domingo, 23 de dezembro de 2012

Carta do Orelhas ao Pai Natal (Por Joker)





Pai Natal, este ano escrevo-te em verso
Não é por mal, é para ser controverso!
Não sou eu que escrevo, é o assessor!
pois, como sabes, sou um transmissor!

Da vontade dos mais de seis milhões
Maior marca de Portugal: os lampiões!
E por isso temos o sagrado direito
De vencer três campeonatos a eito!

Isso te peço, mais a liga dos Campeões
Julgo que mereço, a escrever à Camões
Não eu, mas o assessor, o papagaio
Que escreve com'um doutor, o lacaio!

Sim, porque somos o mais maior do mundo
Saímos no guiness, em página de fundo
Temos na águia careca, um símbolo vivo
Um treinador que soletra, com'um fugitivo!

Pagamos a rodos, apesar do grande passivo
Não somos de modos, neste clube altivo
Pagamos quatro milhões, ao nosso chiclete
Para sermos campeões, sobr'os d'Alcochete!

E aqueles do Porto, que jogam com três?
Isto não é desporto, é uma insensatez!
Só ganham com fruta, com café com leite
Não é boa conduta, neste tempo d'enfeite

Por isso, Pai Natal, manda vir da Lapónia
Mais um vendaval, de túneis de cerimónia
Do novo tricampeonato, laureado p'lo Costa
O santo novato, não o da pronta resposta!

Qu'eu chamo Isabel, por referência à Santa
Literatura de cordel, que leio de garganta
Beatificado sou eu, que jejuei na Boa-Hora
Indiciado como Ateu, mas liberto sem demora

Só tinha assaltado, o armazém à mão armada
Com fraco resultado, arrombando a portada
Aldrabão era o outro, um criminoso infame
Eu sou mais aqueloutro, o artista do arame!

Como me porto tão bem, mereço muita Paixão
Um Augusto também, como título pra ladrão
Um Baptista muito santo, pra solene baptismo
Do Rodrigo, um encanto, pecador sem castigo!

Por isso, São Nicolau, envie-nos santinhos
Qu'eu não sou mau, sou menino de miminhos
Que costumo fazer, no aeroporto da Portela
A quem me contradizer, por minha clientela

Ah, que nos envie mais cartões vermelhos
Pr´ós outros, canastrões, dos grupelhos
Jogam com menos dois, contra o glorioso
E dizem aos despois, que até deu gozo!

E mais pénaltis pra vendermos o Cagoso
Vinte milhões de Maravedis, maravilhoso!
Um perneta de Deus, curado pelo Jasus
Qu'Abençoa os seus, pendurando-os na cruz!

E deixo mais um pedido, neste Santo Natal
Um apelo sentido, pró escriba deste anal 
Uma águia de ouro, por este declamatório
Não em forma de corno, mas de supositório!

Feliz Natal! 

That's all Folks!




Por: Joker
Enviar um comentário
>