terça-feira, 21 de maio de 2013

Revista de Imprensa - 21 de Maio 2013


"Escolho muito bem as minhas equipas"


  Lucho Gonzalez, em discurso directo, afirma que "Escolho muito bem as minhas equipas", e a prova está no facto de em oito anos de Europa, só não foi campeão um ano, ao serviço do Marselha.
Lucho faz capa no diário O Jogo, edição norte, sendo que os restantes jornais desportivos nacionais, dividem-se entre noticias relacionadas com o Sporting e benfica.






O Jogo:



- FC Porto: "Lucho - Escolho muito bem as minhas equipas", em oito anos na Europa só não foi campeão uma vez, em Marselha; "Lucho - não sei se algum treinador ficaria no FC Porto se estivesse tanto tempo sem ganhar como Jesus"; "Colômbia e Venezuela como destinos na pré-época"

- "Ninguém fez melhor depois de mim"
- "Campeão de resultados, transferências e assistências"
- "Edinho é reforço por duas épocas"



Record:

Record


- FC Porto: "Vitor Pereira deve renovar", adeptos pediram continuidade e Pinto da Costa pondera.


- "Leão Jardim"
- "benfica negoceia Carlos Eduardo"
- "Mourinho livre para o Chelsea"



A Bola:

A Bola



- FC Porto: "Vitor Pereira diz adeus ao Dragão", decisão já estava tomada antes da conquista da Liga.


- "Concretizei sonho de criança"
- "Markovic perto da luz"
- "Real confirma saída de Mourinho no final da época"



Notícias sobre o FC Porto:




FC Porto: o clube europeu que mais festejou no séc. XXI

Com a conquista do último campeonato nacional, o FC Porto somou o 27º título da competição e, ao mesmo tempo, o 27º troféu dos últimos 13 anos. Não há, em toda a Europa, equipa com tantos títulos conquistados desde a viragem do século.

Na verdade, a equipa do Porto apresenta um currículo impressionante desde 2001. Entre a viragem do século e o jogo do último fim de semana, o FC Porto só não ganhou por quatro vezes a principal prova nacional. O Boavista venceu em 2001, o Sporting no ano seguinte, em 2002 e o Benfica foi campeão em 2004/2005 e em 2009/2010.

Já em relação aos troféus conquistados no mesmo período de tempo, o FC Porto ainda apresenta uma diferença maior. Os adeptos portistas já celebraram, como referido, 27 títulos. Por outro lado, e caso vença a final da Taça de Portugal, o Benfica somará nove troféus, enquanto o Sporting conta com oito competições conquistadas.

No entanto, esta supremacia do FC Porto não acaba dentro das fronteiras de Portugal. Aliás, se analisarmos os principais campeonatos europeus, o FC Porto também foi aquele que mais vezes festejou no presente século, com larga vantagem.

Com nove campeonatos nacionais, seis Taças de Portugal, oito Supertaças Cândido Oliveira, uma Liga dos Campeões, uma Taça UEFA, uma Liga Europa e uma Taça Intercontinental, o FC Porto soma um total de 27 títulos conquistados.

Quem mais se aproxima destes valores é o Dínamo de Zagreb, que pulverizou a restante concorrência interna e já soma 21 títulos divididos entre campeonatos, taças e supertaças croatas.

Em terceiro lugar surge o Barcelona que venceu seis campeonatos, duas Taças do Rei, cinco Supertaças e apresenta um currículo impressionante em competições internacionais: três Champions League, duas Supertaças europeias (uma delas vencida precisamente ao FC Porto) e dois Mundiais de Clubes. No total: 20 troféus conquistados.

Continuando a descer na tabela dos clubes europeus mais titulados, seguem-se os ucranianos do Shakhtar Donetsk com 19 conquistas: oito vezes campeão ucraniano, seis taças levantadas mais quatro Supertaças e uma Liga Europa.

Em seguida, o Manchester United de Sir Alex Ferguson, que decidiu dar por terminada a sua carreira, festejou por 18 vezes no século XXI: os red devils contam com sete vitórias na Premier League, uma Taça de Inglaterra, três Taças da Liga, cinco Supertaças, uma Liga dos Campeões e um Campeonato do Mundo de Clubes.

