quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Sporting 20 - 20 FC Porto - Garra conquistou empate



O FC Porto deslocou-se hoje ao pavilhão Municipal da Torre da Marinha para defrontar a equipa do Sporting em jogo relativo à 13ª jornada. Ainda temos um jogo em atraso (fora, com o Avanca) e se o ganharmos ficamos subimos ao topo da classificação.

Obradovic teve hoje um problema em decidir o 7 inicial, continuamos com muitas lesões. A situação mais preocupante hoje era a posição de pivot, Tiago e Daymaro Salina estão lesionados, Alexis não pode ser inscrito por excesso de comunitários. Teria de arranjar outras soluções e encontrou-a em Hugo Rosário que jogaria nesse posto especifico grande parte do tempo.







Iniciamos o jogo ansiosos. Precisamos de vários ataques para marcar, notava-se que estávamos desfalcados. Cometemos um par de falhas técnicas, outros tantos remates falhados até finalmente acertarmos. O cronómetro marcava já 4 minutos.






Assim, aos 5 minutos perdíamos por 3 - 1. O nosso rival tinha marcado 2 golos em livres de 7 metros.


Essa vantagem deles duraria pouco. Defensivamente estivemos sempre a bom nível. Ofensivamente fomos oscilando períodos razoáveis com falhas. Bastou melhorar o péssimo inicio na finalização para acabar com esta vantagem. Aos 10 minutos o marcador mostrava já um 3 - 4 favoravel ao nosso emblema. Mérito para Ferraz com 3 golos. O outro foi de Wilson numa penetração aos 6 metros.

Tal como se previa o jogo estava extremamente equilibrado. Os pormenores faziam a diferença. Um desses pormenores num jogo de andebol são sem dúvida as exclusões.

Com um golo de vantagem eles marcam e nós sofremos uma exclusão (Hugo Santos). Era o empate e íamos jogar 2 minutos com apenas 6 jogadores. Foi o suficiente, eles conseguiram disparar para 2 golos de vantagem como tinha acontecido aos 5 minutos. Aos 20 minutos 10 - 8.

Mais uma vez tínhamos de recuperar no marcador. Foi o que fizemos e exactamente da mesma forma que eles obtiveram esta última vantagem, através de uma exclusão. Aproveitamos uma exclusão de Carrol (a sua 2ª) para chegar ao empate.

Esta situação de igualdade durou até 1 minuto e meio do intervalo. Nesse período sofremos 2 golos seguidos.

Ao intervalo uma desvantagem de 13 - 11.

A entrada na 2ª parte foi penosa para os nossos atletas. Ofensivamente nunca conseguíamos acertar. Falhas na saída para o contra-ataque, algumas falhas técnicas e faltas atacantes e muitos, muitos remates falhados. Começamos a ver igualmente tentativas individuais em demasia. Era compreensivel, colectivamente não acertamos, tentou-se individualmente. Mas nunca é boa ideia forçar o individual por norma...

Estes terríveis 10 minutos chegaram ao fim com o resultado em 17 - 12. Um golo marcado apenas...

Um jogo que sabíamos que ia ser dificil, a perder por 5 já na 2ª parte, fortemente desfalcados e com os substitutos adaptados ou em má noite. Conseguiríamos recuperar nestas condições?

O nosso técnico decide mudar. Retira Hugo Santos e entra o jovem Miguel Martins para ponta. Hugo Santos iniciou o jogo em virtude da lesão de Schubert. Nos jogos passados esteve muito bem. Hoje nem sempre, falhou algums finalizações a partir do seu posto. Acontece, todos têm estas noites, tem de continuar a trabalhar afincadamente para corrigir.

Antes do jogo Ricardo Moreira falou a um jornal desportivo da importância do contra-ataque. Não se limitou a falar, mostrou como o fazer. Em 5 minutos 2 golos desta forma, ambos do nosso capitão. Ainda tínhamos 3 golos para recuperar, o resultado era agora de 17 - 14.

Ricardo ainda marcaria outro e colocava o resultado em 17 - 15. Foi assim que atingimos os 50 minutos de jogo. Faltavam 10 minutos...

Destaque agora para a figura do encontro, Quintana. Ele manteve-nos na luta, já que não estava fácil marcar. Foram defesas atrás de defesas que efectuou. Nós quase não marcávamos, eles não marcavam mesmo. Foram quase 15 minutos sem sofrer. Enorme Quintana!

A 5 minutos do fim já só perdíamos por 1 (18 - 17). Todas as jogadas assumiam agora uma importância enorme. Cada posse de bola era valiosa.

Começamos este período como muitas vezes ao longo desta 2ª parte, com uma defesa de Quintana, mais uma. Tínhas oportunidade de empatar. A bola chega a Ferraz, ele pentra aos 6 metros e marca... Golo!

No ataque seguinte eles falhavam de novo. Spínola não falhou (bom jogo, foi o mais acertado no ataque) e o impensavel há uns minutos acontecia. Estávamos à frente no marcador.

A 1 minuto do fim eles voltaram a empatar (19 - 19). Bola para nós e Spínola estava de mão quente, marcou novamente. Era o 20 - 19 e faltavam cerca de 30 segundos. Era hora de defender. Com alguma sorte (Quintana quase chegou) e de muito longe Rui Silva marca num remate em suspensão. Obradovic ainda solicitou um desconto de tempo para tentar ganhar nos 13 segundos que faltavam. Não resultou.

No final um empate a 20. Normalmente um empate é um mau resultado, seja em que campo for. Quem ostenta o nosso emblema joga para ganhar. Hoje, devido às limitações e às circunstâncias do jogo saímos com um sorriso. A alma e garra desta equipa garantiu o empate e os respectivos 2 pontos... Foram uns bravos!


Equipa e jogadores:

Hugo Laurentino (gr), Gilberto Duarte (3), Wilson Davyes (1), Hugo Rosário, Hugo Santos, Ricardo Moreira (4) e João Ferraz (4). 
Jogaram ainda: Alfredo Quintana (gr), Ricardo Mourão, Miguel Martins, Pedro Spínola (8) e Miguel Sarmento.


Por: Paulinho Santos
Enviar um comentário
>