sábado, 6 de outubro de 2012

Segunda Liga: Sporting B 2 - 0 FC Porto B (Crónica)



A equipa B do FC Porto voltou a encontrar o trilho da derrota. É certo que soma a quarta derrota em 9 jogos, mas já seriam esperadas dificuldades numa liga tão competitiva. 





O que não é aceitável é uma confrangedora incapacidade de impor o seu jogo e erros tão primários na construção do seu futebol, defensivo e ofensivo.

Para quem acompanha a evolução da equipa nota o agravamento de problemas que se manifestam desde os primeiros jogos.



Destaco os seguintes quatro problemas primários:

 Os índices de agressividade da equipa são ridículos. Tirando os esporádicos encostos de Mikel, mesmo esses mais por descontrolo que por matreirice, mais ninguém “bate”. Numa liga desta natureza, ter 10 jogadores de campo alérgicos a meter o pé e a disputar a bola é insano! Temos um meio campo muito passivo quando a equipa adversária está em posse.

 Esta equipa é inócua nos flancos. A defender é duma suavidade atroz, duas auto-estradas pelos flancos. A atacar apresenta uma incapacidade assustadora. Os laterais são pouco agressivos e inteligentes a defender. Os médios-ala não têm qualquer pingo de veneno a atacar e a defender são duas ausências.

 O meio campo joga muito colado à linha defensiva. O buraco que se cria para o ponta-de-lança é enorme e muito difícil de superar em progressão ou posse. A equipa não consegue montar transições. As que consegue resultam de erros posicionais do adversário.

 O FC Porto joga a passo. É tudo resultado de todas as questões anteriores. Uma equipa que não consegue recuperar uma bola que seja na transição adversária, uma equipa que não tem capacidade de desequilíbrio nos flancos e uma equipa que tem o seu meio campo colado à sua linha defensiva, jamais consegue desdobrar-se em velocidade sobre o adversário. Todas as suas unidades estão lá atrás, a tentar defender a baliza de Stefanovic. Sublinho, a tentar! Como sai o FC Porto B? Sempre em passe longos a 30 metros, para o ponta-de-lança tentar aguentar o tempo suficiente para a equipa subir a passo. Para cúmulo, a maior parte desses passes nem na área de acção do ponta-de-lança acertam!

Frente ao Sporting B, o FC Porto B ainda conseguiu somar mais um problema:

Deixou jogar à vontade o criador de jogo do Sporting B, que arrasou com a débil resistência do FC Porto B. Quando uma equipa nem consegue identificar a principal fonte de perigo do adversário, no futebol SÉNIOR e PROFISSIONAL, não há desculpa possível

Não é possível que do banco não tenha saltado essa ordem de marcação! Se assim foi, então é de bradar aos céus!

O FC Porto B não é uma equipa de formação. O FC Porto B não é uma equipa amadora. Há mínimos básicos que não estão a ser cumpridos e urge enfrentar todas estas questões. Curto e grosso, contra o Sporting B, não tivemos sequer hipótese, tão mau que foi.

Não é expectável que o FC Porto B faça um grande campeonato, nem que ganhe a maioria dos jogos. O que não é aceitável é uma produção de tal forma incipiente e com erros de tal forma básicos que façam o espectador duvidar se está a assistir a um jogo de uma equipa sénior e profissional.


Análises Individuais:

Stefanovic – Foi a melhor unidade em campo. Sofre dois golos e evita mais alguns. É o único jogador que revela capacidade para ser opção REAL para a equipa principal.

David Bruno – Bruma estava numa tarde desastrada, mas nem assim David Bruno teve uma prestação de bom nível. Muitas dificuldades em tapar o espaço entre a lateral e o centro da defesa. João Mário aproveitou, várias vezes, esse espaço para criar perigo. A atacar foi inconsequente.

Victor Luís – Muitas dificuldades defensivas e erros básicos de marcação. Nunca se entendeu com as constantes fugas de Esgaio. A atacar tentou acelerar, mas não tira os olhos do chão. Somou perdas de bola atrás de perdas de bola.

Anderson – Foi uma boa novidade. Fez a sua estreia e fez um jogo sóbrio. Faltou-lhe agressividade, mas esteve bem no posicionamento. Correcto no cumprimento da linha do fora-de-jogo.

Tiago Ferreira – Tem que assumir o seu astuto de capitão!!! Capitão do FC Porto, sobretudo a defesa central, não pode ser um sujeito passivo a tentar jogar bonito à Ronaldinho e tem que puxar as orelhas as seus mansos colegas. Tem que ser líder! É a equipa B, mas é o FC Porto! Deixou escapar Betinho vezes de mais!

