvidas foi inevitável, felizmente para o FC Porto o holandês deixou um campeonato nacional como legado.

O que espero é que Julen Lopetegui consiga tirar o melhor rendimento do plantel que terá ao seu dispor em 2014/2015, e naturalmente tenha matéria-prima para poder construir uma equipa forte, competitiva, que pratique bom futebol e chame os adeptos de volta ao Estádio do Dragão (com as bancadas cada vez mais vazias nos últimos tempos), e incontornavelmente consiga qualificar a equipa para a Liga dos Campeões e ser campeão nacional. Considero o anterior o mínimo que deverá ser exigível ao novo técnico.

O fato de estar e decorrer o Mundial de Futebol no Brasil não permite uma definição clara de certas situações pelo que teremos de ter paciência e aguardar pelo desfecho da prova, e assim o FC Porto poderá “arrumar a casa em definitivo” e iniciar a preparação da nova época a “todo o gás”.



Por: BluePunisher
Enviar um comentário
>