domingo, 17 de março de 2013

Águas Santas 29 - 35 FC Porto - Entrada em grande




O FC Porto visitou e derrotou o Águas Santas por 6 golos, mantendo assim a caminhada 100% vitoriosa nesta fase final e o comando no campeonato. 







Com muito público portista nas bancadas do pavilhão maiato, o conjunto de Obradovic fez por merecer o intenso apoio desde os primeiros segundos. Foi uma entrada em grande estilo. Logo aos 30 segundos Pedro Spínola fez o tento inaugural e dava uma vantagem que nunca mais perderíamos até ao apito final.





Com uma defesa concentrada e muito pressionante, com saídas muito bem conseguidas para o contra-golpe e uma boa capacidade de finalização nestes primeiros minutos, cedo a vantagem dos tetracampeões se tornou substancial. Depois do já referido golo de Spínola, Gilberto e Tiago Rocha por duas vezes também o conseguiram. Um parcial de 4- 0 a abrir e um resultado de 6 - 1 no final dos primeiros 5 minutos. Excelente inicio.

A defesa em 5 - 1 do conjunto visitado não conseguia parar o nosso elevado ritmo e o guarda redes mostrava-se impotente para travar os fortes remates da nossa 1ª  linha. No lado oposto do campo assistimos a uma realidade totalmente diferente. Os atletas portistas nunca proporcionaram situações de fácil remate e quando o permitiam a eficácia de Laurentino foi altíssma.

Era impossivel, até para atletas da qualidade dos nossos, que tivéssemos os 60 minutos com tal superioridade. O que era dificil, embora não impossivel, era manter sempre esta diferença de 5 golos no marcador. E se não era impossivel, os nossos fizeram-no. 

Os restantes 25 minutos deste primeiro tempo foram um agradável espetaculo de andebol. Até ao intervalo a cada golo maiato os nosso respondiam na mesma moeda. Quando por qualquer motivo não marcávamos num ataque, na jogada seguinte também não o sofríamos. E nesse aspecto, se toda a defesa esteve sólida um nome se destacou, Laurentino. No total fez 3 defesas a livres de 7 metros (duas neste primeiro tempo). Além disso defendeu remates de 1ª linha e até remates isolado. Está em grande forma e continua a mostrá-lo semana após semana.

Ao intervalo o marcador mostrava o resultado de 18 - 12 para o nosso emblema. Grande 1ª parte.

Os primeiros minutos da etapa complementar foram uma cópia fiel do inicio do jogo. Uma enorme entrada, desta vez com um parcial de 3 - 0. Desta vez os marcadores iniciais foram Wilson (grande jogo, sempre muito activo), Elias (voluntarioso e abnegado como sempre, de reter um sprinte até à defensiva para recuperar a bola, embora com uma ou outra falha na finalização) e Ricardo Moreira (a precisão de sempre, seja na conclusão dos contra ataques ou na marcação de 7 metros).

Sentia-se que estava ganho e não era engano. E talvez por isso tivemos uns períodos de desconcentração, não muitos felizmente e que nunca colocaram em causa a nossa superioridade e nem sequer permitiu uma recuperação no marcador. Concedemos alguns golos à 2ª linha maiata e no ataque um par de falhas técnicas. Nada de grave, a festa na bancada podia continuar.

O resultado final de 6 golos mostra isso mesmo. Uma vitória tranquila.

A arbitragem não foi das piores, embora a tolerância e a demora em levantar o braço para jogo passivo no ataque do Águas Santas tenha sido evitável. 

No próximo fim de semana, segue-se a recepção ao Sporting. Sábado, às 17h30 vamos encher o Dragão Caixa para ajudar nesta caminhada rumo ao inédito penta. Estes atletas merecem-no e já faltam poucas batalhas até ao objectivo.

Equipa e marcadores:

Treinador: Obradovic

Sete inicial: Hugo Laurentino (g.r.), Gilberto Duarte (6), Wilson Davyes (7), Tiago Rocha (4), Elias Nogueira (4), Ricardo Moreira (4) e Pedro Spínola (5). 
Jogaram ainda: Alfredo Quintana (g.r.), João Ferraz, Filipe Mota (5) e Daymaro Salina



Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>