quinta-feira, 21 de março de 2013

FC Porto 8 - 2 HC Braga - Venham os oitavos








Num jogo com um Dragão Caixa bastante despido de público, o FC Porto venceu confortavelmente o Braga, apurando-se assim para os oitavos de final Da Taça de Portugal. Nesta fase a nossa equipa receberá o Sporting, provavelmente a 24 de Abril.




Como já vem sendo habitual na recepção aos adversários, o FC Porto entrou a dominar, tentando uma circulação de bola que lhe permitisse encontrar boas situações para finalizar. Ao invés, o Braga tentava fechar-se e sair rápido no contra golpe.

Foi um inicio morno, jogado a um ritmo não muito rápido. Talvez por isso as situações flagrantes eram raras e na maioria das vezes eram nossas. O Braga conseguiu sair rápido algumas vezes com perigo, chegando a criar duas situações de vantagem numérica em contra-ataque. 

Apenas aos 9 minutos a situação mudou. Se o Braga jogava fechado, o tiro exterior era uma solução. Foi o que fez Pedro Moreira com sucesso. 

O golo inaugural teve o condão de libertar a nossa equipa e os lances de perigo eram agora mais frequentes. Nos momentos seguintes ao golo inaugural atiramos ao poste e tivemos no minimo uma situação de penalti que não foi assinalado. A dupla de arbitragem entendeu que foi simulação. Defensivamente também acertamos nas marcações e a baliza de Nelson Filipe raramente era atacada.

Contudo apenas ao minuto 16 faríamos o segundo. Numa jogada rápida Vitor Hugo ultrapassou o veterano Guilherme Silva com mestria e fez o seu 1º golo da noite. O 3º surgiu de penalti, convertido pelo inevitável Reinaldo Ventura, um especialista neste tipo de lances.

Ao intervalo o resultado era 3 a 0. 

A etapa complementar começou da melhor forma possivel. Bastaram 10 segundos e Caio (muito activo e a rematar com frequência) aumentava a vantagem. Reinicio espetacular. Reinaldo (à 2ª tentativa) e novamente de penalti voltou a facturar um par de minutos depois.




Estava ganho e talvez um certo relaxamento prejudicou o nosso jogo. Continuávamos a atacar muito mas agora nem sempre da melhor forma e assistimos a alguns remates forçados. O Braga aproveitou e reduziu a desvantagem. Primeiro numa infelicidade de Nelson Filipe, depois num desvio em frente à baliza. Bem Tó Neves neste período a solicitar um desconto de tempo para reorganizar o nosso jogo.

Esse desconto de tempo resultou embora não totalmente. Defensivamente o adversário deixou de criar perigo mas no ataque a capacidade de finalização continuava desaparecida. Surgiu apenas num novo penalti, desta vez convertido por Ricardo Barreiro (novamente na 2ª tentativa). 

Faltavam apenas 2 minutos quando o benjamim Helder Nunes num bom remate fez o marcador funcionar de novo. No último minuto Vitor Huga a finalizar bem um penalti colocou o placar no 8 - 2 com que chegaríamos ao fim.

Um nota positiva para a equipa do Braga que melhorou muito desde a sua anterior visita e tentou criar problemas à nossa equipa.

A arbitragem foi um contínuo erro num jogo tremendamente fácil de arbitrar. Com queixas para ambos os conjuntos. Se nós não tivemos algumas faltas, incluindo penaltis ( a 1ª falta do Braga foi apenas aos 20 minutos!!!) a nosso favor assinaladas, o Braga pode queixar-se do excesso de zelo da dupla que mandou repetir os penaltis por falha de Guilherme Silva. Este depois de uma repetição, simulou uma lesão para ser substituido e levou o único azul do jogo. 

Segue-se novamente o campeonato com a visita ao pavilhão do Gulpilhares. Prevê-se uma vitória tranquila frente ao último classificado, que passa por uma grave crise financeira e tem jogado com os júniores.

Equipa e marcadores:

Treinador: Tó Neves
5 inicial: Nélson Filipe (gr), Pedro Moreira (1), Reinaldo Ventura (2), Ricardo Barreiros (1) e Jorge Silva
Jogaram ainda: Caio (1), Tiago Losna, Vítor Hugo (2) e Hélder Nunes (1)


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>