terça-feira, 13 de agosto de 2013

Beira-Mar 2 - 3 FC Porto B - Vitória com reforços

Ganhar, integrando






Apenas dois dias depois do jogo da Supertaça, uma equipa do FC Porto regressou a Aveiro. Desta vez foi a equipa B, logo, um jogo com outras caracteristicas, outros objectivos e uma "guerra" diferente. Trouxemos novamente uma vitória neste arranque da II Liga.

Luís Castro dispôs nesta jornada de reforços da equipa principal, sobretudo no meio campo. A baliza esteve entregue a Kadu, um jogador que treina com a equipa principal e jogará nesta. A defesa foi o único sector exclusivamente de elementos que treinam neste conjunto. O meio campo foi o contrário e de luxo. Herrera, Carlos Eduardo e Tiago Rodrigues. O ataque contou também com um "reforço", Ricardo. A acompanhá-lo Tozé e Caballero.

A disposição táctica foi similar à que vimos sábado na Supertaça. Herrera a fazer de Fernando, mais fixo e preocupado com o equilibrio. Carlos Eduardo a acompanhá-lo, embora com mais liberdade e com responsabilidades na primeira fase de transição. Tiago mais adiantado em relação a estes dois.

Perspectivava-se um jogo complicado. Nós, no nosso primeiro jogo, eles já em competição após os jogos na Taça da Liga. Nós com jogadores que não treinam juntos e os que treinam começaram mais tarde. Eles a treinarem diariamente com os colegas. 

Foi um início de jogo muito morno. Ritmo lento, poucas ou nenhumas oportunidades, respeito de parte a parte. De relevante apenas um factor. Carlos Eduardo era o homem encarregue das bolas paradas.

O primeiro lance de perigo surgiu já depois do vigésimo minuto através de uma falha nossa. Falha de Tiago Ferreira, mau domínio e posterior escorregadela com Kadu a emendar o erro do companheiro. Uma boa defesa.

O nosso jogo ofensivo não funcionava. Muito centralizado, pouco apoio dos laterais e extremos escondidos. Resultava numa enorme aglomeração de jogadores no corredor central, pelo que rara era a jogada que não perdêssemos a bola ou que ressaltasse em algum adversário. Apenas de bola parada conseguimos alvejar a baliza contrária. Tiago Ferreira ainda marcou num desses lances mas estava em fora-de-jogo.

À passagem da meia hora de jogo, golo deles. Nova infantilidade de Tiago Ferreira. Um atraso para o guarda-redes que saiu curto. Este ainda chegou primeiro que o avançado aveirense mas este ganhou o ressalto e não teve dificuldade em marcar. Tiago Ferreira já cometeu erros no passado que nos criaram dificuldades. Urge corrigi-los para confirmar o valor que lhe é reconhecido e que tem. 

Curiosamente, o golo sofrido acabou trazer beneficios ao nosso futebol. Melhoramos, ainda que ligeiramente. Subimos as linhas, pressionamos um pouco mais alto. Tínhamos muita posse de bola (chegamos ao intervalo com quase 70%) mas ainda faltava dinamismo. Apenas um ou outro fogacho, como um remate de longe de Tiago Rodrigues.

Sendo assim, as bolas paradas continuavam a ser a nossa melhor hipótese para igualar. Foi o que aconteceu. Um canto curto, centro de Ricardo e Zé António a finalizar.

Estávamos perto do intervalo e nada se alterou até lá.  







Na segunda parte entrou outra equipa. Com os mesmos jogadores é certo, mas uma equipa com intensidade superior e sobretudo a criar perigo.

Entramos bem. Destaque para uma jogada de Herrera. Foi fenomenal. Com a bola ainda antes do meio campo, passou por 3 ou 4 adversários e ainda cruzou milimetricamente de perna esquerda para Caballero. Não foi golo, mas merecia.

Debrucemo-nos sobre o interveniente deste lance, Herrera. Hoje fez de médio mais fixo. Não é assim que mais rende. Herrera é um jogador que se destaca com um raio de acção alargado, que galga metros, que arrisca. Fez isso durante alguns períodos neste reinicio de partida e foi o melhor. Tem classe. Ora um médio assim a trinco perde-se e torna-se arriscado como veremos mais à frente. Entende-se hoje a sua utilização aí. Está em adaptação e precisa de perceber as dinâmicas, além que ganhou ritmo.

Na teoria terá tudo para dar certo com Fernando, pois complementam-se. O Polvo, esse sim, com uma raio de acção mais pequeno e que domina inteiramente essa zona. Herrera complementa-o. Pressiona, dando tempo à equipa para se posicionar, sai bem a jogar e tem um enorme pulmão e dinamismo. Veremos na prática...

Mas voltemos ao que se passou hoje. Como referido, estávamos diferente. Maior largura no jogo, o avançado a ser mais solicitado, os criativos mais presentes na organização.

Trouxe frutos logo aos 60 minutos. Herrera, num dos tais lances em que subiu, passou bem  para Tozé, que dentro da área desferiu um tiro cruzado. Golaço!!!!

