terça-feira, 23 de outubro de 2012

Liga dos Campeões: FC Porto - D. Kiev (Antevisão)










O jogo da taça já lá vai e agora as atenções estão centradas no embate para a Liga dos Campeões que vai opor os bicampeões nacionais ao Dínamo Kiev, isto numa altura onde o FC Porto lidera o Grupo A com seis pontos, enquanto os Ucranianos partem para este desafio na terceira posição com apenas três pontos fruto de uma vitória (2-0 sobre o Dínamo Zagreb) e um desaire (4-1 frente ao PSG).







O Dínamo Kiev é um habitue nestas provas onde recentemente defrontou o FC Porto na fase de grupos da Liga dos Campeões (2008/2009), vencendo no Dragão por uma bola a zero (golo marcado pelo Aliyev), a equipa ucraniana poderá gabar-se de ser das poucas que conseguiu tal feito. 

No campeonato a equipa tem sido extremamente irregular e quando estamos perto do final da primeira volta (o campeonato ucraniano arrancou mais cedo), o Dínamo está a 12 pontos do líder Shakhtar.

Para "ajudar" a esta irregularidade a nível interno, no passado fim de semana o Dínamo Kiev foi derrotado em casa frente ao Metalist por 3-1, perdendo pela primeira vez esta temporada no seu reduto para o campeonato.

Devido aos maus resultado o Dínamo trocou de técnico, entrando o ex-seleccionador Oleh Blokhin, adoptando outra filosofia de jogo à equipa,  colocando a equipa distribuída num 4-2-3-1 contando como pedras chave o internacional português Miguel Veloso (jogador fundamental no modelo de jogo) e ainda Gusev, Yarmolenko ou Kranjcar. 

O Dínamo Kiev do meio-campo para a frente tem qualidade e jogadores com capacidade para resolver determinados problemas que podem ser colocados, mas defensivamente apresenta muitas limitações, apesar de contar com elementos experientes, é claramente o sector mais frágil e onde a nossa equipa poderá tirar proveitos fruto da má organização que por norma os ucranianos apresentam , não há um central que por exemplo possa sair a jogar na primeira fase de construção, os laterais gostam de subir (tanto o Taiwo como Danilo Silva ou mesmo Gusev quando é adaptado ao lugar), o que poderá causar desequilíbrios quando o FC Porto recupera a bola e inicia a transição para o ataque.

No FC Porto, comparativamente ao onze apresentado diante do Santa Eulália serão várias as mexidas a serem impostas pelo técnico Vítor Pereira, uma vez que na taça optou pela utilização das segundas linhas, infelizmente a maioria não aproveitou a oportunidade concedida. 

Sendo assim e tendo em conta ao onze mais utilizado pelo nosso treinador a grande dúvida prenda-se em quem ocupará o lado esquerdo da defesa, existindo dois fortes candidatos, Mangala (deverá ser o escolhido) e ainda Miguel Lopes.

Em caso de vitória o apuramento para os oitavos de final fica mais próximo, um objectivo que como se sabe não foi alcançado na época transacta.

Lista de convocados: 

Helton e Fabiano (guarda-redes); Danilo, Lucho, Maicon, Castro, João Moutinho, Jackson, James, Kleber, Miguel Lopes, Varela, Mangala, Abdoulaye, Fernando, Atsu, Kelvin, Otamendi e Defour.


Antevisão de Vítor Pereira (www.fcporto.pt):

"Vamos precisar de estar ao nosso melhor nível"

A exibição frente ao Paris Saint-Germain, na última jornada da Champions, serve de modelo a Vítor Pereira para a recepção ao Dínamo de Kiev (quarta-feira, 19h45). O técnico espera um FC Porto ao "melhor nível" para bater um adversário "perigoso", que ainda tem "a qualificação em aberto". Em caso de triunfo, os Dragões ficarão numa "posição muito boa" para ultrapassar a fase de grupos.

Espera recuperar uma certa imagem do FC Porto, depois de ter ficado tão agastado com o jogo da Taça, no sábado?

Estou aqui para falar na Liga dos Campeões, numa próxima oportunidade falarei da Taça. Do meu ponto de vista não há transferência entre as duas competições. Os nossos dois últimos jogos na Champions foram de grande nível, nomeadamente o último, frente ao Paris Saint-Germain, e é um jogo desses que esperamos amanhã.

O que espera do Dínamo de Kiev?

Tive a oportunidade de os observar ao vivo. É uma equipa com belíssimos jogadores, rápidos e técnicos. Gostam de ter a bola, tal como nós, mas tornam-se especialmente perigosos no momento de perda de bola do adversário. Procuram muitas vezes a profundidade na transição ofensiva e temos de controlar esse momento com um bom jogo posicional. É uma equipa que tem a qualificação para a segunda fase em aberto, dado que tem três pontos. É um adversário perigoso que nos vai exigir um jogo ao nível do que fizemos com o Paris Saint-Germain, em que fomos fiéis à nossa identidade, corajosos e ambiciosos. Espero uma resposta idêntica e, fundamentalmente, que possamos garantir os três pontos, que nos colocariam numa posição muito boa para passarmos à próxima fase da Champions.

Estando tão perto da qualificação, receia que os jogadores relaxem?

No último jogo na Champions não vi ninguém relaxado, mas sim uma exibição de grande nível e qualidade. O que é importante a este nível é que, para se ganhar, tem de se ter maturidade táctica e emocional. A nossa equipa tem essas características. Não tenho dúvidas de que todos nós temos consciência de que vamos precisar de estar ao nosso melhor nível para vencer.

Como pensa substituir o Alex Sandro?

Ele não está disponível, mas continuo a acreditar que valemos fundamentalmente como equipa. Acredito nas soluções que a própria equipa encontra para resolver os problemas. Lamento que o Alex Sandro fique de fora por lesão, mas acredito no jogador que amanhã entrar em campo.

O FC Porto pode ficar muito perto do apuramento e também deixar o Dínamo fora dessa corrida...
Acredito que os dois próximos jogos vão definir melhor o posicionamento do grupo, mas não este em particular. Não acredito que uma vitória nossa na quarta-feira retire o Dínamo de Kiev da luta pelo apuramento.

O facto de poder conquistar cedo o apuramento pode provocar algum relaxamento na equipa, ao contrário do que pretende?

Queremos conquistar o mais depressa possível os pontos necessários para chegar à próxima fase. Aqui não pode haver relaxamento, temos de estar ao nosso melhor nível. Esperamos a ajuda da massa associativa para conquistar os três pontos.

O Dínamo de Kiev perdeu os últimos dois jogos. Quais são os seus pontos fracos?

Todas as equipas, incluindo a nossa, têm pontos mais fortes. Já observei os momentos e as dinâmicas do Dínamo que temos de controlar. Também temos os nossos momentos e dinâmicas para contrariar os momentos do Dínamo. Não posso estar aqui a mencionar quais os possíveis erros do adversário que poderemos explorar.


Por: Dragão Orgulhoso

Enviar um comentário
>