O Bayern München, que ainda pode acrescentar mais dois títulos ao palmarés esta temporada, se vencer a Liga dos Campeões e a Taça da Alemanha, já soma 18 títulos desde o ano 2000. Com efeito, os alemães contam com sete campeonatos em 13 possíveis, cinco Taças da Alemanha, duas Taças da Liga, duas Supertaças, uma Liga dos Campeões e uma Taça Intercontinental.

O Olympiacos, que na última temporada foi treinado por Leonardo Jardim, novo treinador do Sporting, em 13 anos foi campeão grego 11 vezes, venceu seis vezes a Taça da Grécia e por uma vez venceu a Supertaça. Soma 18 títulos.

Já o Olympique Lyonnais ergueu 17 títulos desde 2001. A equipa francesa foi campeã gaulesa sete vezes consecutivas, venceu sete Supertaças, duas Taças de França e uma Taça da Liga.

O Celtic, que agora nem sequer tem a concorrência do Glasgow Rangers, surge no fim da tabela, com 16 troféus divididos entre oito campeonatos, cinco Taças da Escócia e três Taças da Liga.

Na verdade estes números além de reforçarem a ideia da hegemonia azul e branca no panorama nacional, enfatizam uma força internacional da equipa presidida por Pinto da Costa. No caso da equipa da Cidade Invicta, e olhando por exemplo a nível interno, é mais fácil fazer as contas aos títulos que o FC Porto não conquistou nos últimos 13 anos. A equipa portista deixou fugir "apenas" quatro campeonatos, sete Taças de Portugal, seis Taças da Liga e cinco Supertaças, significando que conquistou 23 dos 45 títulos possíveis... ou seja mais que todas as outras equipas juntas.


Open Media Day FC Porto: Os campeões reagem à conquista do título

Os campeões abrem o livro. Dias depois da conquista de três títulos para o universo azul e branco, os campeões do futebol, o andebol e do hóquei em patins, colocaram-se à disposição dos jornalistas, num Open Media Day, respondendo a questões, falando do futuro e enaltecendo as conquistas deste fim de semana. Veja aqui todas as reações e declarações.

João Moutinho assume que a época foi «extremamente difícil» e sublinha o facto de a equipa azul e branca ter conseguido «dar a volta por cima em vários momentos», mesmo quando queriam «deitar abaixo» o conjunto portista.

«Como grupo, como equipa, conseguimos dar a resposta dentro de campo e foi aí que demonstrámos que somos superiores a todos os nossos adversários e fomos campeões nacionais. Era esse o grande objetivo. Todos os títulos têm um sabor especial, este por ter sido como foi, na última jornada. Merecemos perfeitamente este título. Em todas as modalidades o FC Porto entra para ganhar. Com todo o mérito somos campeões nacionais e se Deus quiser vamos continuar a dar mais títulos ao clube e aos nossos adeptos. No FC Porto estamos mais perto de sermos campeões», afirmou o médio,, que também se pronunciou sobre o seu futuro, ele que é cada vez mais apontado à saída do Dragão, muito cobiçado por diversos emblemas europeus.

O meu futuro passa pelo FC Porto, João Moutinho

«O meu futuro passa pelo FC Porto. É isso que quero porque não sei de mais nada do que se está a passar. Quero continuar a dar alegrias a esta massa associativa. Neste momento nada me fará mudar de clube. Sou extremamente feliz aqui e o mais importante é juntar a felicidade aos títulos. Mas se alguém aparecer tem de ser com algo de bom para ambas as partes», atirou Moutinho, que tem contrato com o FC Porto até junho de 2015.
Lucho: «Vitória sobre o Benfica foi o momento chave na época»

Já Lucho Gonzalez, feliz com a conquista do título, diz que o momento chave da temporada foi «a vitória sobre o Benfica», conquistada nos últimos instantes do jogo no estádio do Dragão.

«É uma sensação linda. Merecemos festejar o título da forma como festejámos. O FC Porto é uma grande família, somos todos humildes e trabalhamos. Queremos estar sempre a vencer. A vitória sobre o Benfica foi, logicamente, o momento chave na época. Jogámos, sobretudo, com a possibilidade de dependermos apenas de nós próprios, tínhamos de ganhar esse jogo. Fazendo isso ficaríamos a um passo do título. Creio que foi um dos momentos mais especiais na temporada. Encarámos os jogos anteriores à receção ao Benfica com a mesma vontade», afirmou o argentino.

