terça-feira, 16 de outubro de 2012

Depois do “Incrível”, viva o “El Bandido”







Como se costuma dizer nesta vida, tudo tem o seu próprio período de tempo e o seu momento de exposição ao mundo onde todos estamos inseridos, a diferença é que alguns vêm ao mundo para marcar um ciclo e são por nós denominados como os predestinados, em contra ciclo com os outros que passam quase despercebidos na sociedade, e no reino do futebol esta constatação é ainda mais vincada derivado ao facto se ser uma atividade muito mais mediática.





James Rodriguez, ou “El Bandido”, como é apelidado por muitos dos seus admiradores, apesar da sua juventude já que só tem 21 anos de idade, é já hoje apontado como um dos maiores talentos do desporto rei, e a sua graciosidade, juventude e talento lembra-me um pouco os tempos áureos de Paulo Futre que também marcou uma época no clube, e se é verdade que o FCP perdeu Hulk que resolvia só por si muitos problemas da equipa, e acrescentava alguma espectacularidade e magia com o seu futebol, também não será menos verdade, que com a sua saída a equipa azul e branca ganhou um colectivo que há muito não se via no FCP desde os tempos de Deco.

Com James a jogar na posição denominada de 10 e com um sistema de jogo em 4-2-3-1, o jogo do FCP torna-se de facto mais fluído, o meio campo ganha vivacidade e por vezes apresenta até lampejos semelhantes ao futebol do Barcelona, conseguindo uma posse de bola mais prolongada e com uma recuperação de bola mais avançada e eficaz, que lhe permite sair para o contra ataque com mais profundidade e perigo na baliza adversária.


Por: Natachas.

Enviar um comentário
>