sexta-feira, 17 de maio de 2013

O Minuto 92.





Mesmo sendo um apaixonado e incondicional adepto azul e branco, quando assisti através da TV ao jogo da final da Taça UEFA entre o Benfica e o Chelsea, confesso que pela primeira vez como português e rival do SLB senti um certo pesar pelo desfecho do resultado entre as duas equipas, tendo em conta a forma desinibida, a coragem demonstrada e a ultrapassagem do factor psicológico como a equipa encarnada soube assumir o jogo, depois de há bem pouco tempo em pleno estádio do Dragão, ter passado em poucos minutos de um estado de espírito paradisíaco para um autêntico inferno do resultado final.




A primeira coisa que me veio à memória foi o mesmo desânimo e injustiça no resultado e pelo estado psicológico que também eu passei na final com a Juventus, onde acabamos por perder por 2 a 1 depois de também termos realizado uma excelente exibição, tendo na altura daí resultado a atribuição de uma réplica da Taça para memória futura que o Benfica também merecia.

Apesar de eu não acreditar em bruxas e maldições, a verdade é que neste período de tempo compreendido entre o jogo do Dragão e a final da Taça UEFA, parece que o SLB está sob um estado profético, amaldiçoado e condenado a perder tudo no tal minuto fatídico dos 92 minutos de jogo, e se a tudo isto ainda juntarmos o facto curioso de os dois jogadores do Chelsea que fizeram os golos, Fernando Torres e Ivanovic, patentearem nos seus equipamentos os números 9 e 2, então aí para quem acredite nos fenómenos sobrenaturais tudo nos parece ainda mais estranho, e relembra-nos também aquela fase muito idêntica do V. Guimarães quando estava na 2ª. Liga, que quase chegou a estar na posição de descida de divisão, e só depois de um tal bruxo de Fafe ter feito uma peregrinação a pé com um andor de uma determinada Santa ao Santuário do Bom Jesus, é que o Guimarães voltou à senda das vitórias tendo mesmo conseguido a subida à 1ª. Liga precisamente no último jogo do campeonato, e acabo como comecei, ou seja, eu não acredito em bruxas mas, ”Qui las ai, ai!!!”.

Por último, poderia até no SLB este tipo de desempenho nada significar, mas no FCP depois de uma derrota daquelas quase no último apito do árbitro, e considerando Jorge Jesus como um treinador credível e a ter em conta para os próximos anos, o PC uns dias antes da final da Taça UEFA tinha marcado uma conferência de imprensa, fazendo saber publicamente que tinha renovado o contrato com o seu treinador, pois são por vezes estes simples pormenores que dividem os líderes, os audazes e os bem-aventurados em detrimento dos outros.

Por: Natachas.

Enviar um comentário
>