domingo, 26 de maio de 2013

Sporting Horta 23 - 29 FC Porto - Complicado mas justo







O já pentacampeão nacional viajou até aos Açores e fechou o campeonato com uma vitória tranquila sobre o Sporting da Horta. Mesmo num jogo a feijões esta equipa não se cansa de ganhar.


Num jogo que servia para os adeptos açorianos do nosso clube festejarem e sobretudo como preparação para a Taça de Portugal, os comandados de Obradovic mostraram uma vez mais que estão em forma.

Foi um jogo de vários altos e baixos, com a qualidade superior da nossa equipa a revelar-se decisiva na parte final.

Após uns primeiros minutos de encontro equilibrados, a nossa equipa disparou no marcador. De um resultado de 2 - 2 no final dos 5 minutos, a nossa equipa já vencia confortavelmente à passagem dos 10 minutos (2 - 7). Foi um período fantástico em que o cada vez mais letal contra-ataque portista fez estragos. Daymaro e João Ramos destacaram-se neste aspecto. 

Se ao contra-ataque juntarmos um guarda redes inspirado como Quintana e um Gilberto com a mira certeira é fácil verificar como foi natural esta vantagem.

É normal, até numa equipa viciada em vencer como é esta que, com o campeonato ganho e uma boa vantagem no marcador a equipa tenha relaxado. Foi o que aconteceu. Compreensível  embora Obradovic não tenha gostado muito... 

Até ao intervalo falhamos muitos remates (acertamos sem exagero uma meia dúzia de vezes nos postes da baliza da equipa visitada), o guarda-redes adversário esteve a bom nível e até em situações isoladas aos 6 metros desperdiçamos. 

Assim, se em 10 minutos marcamos 7 golos, nos restantes 20 minutos do 1º tempo apenas 6 vezes acertamos.

Ao intervalo 14 - 13 no marcador. 




O inicio do 2º tempo mostrou mais do mesmo. 

Algumas dificuldades defensivas a permitir muitas situações de remate da 1ª linha e ofensivamente estivemos infelizes na finalização. 

Aos 10 minutos deste 2º tempo a desvantagem tinha aumentado, era agora de 3 golos.

Faltavam 20 minutos e a competitividade dos nossos atletas veio ao de cima. Aumentamos a intensidade, fomos à luta e reforçávamos esforços a cada dificuldades que nos surgia.

Destaques individuais para Tiago Rocha, Hugo Rosário e Hugo Laurentino. O 1º desatou a marcar golos, fosse em livres de 7 metros ou de situações de espaço conseguido aos 6 metros pelo nosso pivot. Defensivamente um autêntico muro. Fez um jogão, claramente o MVP deste encontro. Hugo Rosário porque foi ele que com 2 golos consecutivos restabeleceu a igualdade. Hugo Laurentino porque mais uma vez esteve em grande, sobretudo em defesas a remates dos 9 metros.

Paulatinamente fomos recuperando. 

E eis que entramos nos 10 minutos finais com um empate  (22 - 22) e com menos 1 em campo por exclusão de Wilson. Este, que tantas faltas sofreu merecedoras de tal punição levou 2 minutos por bem menos.

Pois bem, Wilson regressou e abriu o livro. Conquistou 7 metros, assistiu os companheiros e marcou ele mesmo.

Foram 10 minutos finais de grande nível. Defesa agressiva, muitas intersecções,  desarmes e blocos. Basta referir que nestes minutos o Horta apenas marcou uma vez e de livre de 7 metros. Brilhante!

Ofensivamente, foi andebol a 100 à hora. As saídas rápidas para o ataque sucediam-se fruto da boa defesa. 

O Sporting da Horta não conseguiu responder a este ritmo e baqueou por completo. O resultado final com 6 golos de diferença mostra isso mesmo.

Segue-se agora a Taça de Portugal, dia 1 e 2 de Junho. Nas meias-finais o nosso clube defronta o Águas Santas. Acreditamos na vitória.


Equipa e marcadores:

Equipa Inicial: Alfredo Quintana (gr), Gilberto Duarte (3), Filipe Mota (1), Daymaro Salina (2), João Ramos (2), Ricardo Moreira (3) e João Ferraz (1). 

Jogaram ainda: Hugo Laurentino (gr),  Tiago Rocha (7), Elias Nogueira, Sérgio Rola (5), Wilson Davyes (3) e Hugo Rosário (2).


Por: Paulinho Santos



Enviar um comentário
>