sábado, 4 de maio de 2013

F.C. Porto B 1-2 Feirense




Em jogo para a 39ª jornada da II Liga, a equipa B do F.C. Porto chegou ao 5º encontro consecutivo sem vencer.




Frente a uma equipa que se encontra a meio da tabela, a formação portista apresentou-se em campo sem Tozé no onze, sendo essa a principal novidade para o encontro. Kelvin e Sebá foram titulares nas alas e Edu assumiu a posição 10 da equipa, compondo o tridente do meio campo com Seri e Mikel. Na defesa destaque para a titularidade de Anderson, dadas as limitações físicas de Tiago Ferreira ao longo da semana.





O jogo começou algo confuso e com um ligeiro ascendente da equipa visitante, que logo aos 4 minutos pôs à prova Stefanovic, na sequência de um pontapé de canto.

O primeiro sinal de perigo da equipa portista nasceu também de um pontapé de canto, aos 8 minutos, com Kelvin a aparecer solto na área e a rematar por cima. Três minutos depois, primeira alteração no encontro, com Tiago Ferreira a entrar para o lugar do lesionado Anderson.

Nos minutos seguintes assistiu-se aos melhores momentos da equipa B. Edu começava a subir a qualidade do seu jogo, aparecendo muito bem entre linhas e, com esses movimentos, ajudou a elevar o jogo da equipa. Mikel e Seri jogavam quase lado a lado de forma a libertar o jovem português. Os alas, Sebá e Kelvin, mudavam constantemente de posição, caindo várias vezes no corredor central. A equipa criava vários lances de perigo pelo lado esquerdo, onde Victor Luis era um bom suporte. Foi por esse corredor que, aos 18 minutos, surgiu uma excelente oportunidade de golo, depois de boa jogada de envolvimento entre Edu e Kelvin, que cruzou para Sebá chegar ligeiramente atrasado. 

A equipa manteve este ritmo até aos últimos 10 minutos da 1ª parte. Nessa fase o Feirense voltou a criar perigo na baliza portista, com destaque para um lance em que Platini surge completamente isolado nas costas dos centrais portistas e atira ao lado.

Contudo, o golo portista chega nesta fase. Aos 41 minutos, Sebá tem uma excelente jogada individual, servindo depois na perfeição Kelvin. O brasileiro, depois de uma boa desmarcação, tira Carlos da frente e encosta de pé direito para o 1-0.

Os minutos seguintes voltaram a ser de algum ascendente da equipa do F.C. Porto, entusiasmada com a vantagem, mas nos descontos da primeira parte surgiu o empate.

Grande penalidade, no mínimo, duvidosa, cometida por Tiago Ferreira sobre Platini. Aparentemente é o avançado da equipa da Feira que promove o contacto. Jorge Gonçalves bateu o penalti empatando o encontro.



A segunda parte voltou na mesma toada do final da primeira, com alguma supremacia do F.C. Porto e logo aos 50 minutos a equipa voltou a criar perigo. Kelvin surge solto na direita, depois de passe de David, e tem um bom trabalho individual, rematando para boa defesa de Carlos.

No entanto, depois deste lance o jogo caiu em alguma monotonia. A equipa portista apresentava-se algo partida nesta fase, com a distância entre Edu e os 2 médios mais defensivos, Seri e Mikel, a aumentar, criando uma distância grande entre a defesa e o ataque.

Aos 67 minutos surge a última real oportunidade para a equipa portista. Combinação entre Kelvin e Edu, com o brasileiro a ter um excelente remate cruzado a passar perto do poste, já dentro da área adversária. 

Nesse mesmo minuto Rui Gomes lançou Tozé para o lugar de Edu, que se apresentava já algo desgastado e a equipa ressentia-se disso. Em teoria, uma boa alteração, até porque Tozé apresenta muito melhores condições para ser o 10 desta equipa (papel entregue a Edu). No entanto, a equipa não apresentou melhorias, continuando os sectores pouco ligados nesta fase. Aos 74 minutos foi Sérgio Oliveira a entrar para o lugar de Seri, também algo fatigado, mas logo no minuto seguinte o Feirense chegou ao 2-1. O mesmo Sérgio Oliveira perde a bola infantilmente numa zona de construção e Pires apareceu solto no lado esquerdo do ataque, fazendo um cruzamento/remate que foi desviado por Mikel antes de entrar na baliza de Stefanovic.

