terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O Natal da Tribuna!



Pai Natal, foi um ano perfeito!
Ganhar daquela forma
Tem outro peso, conforma
Todo e qualquer sujeito!
 
Não creio restarem dúvidas
Sobre o nosso pan-portismo!
Onde todo este meu lirismo
Tem meras pretensões lúdicas!
 
E apesar daquele “anónimo”
Não gostar das minhas piadas
Sei-o Batman, por pseudónimo!
E sinto-lhe as asas/unhas cortadas!
 
É uma águia escondida
Ou um leão acossado 
E vinga-se a cada partida
Não no jogo, no letrado!
 
E por entender de poesia
É refinado no gosto!
Lê quadras pr’a seu desgosto!
O tema dá-lhe malvasia!
 
Mas pode continuar a ler
Qu’o tema é inspirador
E nesse espaço pode escrever
Por onde lhe for maior a dor!
 
S’a mesma vier do cotovelo
Pode atacar de soslaio
E nos comentários vou lê-lo
Até esse findar de Maio!
 
Pois conto lá festejar o tetra
Como desejo deste Natal
E a poesia se fará à letra
D’acordo com o meu ideal!
 
Pois não peço licença
Pr’a escrever o que me suscita
Sou o Joker, sem outra referência
E o Porto é a minha musa da escrita!
 
E conto por bem festejar
Mais um campeonato nacional!
E mais não posso desejar…
Qu’outra prenda de Natal:
 
O Valdemar a comentar
Esse jogo decisivo…
E ver a sua cabeça a inchar
A cada golo sofrido!
 
E ter a seu lado o Conduto
A comentar na benfica Tv
E com uma careta de luto
Vergar-se aquilo que se vê!
 
Não sou, nisto, muito exigente
Um pouco como a minha poesia
E só quero uma quadra coerente:
A do Natal com ALEGRIA!
 
FELIZ NATAL!



Por: Joker
 
Enviar um comentário
>