sexta-feira, 30 de agosto de 2013

COI

comité olimpico


Estava’o movimento Olímpico
Preparado pr’a ganhar
Umas medalhas, do tipo
D’ouro, e de prat’a bombar…

Quando, eis, que se lembra
Qu’a Instituição do país
Já há muito que não tenta
Uma participação desse cariz

Pois nesse sopro final
C’a meta no horizonte
Acaba sem fôlego real
E nas medalhas, s’esconde…

Porqu’a prata não lhe serve
O segundo é o último
E Instituição que se preze
Tem no pódio, o seu púlpito!

E o Presidente do COI
Relembrando esse facto
Releva a ferida que dói
Pondo a nu o aparato!

Qu’a culpa já todos sabemos
É de quem se serve da glória
Do passado, qu’estes tempos
Já revelam outra história!

E não se sentindo medalhado
O Presidente da Instituição
Tem nesse discurso lavrado
O seu sentido d’objecção!

Qu’isto não pode ser
Onde está a imparcialidade?
Do COI vir-se meter
C’a nossa mediocridade?

E os adeptos dispersos
Não podem emitir opinião
Mesmo benfiquistas confessos
São forçados à demissão!

Um Comité Olímpico?
O qu’é isso junto da Instituição?
Somos  os maiores, isso é limpo
Que Portugal por Nação!

E sozinhos podemos ter
Uma bandeira nesses jogos
O benfica é o Poder
E vence medalhas a rodos!

Sejam Americanos ou Russos
Chineses, Alemães… o que fôra!
Conseguem vencer-nos nos usos
Dos tempos da outra senhora!

A nossa bandeira ondula
Em proeminência nacional
E o benfiquismo postula
A grandiosidade de Portugal!

Não temos movimento Olímpico
Enquant’a Instituição não vencer
Medalhas? É indistinto…
De qualquer liga se not’o mau-perder!




Por: Joker
Enviar um comentário
>