domingo, 22 de dezembro de 2013

ABC 25 - 22 FC Porto - Díficil de explicar







O FC Porto deslocou-se a Braga este sábado para defrontar a equipa do ABC em jogo da 17ª jornada. Entrávamos nesta jornada na liderança, pelo que se esperava que tal se verificasse no fim da mesma. Tal não aconteceu e neste momento estamos em 4º lugar, embora a 2 pontos apenas da liderança.





Como referimos no título deste texto é um jogo díficil de explicar. Sabíamos que seria um jogo muito complicado, a equipa bracarense está em grande forma e é bem conduzida pelo nosso conhecido Carlos Resende. Somos melhores colectiva e individualmente, penso que é unânime. 

Ontem isso não aconteceu, nem como equipa e foi uma noite má para alguns jogadores chave. 

Eles foram melhores, tiveram mais garra, foram mais concentrados e souberam ultrapassar os obstáculos com que se foram deparando. Naquilo que nos interessa, a nossa equipa, só podemos lamentar o jogo de ontem. A ausência de Obradovic do banco não é justificação, Ricardo Costa sabe muito bem o que faz. O cansaço também não, já ultrapassamos períodos mais complicados e saímos vitoriosos. As lesões? Ontem Schubert até regressou... Quem nos costuma ler sabe a admiração que temos por esta equipa. Ela mantém-se obviamente. São talentosos, determinados e convém não esquecer somos penta-campeões. Por tudo isso, temos fé que este tenha sido apenas uma má noite.

Vamos ao jogo. Como quase sempre, um bom ambiente no Flávio Sá Leite. Os nossos adeptos a fazerem-se ouvir no apoio à equipa. 

A partida inicia-se e desde cedo é jogado a um ritmo intenso. Os primeiros minutos são equilibrados. A nossa defesa distribuia-se no já habitual 6*0. A equipa bracarense inicia numa defesa 5*1.

Embora o jogo estivesse equilibrado, o ABC logo nos primeiros minutos conseguiu uma vantagem superior a 1 golo, com um 4 - 2. Hugo Santos com um remate aos 6 metros do seu posto reduziu logo no ataque seguinte. Foi assim que chegamos aos 5 minutos, com um 4 - 3 no marcador.

Notava-se que a nossa equipa estava ansiosa. Nota disso é o golo que nos fez ficar a perder por 3 pela 1ª vez. Estávamos nós no ataque. Um passe é executado à queima e o adversário faz uma intercepção. Segue para a baliza e facilmente consegue bater Laurentino. Era o 6 - 3.

A juntar a isso, sofríamos agora uma série de exclusões e 7 metros contra. Primeiro Alexis, logo a seguir Gilberto. Foram 4 minutos quase consecutivos a jogar apenas com 6. Se já estava complicado pior era assim. Contudo, a equipa ia-se aguentando. No fim destes minutos com menos jogadores o resultado era de 9 - 5.

A equipa bracarense tinha alterado o seu sistema defensivo, apresentava-se agora num 6*0. A nossaa equipa mostrava-se sem ideias para ultrapassar com sucesso esta muralha em ataque organizado, Pesqueira com sempre ia batendo e como habitualmente muito ia passando. Raríssimas vezes também o conseguíamos em contra-ataque. 

Todos estes factores foram decisivos para o avolumar deste atraso no resultado. A desvantagem ia crescendo. Pouco depois dos 20 minutos de jogo atingiu os 6 golos (13 - 7). Podia até ser mais um, mas um desconto de tempo pedido por Carlos Resende anulou (bem) mais um golo sofrido.

Ricardo Costa não estava a gostar e tenta encontrar soluções. Quintana entra para a baliza, Schubert entra para o lugar de Hugo Santos e Hugo Rosário está presente também nos processos ofensivos. 

O ontem treinador tentou, testou outras peças. Mas nem assim conseguíamos. Ao intervalo perdíamos por 5 golos (15 - 10). Tínhamos de ser uns gigantes para levar um bom resultado. Não era impossivel, o ano passado fizemos igual contra o mesmo adversário e igualmente num jogo fora. 

Os primeiros minutos do segundo tempo continuaram a não correr bem. Nem um golo marcado até aos 5 minutos. Pior, como sofremos 1 a diferença era agora de 6 golos.

Temos de realçar que a nossa equipa nunca baixou os braços, entregou-se a esta luta. Bateram-se como puderam. A verdade é que paulatinamente, nos íamos aproximando no marcador. A 15 minutos do fim só 3 golos nos separavam. Ainda era possivel. Era uma luta intensa. 

Esta diferença de golos foi-se mantendo quase sempre. Quando a podíamos baixar deparámo-nos com um Humberto Gomes ontem a bom nível. No final do tempo o resultado era de 25 - 22.

O campeonato sofre agora um interregno. A próxima jornada é apenas no dia 18 de Janeiro na recepção ao Ismai. Não estamos no lugar que ambicionamos mas estamos muito a tempo de o conseguir. Os adversários ainda vão perder pontos nesta 1ª fase, podemos até conseguir terminar o campeonato regular na liderança. Vamos à luta...



Equipa e marcadores:

Hugo Laurentino (gr), Gilberto Duarte (4), Wilson Davyes (1), Tiago Rocha (2), Hugo Santos (2), Ricardo Moreira (6) e Pedro Spínola (1). 

Jogaram ainda: Alfredo Quintana (gr), João Ferraz (1), Alexis Hernandez, Hugo Rosário (2), Miguel Sarmento e Mick Schubert (3)



Por:Paulinho Santos
Enviar um comentário
>