Melhor ainda o que se passou 2 minutos depois. Livre sobre a direita de Carlos Eduardo e Tiago Ferreira a desviar ao 1º poste. Foi um lance igual ao anulado na 1ª parte, mas este contou. 3 - 1, bom resultado.

Esta vantagem mais tranquila durou pouco. Erro do mexicano na saída, passe interceptado e golo deles. Kadu não teve hipóteses. Ali não pode arriscar.

Ambas as equipas sentiram os golos em cadadupa. Tornou-se um jogo confuso. Inconsequente de parte a parte, muitos passes falhados. No que nos interessa, abusamos dos lançamentos longos e reveláva-mos uma má gestão da posse.

O treinador aveirense arriscou, a defesa deles era apenas de 3 jogadores, mas nem isso aproveitamos, mesmo o treinador tendo feito entrar gente fresca para o ataque como os talentosos júniores Ivo e André Silva.

Final do jogo. Alguns bons momentos para jogo inaugural, uma vitória importante para começar a cimentar uma boa classificação (fomos a única B a vencer e na época passada a 1ª vitória foi apenas à 7ª jornada). 

Últimas palavras para o treinador Luís Castro que se estreou no nosso banco, embora já estivesse no clube. Treinador competente, com experiência na 1ª divisão e que esteve muito interventivo. Sinais positivos. De elogiar também as declarações no final, quando se refereiu ao Porto A, B e Juniores como uma equipa ao serviço do Futebol Clube do Porto.  






Análises individuais:

Kadu - Pouco lesto na saída que resultou no 1º golo embora não seja o que mais errou no lance. De resto seguro. Precisa de continuar a evoluir, sobretudo no posicionamento.

Vitor Garcia -  Consistente na defesa e com poucas subidas, embora com bons pormenores.

Tiago Ferreira - Algumas boas acções defensivas. Borrou a pintura com dois erros inaceitaveis a este nivel. Bem nos lances ofensivos, marcou um belo golo.

Zé António - O patrão da defesa, o porto seguro no meio da juventude. bem posicionado, faz-se valer da experiência para cortar muito perigo. Marcou um golo.

Quinonez - Tentou subir mas nunca desiquilibrou. Chegado ao último terço do terreno não conseguiu aproveitar o espaço que as movimentações para o meio de Tozé abriam, não arriscava no 1x1. Cruzava de longe e não lhe saiu bem. 

Herrera - Hoje a 6 que não o favoreceu. Embora seja um jogador de processos simples arrisca no passe, o que não é aconselhavel a quem joga na cabeça da área. O 2º golo do adversário surge num erro desses. Quando teve ordem para se soltar, teve grandes jogadas e até defensivamente sobressaiu. Pressionou bem, teve desarmes e intercepções de bom nivel.

Carlos Eduardo - recuou sempre para iniciar a 1ª fase de transição. Não brilhou mas raramente errou um passe. Mostrou argumentos na cobrança de bolas paradas. Talvez por fadiga, resguardou-se nos últimos minutos e saiu menos da zona do meio campo. Revelou falta de intensidade defensiva. 

Tiago Rodrigues - Apagado para o que sabe. Foi vitima da letargia colectiva em alguns momentos do jogo. Pouco em jogo, ainda assim cumpriu e mostrou pormenores. Um bom remate aos 39m de muito longe que quase dava golo.

Ricardo - Fez o centro para o 1º golo mas não se destacou. Devia ter aproveitado melhor o facto de ter "amarelado" o lateral muito cedo. Com a defesa a 3 do adversário não conseguiu criar perigo. Terminou na esquerda.

Tozé - tal como Tiago Rodrigues sabe fazer melhor. também não se escondeu, tentou ter jogo mas raramente lhe saiu bem. O ter jogado a partir da ala também não o favoreceu. Um grande remate que deu o 2º golo foi o único momento "Tozé" que conseguiu. E que momento!

Caballero - Pouco em jogo e pouco solicitado na 1ª parte. Mostrou boa técnica e movimentações interessantes. Quando estava a aparecer mais em jogo foi substituido.

Ivo - Substitui Caballero e foi para a zona central. Como a última meia hora teve muitos momentos de futebol inconsequente não dispôs de muito jogo. Contudo, mostrou vontade, fisico e bom dominío da bola.

André Silva - Entrou para o lugar de Tozé aos 76m. Tal como o colega entrado antes teve pouco jogo. Ainda ensaiou um ou outro raide em velocidade mas não conseguiu. 

Tomas - entrou nos descontos.    



Equipa e marcadores:

FC Porto B: Kadú; Victor Garcia, José António (cap.), Tiago Ferreira e Quiño; Herrera, Tiago Rodrigues e Carlos Eduardo; Tozé, Caballero e Ricardo
Substituições: Caballero por Ivo (61m); André Silva por Tozé (77m); Tiago Rodrigues por Tomás Podstawski (90+3m)


Marcadores: Rafael Batatinha (29m), José António (44m), Tozé (60m), Tiago Ferreira (62m), André Sousa (66m)


Por: Paulinho Santos



Enviar um comentário
>