domingo, 12 de maio de 2013

FC Porto 6 - 4 Réus - Estamos na final four!!




Perante um Dragão Caixa cheio e vibrante, o nosso clube apurou-se para a final four da Liga Europeia






Ainda não há decisão sobre onde decorrerá - provavelmente será anunciada dia 15 - mas há a possibilidade de ser disputada no Dragãozinho (galinheiro e Valdagno também concorrem). Que sonho seria discutir este troféu em nossa casa...






Mas não nos adiantemos no tempo. 

Trazíamos uma desvantagem de 1 golo de Espanha e tudo se decidiria na recepção ao Reus. Entramos em ringue com a equipa mais  habitual. E como também é habitual fomos à procura do golo.

Após uns momentos de equilíbrio, o 1º motivo para festejar. Aos 5 minutos de jogo Pedro Moreira depois de uma jogada rápida a inaugurar o marcador. Já tínhamos recuperado a desvantagem mas não chegava, queríamos mais, queríamos ganhar...

A nossa pressão era eficaz na altura, atendendo ao adversário que era e a forma que mais procuraram foi através de remates de longe. Para quem aprecia a arte de defender certamente vibrou com a excelência da nossa equipa na defesa. Muito concentrados, solidários e pressionantes. Nesta fase e com a insistência dos espanhóis nos remates de longe, Edo brilhou. Algumas das defesas foram espetaculares.

Nós tentávamos o 2º e viríamos a conseguir pouco depois. O marcador foi Jorge Silva com uma excelente assistência de Reinaldo. Finalmente na frente!

O mesmo Reinaldo Ventura ainda poderia ter aumentado a vantagem uns minutos depois através de um penalti mas rematou ao lado. 

Estávamos a meio da 1ª parte e começa a habitual rotação. Primeiro Caio, a seguir Hélder Nunes e depois ainda Vítor Hugo.

Embora o domínio fosse nosso nesta altura o Reus marcou. Voltava tudo à estaca zero (Aqui não há a regra de golos fora).Tranquilos, a equipa jogava bem e o público estava com a equipa.

Não foi preciso esperar muito. No minuto a seguir Reinaldo na cobrança de um livre directo marcou. Muito bem, nem lhes deu tempo para saborear.

A toada do jogo não se alterava e os maiores lances de perigo continuavam a ser na baliza da equipa espanhola. Vítor Hugo numa rotação dentro da área ainda enviou a bola ao poste. Estavam avisados, falhou uma não falha a seguinte...

E a seguinte quando chegou? No último segundo da 1ª parte, o melhor momento possível  Jogada de Reinaldo, um passe genial e Vítor Hugo a corresponder. Fantástico golo e grande forma de ir para os balneários. 4 - 1 no marcador.

Na saída para os balneários, ainda houve tempo para um jogador espanhol se desentender com alguns adeptos nossos. Já tinha ouvido falar na fúria das equipas espanholas, a azia do Reus foi a 1ª vez que assisti.




Recomeço do jogo e ataque nosso. Numa sessão de tiro ao boneco os nossos atletas conseguiram no espaço de um minuto obrigar o guardião contrário a mais que um par de defesas. 

Não marcamos. Minuto seguinte sofremos. Foi um golo estranho, parecia impossível a bola entrar ali mas o certo é que entrou no canto inferior direito da nossa baliza.

Acusamos o toque e o nosso jogo não estava nesta altura tão fluido como antes. Eles voltariam a marcar, ainda nos primeiros 5 minutos da 2ª parte, agora de penalti. mais uma vez, tudo igual na eliminatória.

Tal como no anterior empate, ela seria desfeita no minuto seguinte e novamente por golo nosso. Grande atitude e carácter dos nossos hoquistas. Pedro Moreira, o homem dos golos bonitos, numa jogada individual fez o 5 - 3.

Os adversários não percebiam, que diante daquele público e com esta equipa eles não passariam. Mas foram à luta e mérito por isso. São bons, estão em grande forma no seu campeonato e abrilhantaram muito a nossa vitória. E com muita sorte na jogada voltaram a marcar e empatar novamente a eliminatória. Foi um remate de longe que entrou de uma forma estranha na baliza de Edo Bosch. 

Mais uma vez pouco esperamos. Jorge Silva (boa exibiução) com um desvio em frente à baliza fez o 6- 4.

Faltavam 10 minutos e foram 10 minutos intensos, com muita emoção, perigo de ambos os lados. Nós falhamos a cobrança da 10ª falta deles, Hélder Nunes - um monstro na defesa - falou algumas oportunidades no ataque. Gostava de vos falar de tácticas, do jogo, das opções e das sensações nestes 10 minutos finais. Honestamente não posso. Somos adeptos do FC Porto, sofremos por ele e em momentos destes não há tacticas que resistam, há apenas o sentir do que estamos perto de conseguir. E apoiar, nunca deixar de apoiar...

Sofremos. Sim sofremos. O adversário deu luta. Mas nós GANHAMOS. 

É altura de festejar e o Dragãozinho está ao rubro. Os jogadores saltam enquanto cantam com os adeptos o "Mágico Porto".  Bonito final.

Arbitragem com um ou outro erro mas melhor do que já encontramos este ano em muitos jogos do campeonato. Fica a possível falha na contagem de faltas (teríamos 5 e não 6), a decisão absurda na nossa 9ª falta (Hélder Nunes foi tocado e foi ele que foi punido) e uma certa permissividade no 1º tempo. Nada de muito grave ou com influência como vemos.

No próximo sábado, às 15h30 novo jogo grande. Recebemos os nossos "amigos" do regime, os vermelhos, aqueles seres que se chamam Benfica. Chamem-lhes o que quiserem. Só sei que se ganharmos somos campeões.  Prevê-se mais um fim de semana de grandes emoções... VAMOS A ELES. 

Equipa e marcadores:

Edo Bosch (g.r.), Pedro Moreira (2), Reinaldo Ventura (1), Ricardo Barreiros e Jorge Silva (2)
Jogaram ainda Caio, Vítor Hugo (1) e Hélder Nunes.


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>