domingo, 12 de maio de 2013

Segunda Liga: FC Porto B 1 - 1 Braga B (Crónica)


Penúltima jornada da II Liga e mais um jogo sem vencer para a equipa B do F.C. Porto, o 7º consecutivo.




Numa fase em que está quase tudo decidido nesta II Liga, este era um jogo para cumprir calendário.
Na equipa do F.C. Porto o grande destaque vai para a estreia de Elói na baliza. Nota também para o regresso de Mbola ao onze. Na frente, Tozé e Vion actuaram nas alas, dadas as ausências do herói Kelvin e Sebá.



FC PortoA equipa portista entrou forte e nos primeiros minutos criou vários lances perigosos, com destaque para um contra ataque de Dellatorre, que tenta decidir sozinho mas falha na finalização.

Poucos minutos depois é Edu quem tem um cabeceamento perigoso, com a bola a passar ao lado.

A equipa foi baixando o ritmo e o Braga tornava-se perigoso. Sem Kelvin e Sebá, faltava largura à equipa, pois Tozé é um jogador mais de zonas interiores e Vion é demasiado vertical e sem ser lançado em velocidade raramente consegue criar perigo. Elói ainda conseguiu  adiar o golo Bracarense, mas aos 26 minutos Emidio Rafael faz o 1-0 num remate ainda desviado por Edu. Um golo de um campeão, convém frisar!

A equipa portista já tinha perdido o domínio do encontro nesta fase, estando algo partida no meio campo. Além da falta de largura, Tozé estava demasiado apagado e raramente aparecia em zonas interiores para tentar ligar a equipa. Só Seri, a espaços, conseguia conduzir a equipa para a frente, jogando muito bem entre Mikel e Edu. Nesta fase Braga criou alguns lances de perigo, sendo que Elói esteve à altura.

Foi já aos 45 minutos que o Porto chegou à igualdade. Vion conseguiu finalmente ganhar a linha no lado direito e cruzou para Edu, que em jogada de insistência tem um remate de raiva.

Encontro empatado ao intervalo, que chegou logo de seguida.



No reatar o F.C. Porto voltou a entrar bem, com a equipa mais ligada no meio campo, tendo com isto outro envolvimento colectivo que servia como base para um melhor aparecimento de Vion no jogo. Para isto muito contribuiu o maior aparecimento de Tozé em zonas centrais, deixando o flanco esquerdo algo coxo, mas elevando o nível de jogo da equipa.

Dellatorre também aparecia mais em jogo nesta fase e aos 58 minutos esteve perto do golo, após bom lance individual, depois de passe de Tozé.

Aos 71 minutos Mikel deu lugar a Sérgio Oliveira, descendo Seri para a posição de trinco e assumindo o jovem português o jogo a meio campo. Três minutos depois foi a vez de Dellatorre e Vion darem lugar a Caballero e Fábio Martins.

A equipa perdeu algum fulgor nos minutos seguintes, sentindo falta de Seri, que estava a fazer a ligação atacante e agora encontrava-se mais preso à posição 6. No entanto, com o passar dos minutos o costa-marfinense voltou a soltar-se, e o jogo portista melhorou novamente.

Aos 82 minutos, grande remate de Edu, na sequência de um livre de Sérgio Oliveira, naquele que foi o último lance de real perigo da equipa portista.

Os visitantes ainda voltaram a criar perigo aos 84 minutos, num lance onde o Porto se expôs demais a um contra ataque depois de um canto. Elói resolveu muito bem a e questão com uma excelente leitura do lance.

A equipa B portista acaba a época em clara baixa de forma, numa fase em que pouco há para lutar, mas um dos principais objectivos das B sempre foi a formação.

A última jornada, na Figueira da Foz, poderá ser para dar oportunidade aos menos utilizados, já que está na altura de preparar a próxima época, onde será necessária uma limpeza de alguns jogadores menos aptos para este nível.


Análises individuais:

Elói: Bom jogo na estreia. Evitou o golo dos bracarenses em pelo menos três ocasiões e mostrou sempre muita segurança;

David: Não teve problemas de maior a defender, apesar do golo ter nascido do seu lado. Bem no apoio ao ataque no início do 2º tempo;

Mbola: Bom início de jogo, sempre muito agressivo a defender e a incorporar-se no ataque. Foi desaparecendo do jogo a na 2ª parte pouco participou ofensivamente, também devido ao jogo ter virado à direita;

Tiago Ferreira: Jogo tranquilo, com uma ou outra desatenção mas sem problemas de maior;

Zé António: Mais agressivo que Tiago, também não teve problemas com os atacantes bracarenses;

Mikel: Andou algo perdido em campo. Um jogador com boas características físicas, estagnou a sua evolução táctica há algum tempo. De positivo o facto de ter permitido maior liberdade a Seri enquanto esteve em campo;

Seri: O melhor em campo. Sempre muito dinâmico, tentou unir o meio campo portista na 1ª parte. Quando desceu para a posição 6 manteve o rigor defensivo e ainda se conseguiu soltar para apoiar o ataque nos momentos finais;

Edu: Alternou muito entre o bom e o mau. Está ligado ao golo de Rafa por infelicidade, mas não tem culpa no mesmo. Várias vezes muito lento a decidir, não é um jogador com características para jogar na posição 10. Bem a aparecer para o 1-0 e nos primeiros minutos da 2ª parte;

Tozé: Má primeira parte, demasiado preso ao lado esquerdo do ataque. Soltou-se para o 2º tempo e apareceu em zonas centrais, onde pautou o jogo portista no seu melhor momento. Devia jogar mais vezes como 10;

Vion: Para jogar a extremo depende muito do rendimento da equipa. Não é um jogador para criar desequilíbrios por si só, devido às dificuldades técnicas que tem, jogando mal de costas para a baliza. Necessita de ser lançado em velocidade. Teve dificuldades na 1ª parte por isso mesmo. No início do 2º tempo, apoiado por Edu e David, apareceu mais vezes e criou alum perigo;

Dellatorre: Outro jogador que variou muito o rendimento do 1º para o 2º tempo. Apareceu melhor no reatar, mas ficou longe do seu melhor;

Sérgio Oliveira: Entrou apostado em resolver na meia distância ou nas bolas paradas, mas esteve infeliz nos dois aspectos;

Caballero: Destaque apenas para um remate com algum perigo aos 88 minutos, à entrada da área bracarense;

Fábio Martins: Alguns bons momentos na ala direita, mas sem tempo para ser factor no jogo.


Por: Eddie the Head


Enviar um comentário
>