domingo, 3 de fevereiro de 2013

Sporting 4 - 8 FC Porto - Segunda parte de sonho!!


Segunda  parte de sonho

O FC Porto visitou e venceu o rival Sporting por , após uma magnífica segunda parte, continuando assim a depender de si para reconquistar o título de campeão.





Com uma entrada atípica e intranquila, os Dragões entraram em campo praticamente em desvantagem, com um golo sofrido logo aos 3 minutos. A equipa mostrava-se intranquila e com dificuldades no processo ofensivo. Talvez por isso Tó Neves fez entrar cedo Vitor Hugo para tentar aproveitar o seu bom jogo interior. 




No entanto, mesmo com esta entrada e com um notório adiantamento da nossa defesa, continuavam as dificuldades em entrar na defensiva adversária. Com a agravante de concedermos espaço para contra-ataques que não tiveram maiores consequência devido ao brilhantismo de Edo. Foi um péssimo período da nossa equipa esta primeira metade da 1ª parte, com muitas precipitações e erros individuais.

Aos poucos a equipa foi-se reencontrando. Tivemos oportunidades para igualar mas o guarda-redes adversário ia adiando o golo portista. Já com o jogo mais estabilizado embora ainda incaracterístico, Reinaldo Ventura falhou um penalti e 2 minutos depois Ricardo Barreiros viu um golo anulado por levantar o stick. E já sabemos que quem não marca, arrisca-se a sofrer, contra a corrente do jogo sofremos o 2º golo. Até ao intervalo o jogo não mudou. A nossa equipa continuava a atacar mais mas falhava na última hora, que inclui um novo penalti falhado, este por Jorge Silva. 

Um pouco injusta esta desvantagem de 2 golos ao intervalo, mas de facto a equipa não esteve bem. Preocupante o facto de nos últimos 3 jogos termos sofrido golos cedo e termos praticamente entrado sempre a perder. 

A 2ª parte foi totalmente diferente, sobretudo os 10 minutos iniciais. Entramos a 100 à hora, agressivos e com vontade de mudar o resultado. Ricardo Barreiros ainda falhou um livre directo a punir a 10ª falta do adversário (nós já a tinhamos atingido no 1º tempo) antes da reviravolta. E bastou um minuto para o conseguirmos. Jorge Silva a marcar e Ricardo Barreiros segundos depois a igualar.

A igualdade não nos interessava e a equipa sabia-o. Continuou rápida e incisiva, dominando todos os parâmetros do jogo e ia avolumando oportunidades. Finalmente, numa jogada individual depois de passar por trás da baliza, Pedro Moreira lá conseguiu garantir a primeira vantagem para a equipa portista. Este golo teve o condão de baralhar a equipa adversária, o que aproveitámos sem qualquer receio. Ricardo Barreiros por duas vezes e Vitor Hugo ampliaram ainda mais a vantagem.

Foram 10 minutos de sonho dos nossos atletas. Um parcial de 6 - 0 neste período. Espetacular. Sentia-se que o jogo já não fugia.

Nem o 6- 3 momentâneo (penalti e azul para Barreiros) mudou essa ideia. Faltavam 10 minutos e já não nos expunhamos em demasia e era a nossa vez de aproveitar o espaço concedido pelo adiantamento da equipa adversária. Vitor Hugo voltou a marcar, após recuperar a bola e colocou de novo a vantagem em 4 golos (7 - 3). Em inferioridade numérica após novo azul ainda sofreríamos mais um golo. Mas, tal como se verificou antes, Vitor Hugo estava decidido a manter a diferença em 4 golos e completou o seu hat-trick e encerrou o marcador. 

Ainda teríamos direito a nova penalidade e, tal como as anteriores, falhamos. A rever estas falhas. Já não é a primeira vez esta época que tal sucede.

Destaques individuais para Hélder Nunes, importante a sua actuação no pior momento, Ricardo Barreiros e Vitor Hugo ambos com 3 golos marcados. Edo Bosch esteve ao seu nível, ou seja impressionante.

Arbitragem ao nível das anteriores.

Equipa e marcadores:

Treinador: Tó Neves
Equipa inicial: Edo Bosch (gr), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura, Ricardo Barreiros (3) e Jorge Silva (1)
Jogaram ainda: Vítor Hugo (3) e Hélder Nunes.



 Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>