domingo, 7 de abril de 2013

FC Porto 11 - 3 Fisica - Na luta




O FC Porto recebeu e venceu com muita segurança a Fisica na 24ª jornada do campeonato. Continua a depender de si para festejar o campeonato.








Tal como é hábito quando jogámos em nossa casa, a equipa de Tó Neves entrou a tentar mandar no jogo, bastante pressionante mesmo em zonas altas e a procurar a melhor oportunidade para facturar. Quando conseguimos manter a concentração, este é um hóquei bonito e eficaz. 







Foi o que aconteceu neste jogo desde o inicio. Uma excelente atitude e a querer uma vantagem cedo no marcador, até porque ainda pesava nas lembranças o jogo em Torres Vedras.

Conseguimo-lo aos 7 minutos através de Jorge Silva. Reinaldo Ventura simulou um remate e assistiu para o tento inaugural. Um bom golo e que já era merecido.

Estava aberto o marcador e ainda nem um minuto depois já festejávamos novamente. Num desvio em frente à baliza, Ricardo Barreiros (MVP dos jogos na selecção no último torneio) aproveitou. Foi um golo típico na nossa equipa e que executamos na perfeição. Boa movimentação, procura do espaço interior e golo. 

E eis que, contra a corrente do jogo, no espaço de um minuto a vantagem que tanto fizéramos por a conquistar, esfumou-se em apenas uns segundos. E, se por vezes temos sofrido por desconcentrações momentâneas, este foi um exemplo. No 1º golo forasteiro permitimos uma recarga, no 2º não conseguimos pressionar o atacante de forma eficaz.

Sem problemas, tal como quase sempre, sabemos dar a resposta. Desta vez nem para se pensar em intranquilidade deu tempo. Num penalti, transformado em falta fora da área por um dos árbitros, Barreiros bisou. Um golo fantástico e revelador do bom trabalho que tem sido efectuado. Quando toda a gente esperava que fosse Reinaldo a rematar, a bola foi endossada para Ricardo Barreiros atirar.

Para quem não viu o 3º golo, os nossos jogadores trataram de o repetir com dose igual de brilhantismo. Nova falta, desta vez já se esperava que fosse novamente para Ricardo Barreiros e o passe segue direcção contrária para Hélder Nunes atirar ao ângulo. Grande golo!!!

Estava reposta a vantagem de 2 golos a 5 minutos do intervalo, mas Caio num forte remate de longe ainda tratou de alargar a vantagem. 

Foi com esta diferença de 3 golos com que chegamos ao intervalo. Destaque para a "nova" rotação imposta por Tó Neves neste últimos jogos. Se a meio de cada parte neste estilo de jogos era habitual a troca dos 4 jogadores de campo pelos 4 que iniciavam no banco nesta fase não aconteceu. 

Se a 1ª parte já tinha sido de dominio absoluto da nossa equipa, na 2ª parte ele foi ainda mais evidente.

Numa grande execução, Tiago Losna marcou logo nos primeiros minutos de picadinha. O 7º e 8º golos portistas surgiram de livres directos. Primeiro Hélder Nunes (grande exibição) depois Reinado Ventura.

Nota agora para um destaque negativo. Penalti (forçado) a punir falta sobre o meia leca Ricardo Pereira, que o próprio converteu. Perdia por 5 golos na altura, mas ainda arranjou tempo para festejar com uma provação às bancadas. Como se costuma dizer, imbecil uma vez, imbecil para sempre. E o que este meia leca aprendeu de imbecilidades e parvoíces nos anos que passou no regime ainda estão bem presentes. Resumindo, é um triste e sempre o será...

Voltemos ao importante, o jogo da nossa equipa continuava bom e eficaz. Num golo típico dele, Vítor Hugo marcou num desvio em frente à baliza. 

O hattrick de Barreiros surgiu a 5 minutos do fim. Um remate rasteiro indefensável só ao alcance de alguns. Está em grande forma o nosso melhor marcador...

E que melhor final que um golo do nosso capitão a fechar uma grande exibição? Pois bem, o grande Reinaldo fez isso e com um grande golo, com um tiro descaído do lado direito bem ao seu estilo. Final em beleza. 11- 3 e uma grande exibição.

Arbitragem com erros mas não foi das piores. 

No final, Tó Neves criticou duramente a Federação por nova convocatória para a selecção (desta vez de sub-20) de Hélder Nunes. Tem razão, o nosso benjamim esteve em Montreux com a selecção principal nesta última semana, não tem lógica passar nova semana fora. Mas que podemos esperar de uma federação como esta? Que podemos esperar de uma federação que nomeia novamente para dirigir o regime um árbitro que é pai de um atleta de lá? Que podemos esperar de uma federação que castiga com 3 jogos Edo Bosch por agressão e arquiva o castigo a Carlos Lopez por agressão a um jogador do Valongo que saiu bastante mal tratado? Isto meus caros, foi tudo esta semana... Imaginem como será num ano inteiro (ainda se lembram que não jogamos os 50 minutos em Lisboa?). Já é feito tudo à descarada, perderam toda a vergonha.

Equipa e marcadores:

Treinador: Tó neves
Edo Bosch (gr), Pedro Moreira, Reinaldo Ventura (2), Ricardo Barreiros (3) e Jorge Silva (1)
Jogaram ainda: Nélson Filipe (gr), Caio (1), Tiago Losna (1), Vítor Hugo (1) e Hélder Nunes (2)




Por: Paulinho Santos

Enviar um comentário
>