sábado, 2 de novembro de 2013

Segunda Liga, 13.ª jornada: Ac. Viseu 0 - 1 FC Porto B

Viste o golo do Caballero?

É só o que apetece dizer depois do AC Viseu - Porto B. De facto foi o único momento pelo qual valeu a pena ver este jogo, pelo menos para os adeptos do Porto.








Últimos minutos do encontro, o jovem paraguaio tinha acabado de entrar no que parecia uma medida desesperada de Luis Castro. Recebe a bola e sem a deixar cair dispara um tiraço que só pára onde a coruja dorme.






Bum! Uma explosão de alegria, um golo de uma vida.

Comecei a comentar este jogo pelo fim, porque de facto até esse momento não houve muito que comentar. De positivo, quase nada.

Foi um Porto B ultra conservador aquele que foi visitar uma das equipas mais frágeis da segunda liga. Com um meio campo de cimento armado, com Mikel e Pedro Moreira a formarem um duplo pivot, Leandro perdido em campo e Tozé a hesitar entre a ala e o centro.

Kayembe perdido e desapoiado na outra ala e Kleber sozinho contra o mundo lá à frente.

Foram curiosamente do avançado brasileiro que surgiram algumas das melhores combinações no ataque. Quino (muito activo) e Victor Garcia subiam tentando compensar a falta de velocidade e criatividade no meio campo, mas estas subidas nunca foram devidamente compensadas e daí surgiram alguns contra-ataques perigosos.

Foi assim com alguma naturalidade que o AC Viseu criou algumas situações de golo, salvas apenas pela azelhice dos avançados da casa.

O Porto B alternava entre o jogo lento e jogo parado, o futebol medíocre e o futebol sem criatividade.

Pediam-se mexidas na equipa, pedia-se velocidade, criatividade... mas quem saiu foi Kayembe para a entrada de Vion...

A equipa estava cada vez pior, os erros individuais começaram a surgir.

Ivo entrou já com a equipa de rastos e numa altura em que o jogo colectivo já não existia.

E depois foi Caballero que entrou, marcou e decidiu um jogo, que, se houvesse tal coisa como justiça no futebol, não tinha acabado com uma vitória do Porto B.



Análise individual:

Kadu: Seguro.

Victor Garcia: Subiu muito no terreno, mas nem sempre decidiu bem.

Zé António: Um marco de estabilidade para a equipa.

Tiago Ferreira: Alguma precipitação e insegurança.

Quino: Muito activo no ataque com várias jogadas de perigo. Deixou espaço nas costas e nunca foi bem compensado.

Mikel: Numa área de 15 metros corta tudo, o problema é que o campo não tem só 15 metros. Compensar os laterais? Não obrigado.

Pedro Moreira: Uma sombra do jogador que já vimos.

Leandro: Perdido em campo. Numa overdose de médios, Leandro nunca encontrou o seu lugar.

Tozé: Depois de um grande jogo como médio criativo, voltou o Tozé banal encostado à ala. Nos poucos momentos em que veio para dentro esteve melhor.

Kayembe: Numa posição entre linhas, nunca foi capaz de se integrar com a equipa. A bola nunca lhe chegou.

Kleber: Um bom jogo. A funcionar quase sempre como um pivot no ataque, foram sempre dele as combinações que deram algum sentido ao ataque portista. Bem em duas antecipações quase a marcar.


Vion: Muita luta, mas não mudou nada na forma da equipa jogar.

Ivo: Entrou para o caos.

Caballero: Melhor em campo porque marcou aquele que de certo será o golo do campeonato e deu a vitória à equipa.




FICHA DE JOGO

Ac. Viseu-FC Porto B, 0-1
Segunda Liga, 13.ª jornada
2 de Novembro de 2013
Estádio do Fontelo, em Viseu

Árbitro: Cosme Machado (Braga)
Assistentes: Inácio Pereira e Nuno Eiras

ACADÉMICO DE VISEU: Janota; Tomé, Tiago (cap.), Tiago Rosa, Paulo Monteiro, Leonel, João Martins, Bruno Loureiro, Luisinho, Zé Rui e Cafú
Substituições: Cafú por Ouattara (70m), Leonel por Capela (71m) e Luisinho por Diogo Alves
Não utilizados: Godinho, Lança, Ibraima e Lourenço
Treinador: Filipe Moreira

FC PORTO B: Kadú; Vítor Garcia, Tiago Ferreira, Zé António e Quiño; Mikel, Pedro Moreira (cap.) e Leandro; Tozé, Joris Kayembe e Kléber.
Substituições: Kayembe por Thibaut Vion (46m), Leandro por Ivo (70m) e Tozé por Caballero (84m) Não utilizados: Matos, David Bruno, Bruno Silva e Tomás Podtawski
Treinador: Luís Castro

Ao intervalo: 0-0
Marcador: Caballero (86m)
Cartões amarelos: Kléber (63m), Zé António (74m) e Capela (78m)


Por: Prodígio
Enviar um comentário
>