A equipa não mais se encontrou depois deste momento, sendo que até ao final do encontro foi mais perigosa a formação da Feira do que o F.C. Porto, com destaque para um bom contra ataque conduzido e finalizado por Rafa, que rematou por cima da baliza.

O encontro chegou ao fim sem a equipa portista conseguir sequer reagir ao golo sofrido aos 75 minutos, algo que demonstra bem a incapacidade da equipa na 2ª parte.

A época está prestes a terminar e esta equipa vai-se fixando nos lugares médios da tabela, mas a verdade é que se encontra novamente num mau momento. São 5 jogos consecutivos sem ganhar e a qualidade vai baixando, devido à quebra de confiança dos jogadores, que oscilam muito de rendimento durante os encontros. Este mau período coincide, também, com a ausência de Pedro Moreira por lesão, algo que certamente tem enorme influência no mesmo, principalmente devido ao excelente momento de forma que o médio português apresentava. Aliado a isto, a arbitragem voltou a não ajudar.




Análises individuais:

Stefanovic: Sem culpa nos golos, este seguro quando foi chamado a intervir;

David: Demasiado permissivo a defender, o seu flanco foi sempre o escolhido para os ataques dos homens do Feirense, tendo os golos nascido desse mesmo flanco;

Victor Luis: Não comprometeu a defender, foi sempre um apoio importante nos lances ofensivos da equipa, principalmente na 1ª parte;

Anderson: Lesionou-se nos primeiros minutos do encontro, tendo sido substituído logo aos 11, não sendo factor no jogo;

Zé António: Jogo sóbrio mas seguro do capitão, que não comprometeu em nenhum momento. Tentou dar uma ajuda no ataque nos momentos finais, mas desta vez não conseguiu ser decisivo;

Mikel: Entrou mal no jogo, algo perdido e inseguro. A sua exibição foi em crescendo na 1ª parte, mas voltou a terminar a um nível menos bom. Teima em não retomar a subida de rendimento que apresentou nos primeiros meses da equipa B;

Seri: Jogou ao lado de Mikel, mas com ordens para subir quando a equipa tinha a bola, assumindo-se como o primeiro construtor de jogo. Bom jogo até se esgotar fisicamente;

Edu: Primeira meia hora de grande nível, baixou o nível no restante tempo de jogo, mas sempre em bom plano. Assumiu o jogo da equipa, apareceu muitas vezes entre as linhas defensivas do Feirense, sendo o principal municiador da equipa no melhor momento do jogo. Saiu esgotado;

Kelvin: O melhor em campo, num prémio que também cabia bem a Edu. Irreverente, criou sempre bastantes desequilíbrios. Além do golo, teve pelo menos mais 3 excelentes ocasiões para marcar e tentou servir os colegas em vários lances;

Sebá: Começou muito mal, trapalhão no ataque e completamente desinteressado na defesa, não ajudando David e deixando que o lado direito da equipa parecesse uma avenida. Foi subindo de nível, acabando a primeira parte em grande, com uma fantástica jogada no lance do golo de Kelvin e boas arrancadas pelo corredor direito;

Caballero: Infeliz no primeiro toque, nunca virou a cara à luta. É um jogador com grande agressividade (no bom sentido da palavra), mas que ainda está muito desenquadrado da equipa e do futebol europeu;


Tiago Ferreira: Entrou muito mal no jogo. Além do lance do penalti, esteve sempre muito inseguro a sair a jogar;

Tozé: Pouco se notou a sua entrada, o que diz muito para um jogador que tem sido o grande destaque desta equipa. Tem de ser titular, mas hoje não foi a sua tarde;

Sérgio Oliveira: Péssima entrada em campo. Na primeira vez que tocou na bola, perdeu-a e o lance deu golo do Feirense. A partir daí a equipa não mais se encontrou e Sérgio não foi dos mais esclarecidos.


Por: Eddie the Head

Enviar um comentário
>