quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O Gongo!



E o gongo por bem soou
Ao minuto noventa e três
E o Orelhas adornou
A efeméride, por sua vez!

Também sabemos ganhar
Nos descontos, a preceito
Contr’o Gil, a dobrar
Pr’o Luisão encher o peito!

Desta vez não foi o árbitro
Foi a massa associativa
Pr’a não se perder o hábito
Duma entrada sem saída!

São filhos de sua mãe!!!
Diz o Capitão dessa nau
Onde não falta ninguém
Nem o perneta-de-pau!

Esse cara d’Emplastro
O caceteiro do bando
Que fez figura de casto
Depois de ter-se nefando!

E nisso estava Jesus
Nesse suspiro de boca
Que, desprendido da cruz
S’aligeirou nessa troca!

Toma lá um beijinho
Pr’o sedimento do espírito
Ainda qu’este grupinho
Só alcance vitórias de Pirro!

E rufando tambores
S’anunciou a vitória
Uma conquista, com dores
Vale mais qu’a escapatória!

Assim é que se ganha moral
Na beira do precipício
Um passo mais e, tal e qual
Tudo volt’ao início!

Lá se inicia outro ciclo
Qu’este se dá por finado…
Que nisto se mont’o circo
C’o leão bem esfaimado…

E o gongo vai soar
De novo, pr’o anúncio
O Jesus? A’ndar!
Qu’o Tacuara é trunfo!




Por: Joker
Enviar um comentário
>