sábado, 16 de fevereiro de 2013

Andebol: FC Porto 46 - 28 Sporting da Horta - Demasiado fácil.



O FC Porto recebeu e venceu com muita facilidade o Sporting da Horta em jogo da 21ª jornada e penúltima nesta fase, mantendo assim a liderança isolada. A diferença de 18 golos no final espelha a diferença de andamento e qualidade entre as equipas.








Com consciência de que seria uma questão de tempo até ganharmos vantagem, os tetracampeões entraram em campo com uma defesa menos agressiva do que habitualmente e a cometer alguns erros técnicos na saída do contra-ataque nada habituais em jogadores com a qualidade dos nossos. Talvez por isso a primeira vantagem tenha surgido apenas a meio da 1ª parte com o momentâneo 8 - 7. 




Este inicio serviu de aviso e a partir daí os espectadores presentes tiveram o privilégio de assistir a andebol que só a nossa equipa consegue proporcionar em Portugal

Quem conseguir rever o jogo aconselho a fazê-lo. Vimos de tudo, assistências de Wilson para finalização fantástica de Tiago Rocha aos 6 metros, golos de Spínola a concluir contra-ataques bem delineados até um daqueles remates do João Ferraz bem longe ainda dos 9 metros. Espetacular, divertido e eficaz

Tão eficaz que a 10 minutos do intervalo a vantagem era já de 6 golos (16-10). Bastou acelarar e defender como habitualmente.

Ao intervalo o resultado de 22 - 15 só nos dava certezas. Certeza que somos muito melhores, certeza que temos uma grande equipa, certeza que a jogar como sabemos é muito dificil ganharem-nos. A única incerteza era por quantos ganharíamos. Seria por 10 golos de diferença? 15? 

A 2ª parte iniciou-se da mesma forma que decorreu a segunda metade do primeiro tempo. Dominio avassalador dos atletas de Obradovic, defesa concentrada, ataques bem conseguidos e golos a surgirem uns atrás dos outros. Aos 5 minutos desta etapa atingimos pela 1ª vez uma vantagem de dois digitos. 5 minutos depois já era de 12/13 golos. 

E, como é já habitual nas partidas com muita diferença, os mais novos tiveram direito a muitos minutos. E como é também já habitual corresponderam. Não pertencendo ao grupo dos "benjamins" temos de destacar igualmente 2 jogadores. Daymaro Salina e João Ferraz estavam de mão quente, tudo que tentavam acertavam. prova disso são os números com que terminam. O cubano com 8 e o português com 7 golos marcados.

No final o marcador mostrava 46 golos marcados. Sem forçar demasiado, o que diz muito da diferença entre os conjuntos. 

Nota para a lesão de Hugo Laurentino no aquecimento. Não pareceu nada de grave, no intervalo ainda fez uns exercicios com o responsável médico, mas não chegou a entrar. Uma pequena curiosidade que diz muito do ambiente e vontade dos nossos atletas. Hugo Laurentino tinha vontade de entrar, não havia que forçar e a primeira atitude depois de se sentar no banco foi dar ânimo a Quintana. 

E finalmente umas palavras para a "claque" de palmo e meio que marcou presença. Não só atrás da baliza norte (possivelmente de uma escola) mas também meia dúzia de crianças que actuam no Dragon Force. Apoiaram sempre, cantaram e disfrutaram. Bons sinais para o andebol portista...


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>