sábado, 9 de março de 2013

FC Porto 5 - 3 Barcelos - Difícil mas justo



 O FC Porto recebeu e venceu por uns justos mas curtos 5 - 3 o OC Barcelos na 22ª jornada, mantendo-se assim a depender de si próprio para reaver o título de Campeão Nacional.

Num Dragão Caixa bem composto os nossos atletas entraram em ringue com o pensamento apenas na vitória. Com o 5 esperado e habitual, excepção a Edo pelos motivos conhecidos, o ataque à baliza adversário fez-se desde o 1º segundo. Aos 6 segundos logo um remate da nossa equipa. Estava dado o mote.








Sempre à procura de uma brecha para um remate de longe ou à procura do jogo interior, com uma troca de bola segura num constante passa e vai o FC Porto marcou logo aos 3 minutos por Ricardo Barreiros num remate fortíssimo em zona frontal à baliza embora ainda a uma distância considerável  Vantagem conquistada cedo, um bom inicio que prometia uma tarde goleadora dos nossos craques. Contudo, não foi isso que aconteceu.





Dominávamos o jogo mas estávamos longe de o controlar. O Barcelos pressionava alto e de forma apertada e beneficiando de uma arbitragem permissiva conseguia anular o poderio ofensivo dos Dragões. No nosso ataque falhava sempre o último remate ou o último passe. Na defesa permitíamos que o Barcelos conseguisse espaço e tempo para o remate. Não sofremos nestes minutos devido ao acerto de Nelson Filipe que ia parando tudo o que surgia. 

Nada mudou até às primeiras trocas de Tó Neves. Como habitualmente a meio desta 1ª parte a equipa começou a rodar. E essas mudanças começaram a resultar. Mostrávamos uma maior capacidade defensiva, utilizando as mesmas armas que o adversário, uma maior pressão e cada vez mais rápida  O perigo para a nossa baliza começava a ser cada vez mais esporádico. Ofensivamente podemos resumir esta segunda metade da parte inicial como tiro ao boneco. Foram tantos remates efectuados que por um motivo ou outro não entraram. Bolas ao poste foram duas, remates uns centímetros ao lado foram na casa dos 2 dígitos  remates defendidos idem. Boa atitude, faltou um pouco de sorte.

E eis que, contra a corrente do jogo e numa falha grave da nossa equipa concedemos o empate. Um jogador do Barcelos faz falta, recebe o respectivo azul e livre direto a nosso favor. Hélder Nunes não consegiu marcar. O adversário (com menos um jogador) recupera a bola, lança o ataque e marca. Incrivel!

Ao intervalo este empate era injusto pelo que fizemos mas fomos penalizados pela falha monumental que tivemos.

A 2ª parte trouxe os jogadores que começaram o jogo e a mesma vontade. Apenas uma diferença. Começamos a acertar. Rei(naldo) marcou um golo espetacular logo no início. Conseguiu ficar isolado perante o guarda-redes adversário e com uma técnica brilhante colocou a bola por cima deste. O mesmo Reinaldo ainda falhou um penalti neste período.


Ainda não seria o distanciar definitivo pois pouco tempo depois concedemos novo empate. Tranquilo, faltavam 18 minutos, estávamos bem e era uma questão de tempo até nos distanciarmos novamente.

E foi Jorge Silva quem o conseguiu depois de uma grande jogada colectiva. Bola ao centro, recuperação da bola e desta vez Barreiros a concluir. Finalmente alguma justiça no marcador e uma vantagem maior que um golo. 

A equipa estava bem mas o público estava calmo. Nada que um azul ridículo ao nosso capitão não mudasse. Absurdo este azul, tantas faltas piores que foram cometidas. Na bola parada respectiva o coro de assobios foi enorme. Excelente resposta, quando é preciso sabemos como reagir. E já agora, eles falharam.

A nossa equipa, ao contrário do que aconteceu com o Barcelos, acertou. Caio, de penalti fez o 5 - 2. Boa execução numa picadinha muito bem executada. 

O jogo encaminhava-se para os 10 minutos finais e, pese a vantagem, ainda não estava ganho. Foi preciso suar e defender. Fizemos-lo com acerto, mesmo com um golo sofrido a 6 minutos do fim. Tó Neves ainda fez reentrar Ricardo Barreiros e Jorge Silva para segurar completamente o jogo.

Seguros a defender e com precisão no passe, era só esperar pelo acabar do tempo de jogo. A 3 segundos do final ainda falhamos novo penalti.

O próximo desafio para o campeonato será contra o Gulpilhares, numa curta viagem até Vila Nova de Gaia e espera-se um jogo tranquilo. 


Equipa e marcadores:

Treinador: Tó neves

Cinco inicial: Nélson Filipe (gr), Pedro Moreira, Reinaldo Ventura (1), Ricardo Barreiros (2) e Jorge Silva (1)
Jogaram ainda: Caio (1), Tiago Losna, Vítor Hugo e Hélder Nunes


Por: Paulinho Santos

Enviar um comentário
>