sábado, 15 de setembro de 2012

Estórias com História: A miragem do hexa! (Cronologia)



Fevereiro/2000

2 – Confirmada a transferência de Argel para o Palmeiras: contrato de quatro épocas, rende ao FC Porto 600 mil contos (3 milhões €) e o empréstimo, com opção de compra do passe, de Paulo Assunção, médio de vinte anos. Razões familiares na origem da saída do defesa-central.

3 – A Lázio manifesta interesse

5 – O FC Porto recebe e vence o Braga por 3-0, com Jardel a bisar; em Alvalade, o Sporting bate o Farense por 3-1. Benfica ganha (1-0) ao Santa Clara Na frente nada de novo. FC Porto e Sporting separados por um ponto.

Estádio das Antas – Árbitro: Paulo Paraty (20ª Jorn.)

FC Porto: Hilário; Secretário, Jorge Costa, Aloísio e R. Júnior (Peixe 63’); P. Santos, Chainho e Alessandro (Domingos 73’); Capucho (Romeu 77’), Drulovic e Jardel
Supl. Não utilizados: Rui Correia e Folha
Cartão amarelo: P. Santos 35’, Aloísio 41 e Secretário 57’

Sp. Braga: Quim; J. N. Azevedo Toni 63’), A. Jorge, Odair, P. Lavoura; Barroso, Jordão (Silva 53’) e Castanheira (Tiago 78’); Luís Miguel, Luís Filipe e Taílson
Supl. não utilizados: P. Morais e Idalécio
Cartão amarelo: Jordão 24’, P. Lavoura 60’ e Toni 68’
Golos: Capucho 27’, Chainho 55’ e Jardel 89’

8- Jardel em grande entrevista: “Na área sou o melhor do mundo (…) ainda vou marcar com a bundinha, não com sorte, mas intencional (…) Não imagino o FC Porto sem Jardel (…)”. 

9 – Quartos-de final da Taça de Portugal: O FC Porto e o Sporting afastam Fafe e Dragões Sandinenses, enquanto o Boavista cai em Vila do Conde (1-0); Moreirense veste-se de tomba-gigantes e elimina o Vitória, em Guimarães, tal como na época anterior. Jardel marcou os três golos do FC Porto na vitória sobre o Fafe.

10 – Nasce a SAD do Benfica. Vale Azevedo é o sócio maioritário.

13 – FC Porto e Sporting empatam fora: leões na Reboleira (0-0), Portistas em Vila do Conde (2-2, com Domingos a marcar dois golos nos últimos 10 minutos).

- Vítor Baía regressa à baliza

Estádio dos Arcos (V. Conde) – Árbitro António Costa (21ª Jorn.)

Rio Ave: Tó Luís; Armando Sá, Peu, Sandro e Nito; Sérgio China, Niquinha e Fábio; André Jacaré, A. J. Vicente e Hugo Henrique (Luís Coentrão 84’)
Supl. não utilizados:Tozé, J. Humberto, P. Lima Pereira e Miguelito
Cartão amarelo: André Jacaré 52’, 89’
Cartão vermelho: André Jacaré 89’

FC Porto: V. Baía; Secretário, Jorge Costa, Aloísio e R. Júnior (Clayton 60’); P. Santos, Capucho e Rodolfo (Chainho 62’); Alessandro (Domingos 45’), Drulovic e Jardel
Supl. não utilizados: Hilário e Peixe
Cartão amarelo: Aloísio 47’ e P. Santos 77’
Golos: Hugo Henrique 13’ e 54’, e Domingos 82’ e 89’

19 – O FC Porto perde em Campo Maior por 1-0, com muitas e fundadas queixas do árbitro (?) Bruno Paixão. Em Alvalade, o Sporting empata com o Gil Vicente e não aproveita o deslize do campeão.

Estádio Capitão César Correia (Campo Maior) – Árbitro Bruno Paixão (22ª Jorn.)

Campomaiorense: P. Sérgio; Mário Jorge, Beke, José Soares e R. Matias; Torrão (Poejo 81’), Cau e Abílio; Hugo Cunha (Helder Garcia 89’), Jorginho e Laelson (Constantino 85’)
Supl. não utilizados: Poleksic e Mickey
Cartão amarelo: Cao 41’, Torrão 80’ e José Soares 90’

FC Porto: V. Baía; Nelson, Jorge Costa, Aloísio e R. Júnior (Drulovic 39’); P. Santos, Capucho e Chainho; Caju (Domingos 45’), Clayton (Alessandro 65’) e Jardel
Supl. não utilizados: Hilário e Peixe
Cartão amarelo: Jardel 13’, P. Santos 44’, Jorge Costa 73’ e Chainho 90’
Golo: Laelson 20’

21 - Fernando Santos não cala a revolta e classifica a entrada de Bruno Paixão no sorteio como “Crime”.

