domingo, 24 de novembro de 2013

Segunda Liga, 16.ª jornada: FC Porto B 1- 1 Farense

O Porto B consentiu um empate na recepção ao Farense.

Foi um jogo muito dividido aquele a que se assistiu com o Porto B a nunca conseguir dominar o jogo de uma forma consistente.

Começa a distinguir-se um padrão neste Porto de Luis Castro. O meio campo compacto reforçado com a presença de Tozé na ala traz à equipa combatividade, mas limita-a em termos de criatividade.





É uma equipa pragmática à imagem do seu treinador. Sacrifica-se as características dos jogadores em prol de uma ideia duvidosa para a equipa. Tozé que só aparece verdadeiramente quando sai da ala, Pedro Moreira que funcionaria como o pêndulo perfeito não houvesse uma aposta cega em Mikel, Carlos Eduardo que já mostrou que é mais recuado que o seu futebol ganha vida e depois vemos um Ivo no banco quando a equipa tem uma falta brutal de profundidade.




Neste jogo em particular, a equipa portista entrou forte conseguindo criar oportunidades de golo, sobretudo por Tozé. No entanto, o jogo rapidamente ficou equilibrado com o Farense sempre a aproveitar o espaço nas costas de Victor Garcia e Quinones.

O golo de Kleber surgiu em boa altura, mas a equipa não conseguiu segurar o resultado até ao intervalo. Num lance de contra ataque o Farense chega ao empate.

Na segunda parte, o jogo continua muito dividido, partido. Pedro Moreira funcionava como um verdadeiro relógio suiço, mas infelizmente a dinâmica da equipa não acompanhava a classe do médio portista. E nem o esforço assinalável de Kleber ou os remates perigosos de Tozé conseguiram dar a vitória à equipa.

No fim, fica um sabor amargo e uma miragem do que um Pavlovski podia trazer ao jogo.

Análise individual:

Bolat: Seguro. Uma defesa decisiva a tirar o golo a Rambé.

Victor Garcia: Mau jogo do lateral portista. A deixar sempre muito espaço nas costas. Culpas no lance do golo.

Reys: Bem globalmente, mas perdeu uma bola em zona proibida.

Tiago Ferreira: Uma exibição ao seu nível. Para quem tem seguido o percurso sabe que isso não é um elogio.

Quino: Forte no ataque, mal na defesa. A sua passividade a cobrir o homem que cruza cheirou a displicência.

Mikel: Um jogo regular. Quando baixou para central tremeu um pouco.

Pedro Moreira: Melhor em campo. Acaba contrato no final do ano e eu não vejo ninguém que mereça mais continuar. A classe do Pedro já merecia outra consideração.

Carlos Eduardo: Um jogo irregular. Longe do seu melhor.

Tozé: Na ala foi esforçado. Sempre que conseguiu espaço no meio causou calafrios ao Farense. 3 remates com selo de golo. Falhou depois o golo isolado.

Kelvin: Muito apagado na 1ª parte, renasceu na segunda com alguns lances interessantes.

Kleber: Um dos melhores. Luta até cair para o lado. É de realçar o profissionalismo que tem demonstrado. Bom golo.

Ivo: Mexeu com o jogo. Rápido sobre a ala. Pena o remate ao lado que quase deu a vitória.

Leandro: O tampão que Luis Castro inventou para segurar o empate.

André Silva: Não teve tempo.



FICHA DE JOGO

FC Porto B-Farense, 1-1
Segunda Liga, 16.ª jornada
24 de Novembro de 2013
Estádio de Pedroso, em Vila Nova de Gaia

Árbitro: Pedro Ferreira (Braga)

FC PORTO B: Bolat; Víctor García, Reyes, Tiago Ferreira e Quiño; Mikel, Pedro Moreira e Carlos Eduardo; Kelvin, Kléber e Tozé
Substituições: Tiago Ferreira por Ivo Rodrigues (66m), Tozé por Leandro (81m) e Kelvin por André Silva (85m)
Não utilizados: Kadú, David Bruno, Tomás e Frederic
Treinador: Luís Castro
 
FARENSE: Ivo Gonçalves; Carlitos, Lameirão, Luzardo e Hugo Luz; Bilro, João Reis e Ibukun; Fábio Felício, Rambé e Hernâni
Substituições: João Reis por André Matias (59m), Fábio Felicio por Adelaja (70m) e Hernâni por Atabu (81m)
Não utilizados: Ricardo, Diogo Silva, Juan e Fausto
Treinador: Jorge Paixão

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: Kléber (38m) e Rambé (44m)
Cartão amarelo a Hugo Luz (73m) 

Por: Prodígio
Enviar um comentário
>