domingo, 12 de maio de 2013

Juniores A: O jogo que o Porto não quis ganhar



Penúltima jornada do campeonato de juniores. Para o Porto a vitória era crucial, de forma a depender apenas de si próprio.





A equipa portista entrou mal no jogo, a permitir transições rápidas à equipa adversária. Dessas transições nasceu o golo benfiquista, com o veterano Sancidino a fugir à marcação dos centrais portistas e a marcar.





A partir dos 20/25 minutos o Porto equilibra o jogo e demonstra alguma superioridade. Com André Silva a baixar mais no terreno e a transportar a bola, libertando depois os colegas. Até ao intervalo o Porto foi melhor e conseguiu 3 oportunidades claras de golo, não aproveitadas.

No segundo tempo a formação portista volta a entral mal, o jogo torna-se ainda mais violento e partido. A qualidade de jogo do Porto agrava-se com as substituições feitas por Capucho. O Porto precisava de velocidade pelas alas, mas quem entrou para o lugar do extremo Ivo foi Belinha, um médio que tem deixado muito a desejar esta época.

Raul, um extremo rápido entrou demasiado tarde, ainda a tempo de assistir Rafa para o golo do empate.

Fica a sensação que hoje foi um dia infeliz para o técnico portista, que não toma as melhores opções. Resta agora esperar que o adversário de hoje escorregue na última jornada.

Nota ainda para a vergonhosa transmissão do canal da palhaçada. Só repetiram os lances que seriam favoráveis à equipa da casa e teceram comentários facciosos durante todo o jogo.

Nota também para uma arbitragem desastrosa, que embora não tivesse favorecido nenhuma das equipas, promoveu o jogo violento, não mostrando os cartões necessários nem assinalando faltas evidentes.

Finalmente, foram absolutamente lamentáveis os confrontos e agressões no final do jogo. Uma vergonha para as duas instituições.


Análise Individual:

Kadu - Tem culpas no 1º golo ao hesitar na saída da baliza. De resto, esteve seguro. É expulso já no final do jogo depois de confrontos entre as 2 equipas.

Victor Garcia - Ganhou e perdeu lances junto à linha. É um jogador limitado tecnicamente, mas "compensa" com agressividade e disponibilidade para o jogo.

André Ribeiro e Bruno - A dupla de centrais mostrou grande insegurança face à velocidade dos atacantes adversários. Várias vezes foram ultrapassados e mostraram debilidades de posicionamento.

Rafa - Um jogo seguro a defender. Não mostrou a mesma disponibilidade a atacar, embora tenha sido dele o golo do empate.

Tomás - O jogador mais consistente do meio campo. Cobriu a sua zona com classe.

Leandro - Foi esforçado e tentou sempre colocar o seu forte remate. Um jogo de nível suficiente.

Francisco - Sempre ausente do jogo. Não foi eficaz na pressão e com bola complicou em demasia.

Ivo - Muito ausente do jogo e com pouca intensidade. No entanto, nos poucos momentos em que teve a bola defeniu sempre bem, como no lance em que vem para dentro e remata colocado aos 25 minutos.

Gonçalo Paciência - Uma sombra. Deslocado do seu lugar e remetido para uma ala, nunca foi capaz de fazer a diferença.

André Silva - MVP. Não, não fez tudo bem. Perdeu bolas, defeniu mal algumas jogadas, mas foi sempre ele que TENTOU, mostrou garra e determinação, caiu e levantou-se, esteve em todo o lado. Deu a sensação que só ele percebeu a importância deste jogo.

Belinha - Não acrescentou nada.

Graça - Não acrescentou nada.

Raul - Acrescentou velocidade e deu profundidade ao jogo. É dele a assistência para o golo do empate e mais uma série de cruzamentos perigosos. Começa a ser um mistério a sua pouca utilização.


Por: Prodígio 
Enviar um comentário
>