23 – Clubes ameaçam com greve se o Conselho Superior de Desporto avançar com a redução do número de clubes na I Liga.

24 – Jardel e as fortes marcações: ”Se isto continuar assim mudarei de clube”.

25 – Jardel castigado com dois jogos pelos acontecimentos de Campo Maior. Reacção do brasileiro: “Como é que se pode falar bem do futebol português? (…) É melhor voltar ao Brasil”.

- José Soares punido com 3 jogos.

26 – O FC Porto recebe e vence o Belenenses por 2-1.

Estádio da Antas – Árbitro: Vítor Pereira (23ª Jorn.)

FC Porto: V. Baía; Secretário, Jorge Costa, Aloísio e Esquerdinha;Peixe, Capucho e Chainho; Caju (Clayton 50’), Drulovic eDomingos
Supl. não utilizados: Hilário, Rodolfo, Romeu e Nelson
Cartão amarelo: Secretário 46’

Belenenses: Marco Aurélio; José Calos, Wilson, Filgueira e F. Mendes; Franklim, J.P. Brito (Cafu 69’) e Lito; Tick, Doda (Renato 64’) e Seba
Supl. não utilizados: Botelho, Rui Gregório e Pedro Estrela
Cartão amarelo: Tuck 27’, Filgueira 55’ e Doda 58’
Golos: Drulovic 12’, Domingos30’ e Lito 42’

27 – Benfica derrapa na Amadora, perdendo por 3-0, frente ao Estrela. Dois golos de Gáucho I e um de Kenedy. Está de novo a quatro pontos.

28 – O FC Porto chega a Barcelona e Vítor Baía, que viajou com a comitiva, embora não possa jogar devido a lesão, é positivamente assaltado pela imprensa catalã. Recebido como um Deus.

- Pedro Barbosa marca o golo que permite ao Sporting vencer no Bessa e manter-se na corrida pelo título.
- A Olivedesportos reclama 8,5 milhões de contos (42,5 milhões €), do Benfica.


Quando crime e vergonha rimam com Paixão

Escândalo! É o mínimo que se pode dizer sobre o jogo Campomaiorense – FC Porto (19/02/2000).

O País inteiro viu pela televisão um dos jogos que, pelos piores motivos, ficará por longos anos na memória de quantos o viram. José Soares passou, impunemente, os noventa minutos agarrado à camisola de Jardel, com cenas de agressão que passaram em claro. Os Portistas reclamaram dois penaltis que ficaram por assinalar e a incorrecta invalidação de um golo limpo. Completamente à margem de qualquer suspeita que casos destes sempre atiçam, em causa está um caso de gritante incompetência do árbitro (?) Bruno Paixão, um dos protegidos da Comissão Disciplinar da Liga, que pretende aproveitar a condição social do juiz (?) – é novo e tem um curso superior (engenheiro) – para fazer dele internacional o mais rapidamente possível.

As confusões não terminaram no final do jogo, pois, com base em imagens televisivas – são claras as agressões mútuas entre José Soares e Jardel -, a Comissão Disciplinar da Liga aplica três jogos de castigo ao jogador do Campomaiorense e dois ao Portista. Sucedem-se as reacções e as entrevistas. José Soares diz que não é um criminoso e Carlos Manuel, treinador dos alentejanos, também sai a terreiro em defesa do jogador.

Por parte dos Portistas, a questão é abordada de outra forma. No entender de Pinto da Costa e seus pares não se tratou de uma noite infeliz nem tampouco de uma acção pontual. Trata-se de uma orquestração. O Presidente do FC Porto vai mais longe ao dizer, claramente, que “querem levar o título para Lisboa, não interessando para quem”.

O líder Portista não se cala. Na inauguração da Casa do FC Porto em Resende, Pinto da Costa faz um discurso inflamado e com dois destinatários: o futebol português em geral e a massa associativa Portista de um modo especial, num dos seus típicos toques a recolher. As palavras são escolhidas – “Hoje, para ganharmos, temos de ser 11 vezes melhores do que o adversário “- e surtem efeito, pois a massa adepta Portista galvaniza-se e esquece as críticas à equipa, que começavam a crescer de tom à medida que o FC Porto ia delapidando o avanço conseguido até às férias do Natal.

O mais controverso caso de Fevereiro nem sequer o devia ter sido, mas ele encerrava outra verdade. Pela primeira vez nos últimos 18 anos, o Sporting, constituía uma ameaça séria para a conquista do título.

Por: Nirutam

Enviar um comentário
>