segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Abdoulaye Ba: A Torre Africana (Por Breogán)



O Homem e o seu percurso:

O rio Senegal divide a Mauritânia do país a que dá o nome. Na sua foz, os franceses construíram uma cidade colonial que já foi capital da Mauritânia e do Senegal. Saint-Louis, um topónimo cristão em terras muçulmanas, é hoje uma sombra do seu passado mais faustoso, mas ainda conserva o traço colonial entre línguas de areia e os mangais.





É em Saint-Louis (ou Ndar, na linguagem local) que Abdoulaye Ba cresce, bem longe do reboliço de Dakar. Como todas as crianças de um meio mais austero, o tempo para crescer é curto. Ainda muito jovem, Abdoulaye Ba começa a jogar futebol nas ruas de Saint-Louis. Decide, então, testar as suas capacidades no clube da sua cidade natal: o ASC La Linguère.




Abdoulaye Ba cresce rápido e cresce muito. Tanto que, mesmo menino, tinha já corpo de adulto bem espigado. Aos 16 anos e já acima do 1,90m estreia-se na primeira equipa do La Linguère, que disputa a primeira divisão Senegalesa e rapidamente conquista titularidade.

Um ano depois, um empresário português descobre o espigado central e decide propor ao FC Porto um período de testes na equipa júnior. Aceite a proposta, Abdoulaye Ba chega ao Porto e supera o desafio, impressionando pelas invulgares capacidades físicas para o seu escalão etário.

Na sua primeira época de azul e branco (2008/2009), a sua inscrição só fica disponível mesmo em cima da fase final. Pouco tempo para causar algum impacto. 

Fica para a temporada seguinte a afirmação de Abdoulaye Ba. Já adaptado e sem problemas burocráticos a superar, conquista a titularidade num ápice e é pedra basilar na campanha portista no escalão de juniores. A fase regular, como sempre, corre sobre rodas, tendo o FC Porto acaba com mais 12 pontos que o Vitória de Guimarães. Já a fase final foi um desastre. Último lugar, atrás do Vitória de Guimarães e uma só vitória em seis jogos. Ainda assim, Abdoulaye Ba vê reconhecido o seu trabalho e é chamado para quatro jogos da equipa principal, entre taça de Portugal e taça da liga, embora sem ser utilizado em qualquer um deles.




No final da época, o FC Porto decide apostar no crescimento de Abdoulaye Ba e coloca-o por empréstimo no Sporting da Covilhã na segunda liga. No clube serrano, surpreende pela positiva. É imediatamente titular e líder da defesa. Acaba a sua primeira temporada sénior com 24 jogos a titular e 2100 minutos de utilização. Mais surpreendente é a sua veia goleadora. Acaba a temporada com o estatuto de melhor marcador da equipa, com 9 golos no total, sendo 5 de penalti. O Sporting da Covilhã salva-se da linha de água por um ponto e muito o deve a Abdoulaye Ba. Começa a ser convocado para a selecção Sub-21 do seu país e a ganhar forma a sua integração no projecto Olímpico da selecção senegalesa.




Na época seguinte, novo empréstimo. Desta vez, para a Académica de Coimbra da primeira liga. A época volta a correr muito bem e é titular no centro da defesa da Briosa. Acaba a temporada com 21 jogos a titular no campeonato e 1860 minutos de utilização. Marca só dois golos, mas tem nova cereja em cima do bolo. A 20 de Maio de 2011, ganha a taça de Portugal frente ao clube do visconde de Alvalade. É titular e acaba o jogo com um dos melhores em campo. Pouco tempo depois, voa para Londres para representar o Senegal nos jogos Olímpicos.







Nesta época, o FC Porto chama-o para os trabalhos de pré-época e decide manter Abdoulaye Ba no plantel. Soma já um jogo a titular no campeonato, três na taça de Portugal e dois na Champions. Junta ainda, alguns jogos disputados pela equipa B e dois golos decisivos. Está em busca do seu espaço e tem correspondido às solicitações.

  



A análise ao jogador:

É verdade que o Abdoulaye Ba tem correspondido às solicitações, mas também tem um longo caminho ainda a percorrer para poder afirmar-se no FC Porto. É um jogador muito físico, é alto e possante, mas sem grande velocidade. Tem algumas lacunas técnicas preocupantes, nomeadamente na recepção de bola. Tacticamente, tem tido uma franca evolução e tem sido onde a sua afirmação tem progredido mais. Está um jogador mais esperto no jogo e já vai adivinha o que pode acontecer a seguir, para onde foge o avançado e até onde tem que marcar em cima.






Precisa de ser mais contido no seu jogo. Na Covilhã somou 14 amarelos e um vermelho, em Coimbra 10 amarelos e 4 vermelhos e nos jogos Olímpicos soma 2 amarelos e um vermelho em 3 jogos disputados. É uma folha de serviço muito carregada, mesmo para um central que baseia o seu jogo na dimensão física. Alguns injustos, é certo, mas são números pesados.





Irá Abdoulaye Ba ter a evolução necessária para afirmar-se no FC Porto? Será difícil, sobretudo pelas suas lacunas técnicas, mas pode ser que ainda exista uma surpresa.

Uma coisa é certa, é um jogador com mercado e só por isso já valeu a pena a aposta.



Por: Breogán
Enviar um comentário
>