terça-feira, 26 de novembro de 2013

Revista de Imprensa - 26 de Novembro 2013

" É obrigatório vencer este jogo"


 Em dia de jogo para a Liga dos Campeões, entre FCPorto e Áustria de Viena, o treinador Portista, na antevisão ao jogo, assumiu o objectivo, vitória, e nada mais interessa aos Dragões, caso queiram manter acesa a chama da qualificação para a próxima fase.


O Jogo:

O Jogo


- FC Porto: "FC Porto - Áustria de Viena às 19h45: "Estamos onde outros queriam estar", Paulo Fonseca lembrou que o campeão continua líder no campeonato e envolvido em todas as frentes; "É obrigatório vencer este jogo"; Linz recorda o dia em que foi Dragão."


- "Carvalho queria mais; melhores números na era dos três pontos por vitória são motivo de orgulho, mas..."
- "Cardozo não joga? Bom para nós!"



Record:

Record


- FC Porto: "FC Porto - Áustria de Viena às 19h45: Pinto da Costa de volta ao relvado; "É obrigatório vencer", Paulo Fonseca."


- "Slimani inspira-se em Muhammad Ali."
- "luta a dois pela vaga de Cardozo"


A Bola:

A Bola


- FC Porto: "FC Porto - Áustria de Viena às 19h45: "É imperativo vencer", Paulo Fonseca acredita que os dragões podem discutir a qualificação em Madrid; "As coisas não estão mal mas podem melhorar", Jackson Martínez."

- "Voo como uma borboleta e pico como uma abelha"
- "Lima com o peso dos golos nos ombros"




Notícias sobre o FC Porto:


Margem de erro: zero

O FC Porto recebe o Austria Wien com uma necessidade urgente, que passa por vencer. Mais do que uma grande exibição, os portistas têm que realizar um bom resultado, que permita à equipa recuperar a confiança, acalentar a esperança do apuramento e, porque não, encaixar uma verba considerável na liga milionária.

As contas do grupo estão muito dificultadas graças às derrotas caseiras e a equipa de Paulo Fonseca está dependente de um desaire do Zenit para, vencendo os seus jogos, ainda poder seguir em frente na competição.

Num grupo onde o Atlético de Madrid já garantiu o apuramento e o primeiro lugar, portugueses e russos tentam chegar à outra vaga que permite continuar na Champions, mas não descurando que o terceiro posto se trata de um 'mal menor', dando acesso à Liga Europa.

Ora, os dragões, que apenas pensam em vencer, sabem também que essa atenuante será alcançada com um simples ponto, ainda que essa não seja, de todo, a preocupação de uma equipa que tem tido resultados abaixo do esperado.

Analisando os últimos 11 jogos, não se poderá considerar pouco importante o facto de a equipa de Paulo Fonseca registar menos de 50% de vitórias. Nesse número de jogos, os azuis e brancos têm cinco triunfos, quatro empates e dois desaires, ambos em casa para a Liga dos Campeões.


Inverter a má fase de resultados

O FC Porto vai ter, independentemente do resultado deste desafio com os austríacos, o pior desempenho da sua história na fase de grupos da Liga dos Campeões, o que atesta bem o rendimento baixo da formação azul e branca.

Mesmo com uma vitória relevante frente ao Sporting pelo meio e de uma evolução qualitativa da performance de jogo da equipa desde o jogo na Rússia, os adeptos do clube do dragão já tiveram bem mais razões para sorrir e, mesmo não se podendo falar de uma crise de resultados, os números não são satisfatórios.

A equipa não tem mostrado solidez defensiva e acumula oito golos sofridos nos últimos nove desafios, sendo que em apenas dois deles manteve a baliza inviolada (curiosamente em dois jogos para a Taça de Portugal, contra Trofense e Vitória SC). Avaliando o início de época portista (um golo sofrido em seis jogos), as diferenças são evidentes.

Por outro lado, a equipa, que tem criado mais oportunidades de golo nos últimos jogos, tem também revelado um menor acerto na rede. Como disse Paulo Fonseca no final do desafio contra o Nacional, o caudal ofensivo é grande, mas muitas vezes inconsequente.

Aspetos a rever por parte do treinador, que tem também algumas dúvidas em relação à equipa a apresentar. Herrera tarda em convencer os adeptos, apesar de ter estado bem contra o Nacional, Varela está muito abaixo do seu melhor rendimento, a defesa continua a ter falhas comprometedoras quando nada o faz prever.

Desta forma, fica em aberto a possibilidade de Paulo Fonseca poder operar algumas alterações no onze para um jogo em que o favoritismo recai claramente nos portistas e onde a necessidade de vitória é vital.

Mangala deve regressar ao centro da defesa, ele que foi substituído por Maicon por estar castigado (fica a dúvida se Otamendi mantém a confiança ou se será ele o sacrificado); Steven Defour combate com Herrera para estar ao lado de Fernando, mas Paulo Fonseca até pode apostar numa inversão do meio-campo, jogando Lucho e Quintero à frente do brasileiro; Licá ou Ricardo poderão vir a ter nova oportunidade no onze titular, espreitando a má forma de Varela.

Esperança austríaca

O Austria Wien, que tem argumentos inferiores aos dragões, até pela história na competição, procurará no Estádio do Dragão repetir a gracinha feita na Rússia, onde empatou sem golos com o Zenit.


Os austríacos ainda têm hipóteses matemáticas de continuarem nas competições europeias e, mesmo sabendo que são poucos os que acreditam na equipa, tentarão alcançar um resultado positivo.

Por: Cubillas

Enviar um comentário
>