domingo, 2 de setembro de 2012

Segunda Liga: Oliveirense 3 - 0 FC Porto B (Crónica)




Não é fácil justificar um desaire por três bolas a zero, mas este jogo é facilmente dividido em dois momentos, expulsão do M´Bola aos quatro minutos da primeira parte (decisão acertada do árbitro e muita ingenuidade deste lateral esquerdo) e golos sofridos em períodos críticos da partida (final do primeiro e início do segundo tempo). Depois disso, a Oliveirense geriu a seu belo prazer o seu jogo e praticamente só o francês Vion remou contra a maré, só que sem efeitos práticos.






O FC Porto "B" foi para este desafio com três novidades no onze inicial (comparativamente ao jogo frente ao Aves), entrando o M´Bola, Tozé e Vion para os lugares de Victor Luís, Fábio Martins e Dellatorre (castigado) respectivamente, no entanto devido ao vermelho, o técnico Rui Gomes teve que proceder a uma modificação lógica, ou seja, retirar um elemento com características mais ofensivas e fazendo entrar Victor Luis, e o sacrificado acabou por ser o Tozé.





Diga-se que a nossa equipa durante um determinado período de tempo reagiu bem à inferioridade numérica, conseguindo instalar-se no último terço do adversário, inclusivamente o guardião João Pinho teve que se aplicar em duas ocasiões.

A Oliveirense tal como o FC Porto, jogou no seu 4-3-3 habitual, onde a entrada do patrão Banjai para o lugar do capitão Laranjeira acabou por ser a novidade (esperada) do conjunto orientado por João de Deus, mantendo assim Diego no eixo central, as laterais com Bruno Sousa e Chico Silva (João Pinho o guardião de serviço), meio-campo com Diogo a ser o elemento mais recuado, jogando nas posições interiores com Rui Lima e Zé Pedro (quando Capela é titular, o experiente médio recua para pivot defensivo) e na frente o tridente habitual, neste caso Avto e Hélder Silva nas faixas e Barry no centro do ataque.

Desta vez o irrequieto Avto não tão em evidência, mas destaco as exibições de Rui Lima e também de Hélder Silva, jogadores que dispensam qualquer apresentação a este nível, sendo determinantes no desfecho do resultado, não esqueçamos o bom golo apontado pelo ponta de lança Luís Barry (segundo jogo consecutivo a marcar), aproveitando um excelente cruzamento do lateral Chico Silva.

Além dos três golos concretizados, a Oliveirense obteve mais uma ou outra boa situação de golo, o resultado acaba por ser justo, apesar do FC Porto "B" ter criado oportunidades suficientes para pelo menos reduzir distâncias no marcador.


ANÁLISES INDIVIDUAIS:

Stefanovic - Duas excelentes intervenções, mas no golo apontado por Banjai tem uma saída em falso e comprometeu bastante nesse particular.

Diogo Mateus - Defensivamente Avto só por uma vez conseguiu ultrapassá-lo e até não foi por aí que se deu o descalbro defensivo. Com bola, limitava-se a jogar para trás.

Zé António - Não fez uma exibição à altura de jogos anteriores, mas acabou por ser o melhor elemento da defesa apesar de ter tido dois erros que podiam ter causado dissabores.

Tiago Ferreira - Exibição para esquecer! Está ligado a dois dos três golos e isso diz muito da sua perfomance neste encontro.

M´Bola - Perdeu as costas frente a Hélder Silva, permitindo que este se isolasse e aos quatro minutos é expulso da partida. Nada mais acrescentar.

Mikel - Errou alguns passes, perdeu uma bola numa zona proibida, no entanto devo dizer que não desgostei de todo da sua exibição. Saiu numa última tentativa de arriscar por parte do nosso treinador.

Pedro Moreira - Na semana passada foi claramente o melhor em campo da nossa equipa, mas hoje não conseguiu impor o seu futebol, acabou por ser bem substituído. 

Edú - Protagonizou uma exibição um pouco à imagem do Pedro Moreira.

Sebá - Não atravessa grande momento de forma.

Vion - Claramente o MVP da nossa equipa! Mesmo a jogar com 10 e apenas dois jogadores na frente de ataque, este francês deu e muito que fazer aos defesas contrários, provocando diversos desequilíbrios. Que esta aposta seja para manter.

Tozé - Sacrificado aos 10 minutos, ainda teve tempo para evitar um golo "cantado" a remate de Hélder Silva, dando o corpo ao manifesto.

Victor Luís - Certamente não esperava entrar tão cedo. Muitas dificuldades para travar as acções individuais protagonizadas por Hélder Silva e mesmo quando  Zé Pedro surgia na sua zona.

Sérgio Oliveira - Entrou muito mal e deu-se mais por ele nos momentos em que escorregou na altura do cruzamento.

Fred Maciel - Primeiro foi para o lado esquerdo e depois para o lado contrário, no entanto esteve discreto e tocou poucas vezes na bola.


FICHA DE JOGO:

UD Oliveirense-FC Porto, 3-0
Estádio Carlos Osório, Oliveira de Azeméis

Árbitro: Rui Silva (Vila Real)
Assistentes: Álvaro Mesquita, Bruno Trindade

UD OLIVEIRENSE: João; Bruno Sousa, Banjai, Diego, Xico Silva; Diogo, Zé Pedro, Rui Lima; Hélder Silva, Avto e Barry.
Substituições: Joca por Zé Pedro (66 min.), Rafa por Avto (81 min.), Zé Sousa por Rui Lima (87’).
Treinador: João de Deus

FC PORTO: Stefanovic; Diogo, Zé António, Tiago Ferreira, M’Bola; Mikel, Edú, Pedro Moreira; Sebá, Vion e Tozé.
Substituições: Victor Luís por Tozé (11 min.), Sérgio Oliveira por Pedro Moreira (59 min.), Frédéric por Mikel (73 min.).
Não utilizados: Elói, David e Fábio Martins.
Treinador: Rui Gomes

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Barry (44’), Banjai (47’) e Rui Lima (51’).
Disciplina: Vermelho a M’Bola (4’), amarelo a Edú (28’), Sebá (39’), Tiago Ferreira (50’), Zé Pedro (53’) e Joca (86’).


Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>