quarta-feira, 21 de agosto de 2013

MST



MST

Um Portista do Marão
Da terra de Pascoaes
Trata tod’a informação
Com referências iguais

Mas o Miguel é irreverente
Dividido entr’as latitudes
E não é coerente
Em tod’as atitudes

Já o vi advogar
A destituição do Presidente
Num processso, qu’a estudar
Se mostrou inconsequente!

E sei que bem escreveu
As incongruências do processo
No que mais força, teceu
Esse apito desconexo!

Por isso não faz sentido
Defender a destituição
Pra depois se mostrar convencido
Da sua falta de razão!

E no que concerne à estrutura
A sua injustiça é igual
Dos jogadores, da cultura
É seu crítico banal!

Tudo lhe faz confusão
Nesses seus ódios mesquinhos
E o Varela é a razão
Dos comentários mais comezinhos

Bem sei que bem lhe pagam
Para encher-se de crónicas
Nessa “Bíblia”, onde se safam
A criticar-nos com mnemónicas

Nisso, é uma lança em África
Uma lufada de ar fresco
Nesse pasquim, onde por mágica
O nosso sucesso é grotesco!

Gabo-lh’o desassombramento
A coragem de pensar
Na escrita, tem talento…
Mas não é desporto, o caçar!

Fala do alto d’um elitismo
Que nã’o granjeia em razão
Adepto desse facilitismo

Tanto diz sim, como não!




Por: Joker





Enviar um comentário
>