Mikel – Todos já sabem a história do Mikel. Tudo muito certo, mas, 9 jogos depois, continua a jogar colado aos centrais. Nove jogos depois, continua a não ser o primeiro a lançar a equipa para a frente e a não ter a confiança da equipa e do técnico a ser a primeira unidade de construção. Não é possível! O meio campo recua o que facilita a vida ao adversário. Mikel tem capacidade técnica para ser o primeiro construtor. Se não tem essa incumbência, se não tem essa responsabilidade, então nunca irá crescer! Comparar o jogo de Zezinho e de Mikel é ver dois pólos opostos no mesmo futebol. Ainda assim, foi a melhor unidade da linha média, o que demonstra muita coisa!

Sérgio Oliveira – O seu jogo é um enigma. Fartou-se de fazer passes de 30 metros para Vion e deve ter acertado dois. Corre, mas corre de forma pouco inteligente e é muito pouco agressivo quando não está em posse. Tem grande qualidade técnica, mas tenta sempre o mais difícil que o simples. Um passe preciso e inteligente é uma raridade. O pior é que recusa liminarmente jogar em velocidade, com ou sem bola. Corre o campo num trote cansado, sempre no mesmo ritmo médio-baixo, sem qualquer oscilação face às exigências do jogo. Tem potencial para ser um grande jogador, não tem a atitude necessária. Convém que quem está próximo dele o alerte! Sejam técnicos ou familiares.

Tozé – Nunca conseguiu entrar no jogo. Não foi referência de passe ou de capacidade de remate. Engolido por Zezinho, não teve nem argumentos técnicos, nem físicos para entrar no jogo. Tem que ser mais dinâmico, mais proactivo para sobreviver no futebol sénior. Tem que ser um foco de desestabilização constante para o adversário. Se assim não for, não sobrevive.

Fábio Martins – A sua exibição é inexplicável. Não criou um único lance de perigo. Nem por uma vez chegou colocar uma dúvida que fosse na cabeça de Arias. Pior, assistiu de camarote às subidas de Arias pelo seu flanco para atazanar ainda mais a vida a Victor Luís. Teve um lance em que foi fintado duas vezes consecutivas pelo lateral colombiano e onde não faz sequer um movimento para o parar! Miserável!

Sebá – No único lance de perigo que o FC Porto B conseguiu criar na primeira parte, falhou à boca da baliza. Na segunda parte, criou um bom lance, mas a sua finalização voltou a ficar demasiado aquém para este nível. Para defender nunca apareceu e nunca foi dor de cabeça para Eric, um defesa central adaptado a defesa esquerdo. Paupérrimo!

Vion – Foi presa fácil para os centrais contrários. O meio campo hiperdistante, Sérgio Oliveira com constantes balões a errarem a sua zona de acção e dois extremos que não jogaram nada! Batalhou, fez pela vida, sozinho ainda criou alguns.


Frédéric – Comparando com Fábio Martins foi uma grande adição no jogo. Não que tenha feito um bom jogo, mas pelo menos não fugiu dele! Precisa de ser mais efectivo e melhorar muito a sua capacidade de desequilibrar.

Edú – Muita folia e pouco acerto. Entrou com a corda toda, mas sem noção da bola e do jogo. O meio campo do Sporting B limitou-se a absorver o sue excesso de energia.

Dellatorre – Mostrou que não é suplente desta equipa. Dois lances onde revelou qualidade.


O que disse o Treinador Rui Gomes:

"Em nada fomos inferiores ao Sporting" 

"Quer na qualidade de jogo, quer no número de oportunidades e na percentagem de posse de bola, penso que não fomos em nada inferiores ao Sporting. A única coisa que fez realmente a diferença foi o facto de, num jogo que não teve muitas oportunidades, o Sporting ter conseguido fazer golos e em momentos decisivos"

FICHA DE JOGO:

Sporting B-FC Porto B, 2-0
Segunda Liga, nona jornada
6 de Outubro de 2012
Complexo Desportivo de Rio Maior

Árbitro: Carlos Xistra
Assistentes: Jorge Cruz e Luís Marcelino

SPORTING B: Victor Golas; Arias, Tiago Ilori, Pedro Mendes, Eric Dier, João Mário, Zezinho, Kikas, Esgaio, Betinho e Bruma.
Substituições: Diego Rubio por Esgaio (78’), Mica por Betinho (88’), Stojanovic por João Mário (88’).
Treinador: José Dominguez

FC PORTO B: Stefanovic; David, Anderson, Tiago Ferreira, Victor Luís, Sérgio Oliveira, Mikel, Tozé, Sebá, Vion e Fábio Martins.
Substituições: Frederic por Fábio Martins (67’), Edu por Sebá (75’), Dellatorre por Vion (82’).
Não utilizados: Elói, Diogo, Pedro Moreira e Tomás.
Treinador: Rui Gomes

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Esgaio (43’) e Eric Dier (55’)
Disciplina: Amarelo a Arias (50’), Eric Dier (58’), Pedro Mendes (75’); Vermelho a Tozé (73’).



Por: Breogán
Enviar um comentário
>