sábado, 27 de abril de 2013

FC Porto 14 - 3 Tigres - Cada vez mais primeiros!




O FC Porto recebeu e goleou o Tigres esta tarde em jogo da 26ª jornada, mantendo assim o 1º lugar. A probabilidade de recuperarmos o que nunca devia ter deixado de ser nosso é cada vez maior.





Num Dragão Caixa relativamente bem composto (boa medida a de colocar os jogos próximos), os nossos adeptos não tiveram que esperar muito tempo para festejar um golo. Numa bonita e rápida triangulação entre Reinaldo, Pedro Moreira e Barreiros com este último a finalizar pouco depois do minuto de jogo. Foi um excelente começo.





O nosso clube dominava e apresentava um hóquei de muita qualidade neste inicio. Era raro consentirmos sequer remates à nossa baliza e quando o conseguiam eram de longe a que Edo Bosch ia respondendo sem muitas dificuldades. No ataque estávamos a conseguir manietar a defensiva adversária e a arranjar com facilidade boas oportunidades de remate.

Os postes, o guarda redes adversário e aquela normal eficácia não deixaram que a vantagem fosse crescendo. Os minutos iam passando e o resultado mantinha-se. Até que, o azar que tinhamos no ataque não o teve o Tigres. Foi um lance estranho. Remate não com muita força, a bola sofre um ressalto e subia e bateu nas costas de Edo antes de entrar.

Era preciso manter a qualidade, continuar com o mesmo jogo, o golo surgiria se o conseguíssemos. Foi o que os nossos atletas fizeram. Com um hóquei acutilante e com técnica as oportunidades iam-se sucedendo. Assim, sem surpresa, uns minutos depois voltamos a estar em vantagem. Reinaldo Ventura, num penalti bem executado como habitual, foi o marcador.

A 7 minutos do intervalo, novo motivo para festejos. Golo de Hélder Nunes, E que golo!!! O nosso benjamim passa por trás da baliza, levanta a bola e com muita classe finaliza. Está um craque...

Este golo foi o inicio de uma sequência de remates que acabavam da mesma forma, dentro da baliza do Tigres.

Nem dois minutos passados e Caio fazia o 4º da nossa equipa, com um remate colocado ao ângulo da baliza adversária após boa jogada colectiva.

Mais dois minutos e novo golo. Novamente Hélder Nunes e novamente um grande golo, agora numa jogada individual.

A 1 minuto e meio do intervalo, Vitor Hugo fez o momentâneo 6 -1. Foi um golo como muitos que já marcou este ano. Conquista do espaço interior, assistência precisa do colega, neste caso Hélder Nunes, e Vitor Hugo a desviar em frente à baliza.



Os mesmos intervenientes ainda marcariam antes do intervalo. Marcaram a meias. O golo foi atribuido a Vitor Hugo, mas mérito de Hélder Nunes que rematou e a bola desviou no atacante portista.

O jogo estava ganho ao intervalo. 7 - 1 era uma vantagem confortável e merecida.

Embora tenha tido mais golos este segundo tempo foi mais desinteressante. Os nossos atletas, consciente da superioridade no marcador, abrandaram o ritmo e tentaram sobretudo presentear os adeptos com lances de belo efeito. Algumas vezes conseguiram-no, outras não resultaram.

Depois de um golo sofrido logo no reatar da partida, voltamos nós a festejar. Uma grande jogada colectiva com Tiago Losna a finalizar.

O golo do jogo foi o 9º golo da nossa equipa. E quem poderia ser o marcador senão o homem dos golos bonitos na nossa equipa? Pedro Moreira claro... Um remate que entrou no ângulo depois de passar por cima do guardião adversário.

O 10º foi marcado por Vitor Hugo em novo desvio.

A partir daí o jogo podia resumir-se a um nome. Caio. Está em grande forma e fez um grande jogo. Assistiu Jorge Silva para o 11º golo, marcou o 12º num contra-ataque conduzido por Reinaldo Ventura, o 13º de penalti  e fechou as contas com uma jogada individual de grande nível. Grandes minutos finais do nosso número 8.

A arbitragem foi fraquinha, ao nível do habitual. Faltas não marcadas, penalti que julgaram simulação, enfim, foram a pior equipa do jogo.

Nota final: Os habituais derrotados (vulgo regime) empataram em Oliveira de Azeméis e com este resultado aumentámos para 3 os pontos de distância. Ainda os receberemos em nossa casa e como tal, temos tudo para nos sagrarmos campeões. Importa referir que protestaram o jogo por erros de arbitragem. É preciso ter lata!!! Eles que foram tantas vezes beneficiados, sentem-se agora prejudicados. Eu até entendo, estão habituados aos "Capelas" desta vida.


Equipa e marcadores:

Cinco Inicial: Edo Bosch (g.r.), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (1), Ricardo Barreiros (1) e Jorge Silva (1)
Jogaram ainda: Nélson Filipe (g.r.), Caio (4), Tiago Losna (1), Vítor Hugo (3) e Hélder Nunes (2).



Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>