segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Segunda Liga: FC Porto B - Covilhã (Antevisão)








Depois de mais uma paragem no campeonato devido a jogos de apuramento para o Campeonato do Mundo 2014, o FC Porto "B" recebe nesta quarta-feira o Covilhã, num desafio aguardado com expectativa até porque os dragões encontram-se a um ponto da formação serrana e assim um triunfo possibilitaria ultrapassar este adversário na tabela classificativa.





O Covilhã apesar do mau arranque não é de todo das equipas mais fracas deste campeonato, sendo que a nível de qualidade do jogo não difere muito dos conjuntos que ocupam lugares superiores, pecando na materialização das oportunidades criadas ao longo de cada partida.

É verdade que o Covilhã  se costuma apresentar mais forte quando joga em casa, jogando no reduto do FC Porto tal como grande parte dos nossos adversários, é de prever uma equipa com maior preocupação defensiva, atacando pela certa e tentando aproveitar os esquemas tácticos (nessa vertente a nossa equipa não tem estado bem).

O técnico Filipe Moreira tem acima de tudo trabalhado a sua equipa no sistema 3-5-2, desdobrável para um 4-4-2, contando com diversos jogadores experientes sobretudo na defesa e meio-campo, casos de Gaspar, Edgar, Ricardo Rocha, Dani Matos ou Nené.

Desta feita, o Covilhã deverá jogar com trio defensivo formado pelos veteranos Gaspar, Edgar e Ricardo Rocha (contando ainda com o experiente Jorge Baptista na baliza), ficando Nené bastante posicional à frente da defesa, dando assim outra liberdade de movimentos e apoio ao ataque tanto a Gilberto como a Tarcísio, não esquecendo nas alas Dani Matos e Pimenta (discute o lugar com o jovem Paulo Grilo). 

Uma das dúvidas será quem acompanha o goleador Fabrício na frente de ataque até porque o brasileiro é o único intocável para esta posição, surgindo como candidatos, Adriano Castanheira (oriundo dos juniores do FC Porto), João Rodrigues ou Moreira, havendo ainda possibilidade de Carlos Manuel se juntar ao sector ofensivo, embora seja um jogador que rende mais como médio ofensivo.

No FC Porto "B", garantidamente Tozé não será opção (expulso no encontro diante do Sporting "B") e atendendo ao facto da equipa principal jogar neste dia para a Liga dos Campeões, nenhum jogador do plantel principal deverá estar às ordens do técnico Rui Gomes.





Antevisão do Treinador (www.fcporto.pt)

“Temos de continuar a crescer e a melhorar”

Rui Gomes quer uma equipa “mais forte” e sobretudo “mais eficaz” na partida da 10.ª jornada da Segunda Liga frente ao SC Covilhã (quarta-feira, 15h00, Estádio de Pedroso). Para o técnico azul e branco, a paragem do campeonato foi benéfica, mas só até certo ponto, visto que o plantel esteve bastante reduzido devido à jornada de selecções. Mesmo assim, “não há desculpas” para não ganhar.

Condicionalismos já são recorrentes

“O ideal seria trabalhar com todos os jogadores cá. Geralmente, estes períodos de paragem implicam a ausência de um conjunto de jogadores ao serviço das respectivas selecções e mais uma vez foi isso que aconteceu, com grande parte do tempo a ser passado sem metade do plantel. Só há coisa de uma semana tivemos o grupo completo e nem sempre é fácil para os jogadores passarem por patamares competitivos distintos. Nós temos o dever de os colocar todos ao mesmo nível, focados nos nossos objectivos e, felizmente, o FC Porto está habituado a lidar com isto. Na formação é assim, na equipa B é assim, no plantel A é assim. O que tentamos fazer nesta altura é sintonizar as mentes dos jogadores para o nosso trabalho e para os nossos objectivos e esperar que as coisas entrem rapidamente nos eixos.”

Objectivos: crescer e melhorar enquanto equipa

“O objectivo de solidificar ideias e métodos não acontece tanto quanto desejaríamos nestas alturas, pelos motivos referidos, embora a paragem da Taça de Portugal nos tenha permitido ter alguns dias mais para trabalharmos juntos sem competição. O ideal seria ter tido estas três semanas para isso, estando focados em nós, mas nada disto serve de desculpa. O futebol é assim, os dados são estes e é com isto que temos de continuar a crescer e a melhorar.”

Estreia de Sebá na Taça de Portugal motiva

“O facto de o Sebá ter sido utilizado na equipa principal [no jogo com o Santa Eulália] ajuda-o a ele e a todos. É uma questão de motivação e valida o nosso trabalho e todo um processo. Quanto mais isto acontecer melhor para nós, jogador e equipa, obviamente. Os colegas do Sebá tiveram a prova de que jogar na equipa A não é impossível, não é irrealizável; é algo que está ao virar da esquina e também depende deles justificar essa chamada. Foi uma óptima notícia e espero que continue a acontecer.”

SC Covilhã é adversário complicado

“Deste adversário espero o mesmo de sempre. Temos tido jogos muito equilibrados, contra equipas muito bem organizadas, que geralmente privilegiam o processo defensivo quando jogam contra nós e que nos criam por isso bastantes problemas. Perspectivo mais um jogo difícil, mas espero que consigamos arranjar estratégias para superar a organização do adversário e demonstrar um nível de jogo superior ao que temos mostrado. Reconheço que temos de continuar a crescer, porque estamos longe do nível que queremos e temos consciência de que podemos jogar muito melhor, independentemente do resultado. Crescendo ao nível exibicional teremos também melhores resultados.”

Finalização ainda é problema

“Temos sentido algumas dificuldades na finalização, mas nunca fomos inferiores e nunca criámos menos oportunidades de golo do que os nossos adversários. Tem faltado, de facto, alguma eficácia, ainda que tenhamos tido outros factores que não nos ajudaram. No entanto, a raiz do problema está em nós e somos nós que temos de fazer melhor. A partir daí, as coisas também vão correr melhor e vamos ganhar mais vezes.”



Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>