quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Quem semeia ventos, colhe tempestades

#Sporting #FCPorto



Já por aqui tive oportunidade de afirmar, em crónicas da minha autoria neste e noutros painéis da especialidade, que tenho alguma simpatia pelo SCP, clube que até há bem pouco tempo sempre se soube afirmar no desporto de uma forma educada e civilizada, no entanto, após a vigência do seu novo presidente, parece que este rótulo a que todos estávamos habituados, tem vindo a descambar em ataques constantes e soezes aos seus principais adversários, onde o FCP tem sido o seu principal alvo.

Assim, através do seu presidente, num estilo fanfarrão com aquele tipo de voz esfarrapada e por vezes a roçar a prepotência e os princípios básicos da boa convivência entre clubes e instituições, tem vindo paulatinamente a alterar algumas filosofias de estar na atividade desportiva pela via negativa, a que só o tempo dirá se este novo e mais intempestivo sistema de atuação clubista resultará em melhores resultados desportivos.

Sem que nada o justificasse, a não ser estarmos perto de mais um confronto direto entre o FCP e o SCP para a Taça de Portugal, o presidente do clube leonino deu uma entrevista que saíu nos órgãos de comunicação social, onde atacou de uma forma direta e inqualificável o FCP, declarando para quem se deu ao trabalho de ouvir e ler a seguinte afirmação: “Nós representamos Portugal e os outros representam províncias ou bairros”, frase que só por si só pode ser entendida por má formação desportiva do seu autor e representativa de um estado de espírito de ódio, inveja e de egocentrismo desportivo doentio duma região, dum clube representado por um presidente que só envergonha a sua própria instituição com este tipo de discurso, que só está nos anais da história europeia por um único golo marcado de canto direto, já que o FCP há muito tempo que deixou estas paragens bairristas para mal dos pecados dos seus eternos adversários, para se tornar hoje o principal embaixador e representante do nosso futebol por todo o mundo, por muito que custe a este senhor que só agora chegou ao futebol, que não se lhe reconhece ainda estatuto desportivo e intelectual para se afirmar desta forma, e que até há data nada tem trazido de novo ao desporto-rei, a não ser uma tentativa libertina de ataques provocatórios aos seus concorrentes, e que estranhamente a Comissão de Disciplina da Liga de Clubes ainda não interviu como se justificava, pois se alguma coisa correr mal no próximo confronto direto das duas equipas, só o presidente do SCP será o responsável direto por estar a incitar as massas associativas a reagirem uma contra a outra, muito à feição da Lei de Talião, código babilônico de  Hamurabi (datado de 1.770 antes de Cristo), uma das mais antigas leis da história que dá direito ao princípio da reciprocidade, muito ao jeito de, “olho por olho, dente por dente”.
Já a posição do FCP sobre toda esta tentativa de destabilização por parte do presidente do SCP, para já estranha-se o silêncio de JNPC que não costuma deixar sem resposta certas ratazanas que andam no desporto, no entanto, por vezes o desprezo e o alheamento a estas situações, são as melhores formas de resposta a quem pretende algum protagonismo barato e imediatismo compulsivo pela via errada e mais fácil. 

Por: Natachas

Enviar um comentário
>