sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O Túnel

...com Rigorrrr!!!
...com Rigorrrr!!!

O túnel estava engalanado
Na passagem da equipa
Tinham levado na ripa!?
Num “off-side” sacado!?

Era o golão do Urreta!
A um metro do Saviola!?
Onde ficara a bandeirola?
Na mão que ficara quieta…

E na passagem ao balneário
O Sandro, o bom-rapaz
Como um bom capataz
Faz a sua pinta d’armário!

Ele afinal é segurança!
E está lá pr’a guardar
Não que lá fosse provocar…
Perto da câmara de vigilância!

Para retirar os proveitos
Dessa agressão a pontapé?
C’o Major ali ao pé….
Para tirar notas dos pleitos?

Não, o Costa não ia nessa
C’o Director-executivo!?
Abrir processos sem crivo
Para julgá-los à pressa?

Numa suspensão sumária
Enquanto decorria o inquérito!
Uma decisão com esse mérito
Não se mostrava nada arbitrária!

Não, era tudo às limpas!
Até o Cartaxana aplaudia
A Justiça que então se fazia
Escrita a ouro, sem tintas!

O que exultava o país
Na suspensão dos malfeitores
Eram eles os agressores
Do Sandro e doutro petiz…

E até o corrobora o Doutor…
Nesses autos a julgamento
Um testemunho isento!?
Na voz do jurista-assessor!

Nunca vira nada assim!
Uma batalha campal!
No túnel! Um chavascal!
Com tantos mortos, por fim!…

É muito sensível o jurista
Tal qual o director-desportivo!
Um número dez, criativo…
D’imaginação que só vista!?

Só os polícias presentes
Não viram as tais agressões
Que deram as mil razões
Pr’as sentenças convenientes!

Não fosse o colosso penar
Sem um ceptro na estreia
Não fosse Jesus à Judeia
Sem ser campeão e gritar!

No alto do autocarro
Na réstia da última jornada
No Porto, bem à descarada
Festejando c’o esse escarro!

Como se fossem campeões…
Sem ajuda dos túneis
Dessas sentenças tão úteis
Na pena dos aldrabões!

E agora ainda juram
Que viram as agressões…
O Sandro cheio de lesões
Qu’hoje ainda perduram!…

E nesta passagem do tempo
O Costa ainda tem a coluna!
No Record, justifica a lacuna…
Nessa decisão, o seu sustento!

Ainda me lembro da bravata
Justificada na pré-decisão
Na conferência pr’a televisão
A lei era injusta, mas exacta!!!

Cambada de impostores
Qu’ainda se sentem lesados
Em dois stewards comprados
Pr’o papel de acusadores!?

E o que sobra do caso?
Um director-desportivo!
Um assessor-directivo!
E um “campeão” no ocaso!

Salva-se o “Juiz” Ricardo
“O João pode ser o João”!
O Sandro e a acusação!
E um túnel sentenciado!






Por: Joker
Enviar um comentário
>