terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Rei Morto, Rei Posto!

Art Deco?
Art Deco?

Apresta-se com nome de Rei
O novo menino de ouro
Num novo percurso, vindouro
O Porto tem roque e tem lei!

Carlos Eduardo, o geómetra
Tudo traça a régua e esquadro
Uma nobreza no trato…
De cuja origem nem se nota!

E nessa humildade jovial
O jovem provindo da linha
Sem “vedetismos” à “Cinha”
É um pretendente real!

No Porto, a ser comandante
Por passagem de testemunho
Do Lucho, ainda seu rascunho
Mas com estilo de Almirante!

E nesse perfume de jogo
Qu’a sua visão projecta
Sob sua batuta, a meta
Mostra-se à vista, sem logro!

E ainda que por amostra
As coisas voltem aos eixos
Temos por certos, desleixos
Qu’o Paulo, por certo, gosta!

Uma defesa incerta
O meio que não pressiona
A ala que não é soma!
E um ponta sem a tabela!

E apostar-se no Ghillas
A três minutos dos noventa?
O que inventar se tenta
Na prova do que não faz?

É certo que bem vencemos
Mas ao intervalo previ
Outra solução, que não vi
Nas opções do que temos!?

Um plantel mal construido
Sem extremos acutilantes
Quais gazuas pujantes
Num um-a-um sem sentido?

Quantos cruzamentos à linha?
Somente no último terço!?
Os laterais como arremesso
No centro que se detinha!?

Um extremo que faça mossa!?
Um Kelvin, por virtuoso!
Um Quaresma, por belicoso!?
Alguém que lhes part’a louça!?

Pois, por muito que queiram dar
O Licá ou o Varela…
O jogo morre sem tutela
Na incursão que tarda em chegar!

E quem desespera na área
Por mais jogo, e bola!
Como pode usar a tola?
Marcando com’um simples pária!?

É preciso maior dinâmica!
Na confiança que tarda em chegar
O Paulo vai continuar…
Com ele é prova titânica!

E ainda assim acredito
Que formamos campeões!
Jogadores ou projecções, e
Treinadores com’o Quinito!?

Pois custa-me acreditar
Qu’o Paços fora lá por acaso
Ou o Paulo é um caso raro
Do Treinador a emendar…

Como o caso Del Neri!
Contratado à “experiência”
Sem período de carência…
Despedido numa intempérie!

E a incerteza é total…
Agora que saiu o Judas!…
Fonseca, antes tu, sem juras!
Quem ti só a táctica sai mal…

Mas acredito na reviravolta
E qu’o milagre atinja a terra
Mestre, não é o que não erra
Mas o que aprende c’a derrota!

E nisso pode ser que avance
O Fonseca que treinou o Paços
E de cuja amostra, nos Arcos
Tivemos prova de relance…

E nisto eu sou sincero…
E não cant’o novo campeão!
Porque sei do Sporting, a canção
“Só sei porque sou calimero!”

Por isso vou ser circunspecto
E tomar o que vier de bom
Ganhando, sei que sobe o tom
E o Paulo passa de burro a esperto!

Por isso é deixar passar a quadra
E acreditar que aí vem o menino
O Carlos Eduardo, franzino…
Por Rei s’anunciará, não tarda!…






Por: Joker
Enviar um comentário
>