sexta-feira, 12 de abril de 2013

Segunda Liga: Trofense 4 - 2 FC Porto B (Crónica de Prodígio)


Derrota inesperada no campo do 19º classificado.

Vion manteve-se no onze depois de uma exibição conseguida no último jogo, Caballero também foi aposta e Quino voltou à titularidade depois da lesão muscular que o afastou nos últimos jogos.

 




A equipa portista entrou mal no jogo, incapaz de se afirmar no meio campo (onde apenas Michael Seri aguentou o ritmo) e com uma defesa desconcentrada, apenas o ataque deu um ar da sua graça, com o sempre inconformado Vion a romper pela direita e boas combinações entre Tozé e Quino pela esquerda.






Surgiu assim com alguma naturalidade o golo do Trofense, num lance em que nenhum dos defesas portistas fica bem na fotografia. O Trofense mantém o controlo no meio campo até ao intervalo, contando ainda com um reforço inesperado que transformou um penalti óbvio sobre Tozé num cartão amarelo ao jogador do Porto B e não viu uma mão grosseira do jogador do Trofense na jogada do segundo golo. 

E assim se chegou ao intervalo. Era por esta altura urgente mexer no meio campo de forma a reclamar o controlo do jogo.

Rui Gomes eventualmente percebe essa necessidade. No entanto, corre um grande risco quando retira Mikel, entra Sérgio Oliveira e Michael Seri passa a ocupar a posição mais recuada no meio campo (sendo que Seri já tinha um amarelo).

A opção pela entrada de Sérgio Oliveira rapidamente se evidencia como a opção mais acertada. A capacidade técnica e a qualidade de passe do número 60 são evidentes no passe que isola Caballero no primeiro golo portista. O gesto técnico do avançado também é de realçar ao fazer um chapéu de primeira e colocado.

O Porto melhora, mas essa tendência é interrompida quando Michael Seri comete uma falta (desnecessária) e vê o segundo cartão amarelo. Ainda a equipa não se tinha recomposto quando Sérgio Oliveira comete penalti. Golo do Trofense e golpe muito duro nas ambições portistas.

No entanto, a formação portista não se rende. A entrada de Sebá e Dellatorre vêm dar mais presença e acutilância ao ataque portista. E é precisamente Dellatorre que marca após jogada de insistência. 

Até ao final do jogo, nota para uma boa atitude da equipa portista que teve oportunidades para chegar ao empate. No entanto, seria o Trofense que num contra ataque aproveitaria para fazer o 4-2 final.

É claramente um mau resultado, ficando a sensação que a equipa portista desperdiçou os primeiros 45 minutos de jogo. Nota negativa para a defesa, que esteve desastrada e para um meio campo que nunca foi eficiente na pressão e no corte.




Análise individual:

Stefanovic - Desastrado a jogar com os pés, quase oferecia um golo ao Trofense. De resto nada a apontar.

David Bruno - Não existiu do meio campo para a frente e do meio campo para trás fica a ideia que era melhor não ter existido... Muito mal posicionado, a dar as costas em múltiplas ocasiões e espaço para cruzamentos perigosos.

Tiago Ferreira - Jogo pouco concentrado do central portista. Mal posicionado, tem culpas directas nos 2 primeiros golos do Trofense.

Zé António - Hoje nem o sóbrio e competente central escapou aos erros. No entanto foi o melhor na linha defensiva.

Quino - Do meio campo para trás esteve mal, deu muito espaço e nunca teve um bom posicionamento. Do meio campo para a frente foi muito bom, belíssimas combinações com Tozé e Seri, cruzamentos com perigo e esteve perto de marcar já ao cair do pano.

Mikel - É um jogador com o raio de acção muito limitado. Limpa a sua zona, mas tem dificuldades nas compensações e sobretudo em criar jogo, em envolver-se no processo ofensivo.

Michael Seri - A expulsão (desnecessária) acaba por manchar aquilo que foi uma exibição muito positiva. O único jogador dos 3 médios que iniciaram o jogo com raio de acção alargado. Se moderar os ímpetos é um jogador para o futuro.

Edu - Apagado. Não defendeu bem, não ajudou no ataque, não pressionou. Surpreendente só mesmo o facto de não ter sido substituído.

Tozé - Joga sempre bem e este jogo não foi excepção. Um pequeno motor por aquele lado esquerdo, um poço de bom futebol.

Vion - Correu sempre contra a apatia. Foi refrescante ver as suas arrancadas pelo lado direito. Parece ter encontrado o seu lugar na faixa onde pode embalar melhor e usar a velocidade que tem.

Caballero - Muito melhor em relação ao último jogo. Mais solto, a combinar melhor com os colegas, bons movimentos e belo golo.

Sérgio Oliveira - O jogo melhorou imenso com a sua entrada. A capacidade de passe que tem é única nesta equipa: duas vezes a isolar Caballero e Quino. Para além disso acrescentou poder de fogo nos remates. A falta que dá origem ao penalti não mancha uma excelente exibição.

Sebá - Entrou bem com 3 arrancadas pelo lado esquerdo. 

Dellatorre - Um golo pleno de oportunidade. Bem ao seu jeito. Um PL vive de golos e este é para agarrar.



 Por: Prodígio 

Enviar um comentário
>