Melhor marcador da Liga na época de estreia em Portugal, Jackson Martinez diz que o FC Porto é «um clube impressionante».

«Foi uma época muito boa, estou feliz por termos dado uma alegria a todos os adeptos. Depois de tudo o que tivemos de passar, temos de desfrutar deste título com as nossas famílias e com o grupo. Alcançámos os objetivos a que nos propusemos. O FC Porto é um clube impressionante, sinto-me abençoado por estar aqui e fazer o meu trabalho. Temos de pensar em tudo o que vem, com a consciência de que a responsabilidade será maior. Agora temos de desfrutar depois de tanto esforço».
Também James Rodríguez assume que a época foi tudo menos fácil mas destaca a união do grupo que contribuiu para o sucesso.

«O grupo esteve sempre unido, a trabalhar com o pensamento em vencer os nossos jogos. O FC Porto, em momentos importantes, cumpre sempre», sublinhou.
Decisivo no clássico que provocou a reviravolta na classificação da Liga Zon Sagres, Kelvin ainda não está em si, ciente da importância do golo que marcou ao Benfica, já nos descontos. O brasileiro quer fazer mais.

Este clube é feito para ganhar títulos, Steven Defour

«Quero dar continuidade ao meu trabalho e continuar no clube a fazer golos decisivos. Nunca tinha visto o estádio lotado, com os adeptos a gritar o jogo todo. Foi impressionante», recordou, lembrando o clássico.
Steven Defour, bicampeão no FC Porto, ele que chegou há duas épocas ao universo azul e branco, sublinha o espírito do clube.

«O Benfica também esteve bem, mas sabíamos que continuando a ganhar os nossos jogos poderíamos chegar ao título, pois teríamos o jogo em casa com o Benfica. Este clube é feito para ganhar títulos. Estamos muitos felizes e também não temos treinos, por isso sabe bem», congratulou-se, pensando apenas nos festejos e nas férias.

Castro: «Foi renhido, mas o campeão foi justo»

Castro alinha pela mesma batuta, diz que o campeonato foi «muito renhido» mas considera que a conquista do título é justa.

«Não foi fácil, sofremos muito. O Benfica ganhou alguma vantagem, mas acreditámos sempre. Dentro do grupo pensámos sempre em fazer o nosso trabalho e em vencer os nossos jogos. Foi renhido, mas o campeão foi justo», analisou, deixando a garantia: «Já se pensa na próxima época e em ganhar mais títulos».


Final de Sevilha faz hoje 10 anos, o herói Derlei recordou o momento

Derlei pôs a nação portista ao rubro.

A 21 de maio de 2003, ou seja, há precisamente 10 anos, com José Mourinho no comando técnico do FC Porto, o futebol português voltou a festejar uma conquista europeia, a outrora chamada Taça UEFA. Perante o Celtic, os dragões venceram por 3-2, com Derlei a surgir em especial destaque, ao apontar dois golos, o último dos quais decisivo e conseguido já no prolongamento.

“Quando a parte física não responde, procuramos energia na parte psicológica e foi isso que fiz. Estava desgastado, mas encontrei forças para marcar o golo que garantiu a vitória”, recorda Derlei a Record, assumindo, porém, que esse golo não foi o mais importante da sua carreira: “Esse foi o que apontei ao Deportivo, na Corunha, na época seguinte e que valeu o acesso à final da Liga dos Campeões.”

Sobre o jogo de Sevilha, as recordações são muitas e boas: “O Mourinho ajoelhado e, depois, a festejar com os adeptos, o Deco a controlar a bola com a cabeça no final do jogo, o abraço que o Nuno me veio dar, o momento em que levantámos a taça e, claro, a receção que tivemos no Porto. Foi fantástica, foi algo nunca antes visto.”





Livro de Pinto da Costa publicado em setembro, publicação promete ser “surpreendente”

A Chiado Editora anunciou esta segunda-feira, em comunicado, que Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, está a finalizar um livro que será publicado pela referida editora em setembro.

Na mesma nota, a editora promete que o livro, que ainda não tem título divulgado, será "uma das publicações mais surpreendentes de 2013".

O lançamento da obra está marcado para o Estádio do Dragão, em setembro.




Por: Cubillas

Enviar um comentário
>