terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FC Porto B 1 - 0 Atlético

 Nesta tarde de segunda feira, o Porto B recebeu e venceu o Atlético por 1 bola a 0.

A equipa portista contou com 4 reforços da equipa A: Fabiano, Ricardo,Quintero e Reys.

 Mais que um jogo de futebol, foi uma batalha aquilo a que se assistiu. Oportunidades de golo foram raras, jogou-se sobretudo a meio campo.

 O jogo começou morno e dividido. O Porto B tentava sair a jogar, mas era invariavelmente travado na primeira linha de construção por uma linha de pressão do Atlético, sempre agressiva.

 



Mikel e Pedro Moreira avançavam no campo e os centrais ficavam sem linhas de passe. Apenas quando Quintero recuava o futebol do Porto ganhava algum brilho.

Foi sempre esta a fórmula que permitiu ao Porto fazer alguma coisa no jogo: recuo de Quintero, passe longo para desmarcação de Kleber.





Foi pouco portanto. O resto da equipa lutava mais do que jogava sobretudo por bolas divididas e ressaltos.

Assim não houve propriamente fio de jogo. Na frente Kleber era útil nas desmarcações aos passes de Quintero, mas Ricardo e Tozé limitavam-se a correr sem grande propósito.

Na defesa não surgiram grandes problemas em parte pela tremenda azelhice dos avançados do Atlético, que conseguiram que os seus remates saíssem sempre pela linha lateral.

Em suma, foi um jogo difícil. Nunca é fácil jogar contra equipas tão agressivas e fechadas. No entanto, o segredo para abrir este tipo de defesas está na velocidade que se coloca no terreno de jogo e na capacidade táctica para contornar as muralhas introduzindo jogadores criativos. 
Isso falhou. Não é com um duplo pivot tão rígido que se consegue ter controlo de um meio campo contra uma equipa do fundo da tabela. Não é com um Tozé a extremo que se consegue profundidade nas alas. E sobretudo não é com um Quintero tão recuado a iniciar a construção de jogo que se consegue depois ter magia na frente.

Valeu o golo fantástico de Pedro Moreira para trazer um sorriso aos adeptos e mais uma vitória ao Porto B.



Análise individual:

Fabiano: Uma saída disparatada que podia ter causado dissabores. Uma grande defesa a corrigir um erro de Reys.

Victor: Um jogo regular, saiu quando a equipa precisou de arriscar.

Reyes: Um erro grave (mau passe em zona proibida) que ia dando golo ao Atlético.

Zé António: Um mau passe que deu origem a um contra ataque perigoso.Saiu lesionado.

Quino: Deu sempre muito espaço nas costas na sequência de aventuras ofensivas, mas o extremo do lado do Atlético nunca soube aproveitar.

Mikel: Uma entrada brutal logo a abrir. Depois deu a sensação que era apenas mais 1 pelo que não trazia ao jogo. Recuou para central depois da lesão de Zé António e cumpriu.

Pedro Moreira: Com Mikel ao lado numa espécie de duplo pivot desaparece completamente. Na segunda parte sozinho a organizar o jogo da equipa soltou-se e foi dos melhores. Marcou um golão de ângulo muito difícil.

Quintero: Melhor em campo. Quando um jogo é tão deprimente e fraco como este foi o adepto agarra-se aos poucos momentos de magia e excelência. E esses foram quase todos de Quintero. Passes milimétricos a rasgar a defesa adversária. 2 golos oferecidos de bandeja a Kléber.

Ricardo: Foi talvez dos jogadores que mais correu, que mais lutou, que mais se entregou ao jogo. Infelizmente a inspiração não o acompanhou.

Tozé: Completamente perdido na ala. Melhorou na segunda parte com a entrada de Leandro, com este a ocupar muitas vezes o espaço na ala e Tozé a vir para dentro.

Kleber: É de facto um case study. Faz tudo bem: recebe bem a bola, desmarca-se bem, passe bem a bola. Mas aquele momento em que só está ele, a baliza e o guarda redes adversário é um momento fatal. As pernas tremem e falha. Não tem sangue frio.


Leandro: Trouxe alguma energia ao jogo.

Ivo: Nada a assinalar.

Tomás: Para queimar tempo.




Ficha de Jogo:

FC PORTO B: Fabiano, Victor Garcia (Ivo, 73'), Reyes, Zé António (Leandro, 46'), Quino, Pedro Moreira, Mikel, Ricardo, Tozé (Tomás, 90'), Quintero e Kléber. Suplentes: Kadu, Caballero, Tomás, Rafael, Leandro, Ivo e André Silva.
Treinador: Luís Castro

ATLÉTICO: Filipe Leão (Jonas, 65'), Pedro Caipiro, Fábio Marinheiro, Eridson, Luís Dias, Bijou, Pedro Moreira (Marco Bicho, 85'), Taira, Silva, Bacar e Mauro Antunes (João Mário, 61'). Suplentes: Jonas, Bernardo, Tiago Pereira, Tiago Cerveira, João Mário, Vasco Vairão e Marco Bicho.
Treinador: Neca

Golos: Pedro Moreira (73')



Por: Prodígio
Enviar um comentário
>