quarta-feira, 24 de julho de 2013

Tiago Rodrigues: Semente de Portismo.

 

O Homem e o seu percurso:





Lordelo é uma freguesia na periferia de Vila Real. É aqui que Tiago Rodrigues dá os primeiros passos na vida e, entre os seus, ganha a alcunha de Tini. Lordelo, também, assiste aos primeiros pontapés na bola. O pequeno portista começa no clube da terra, o FC Lordelo, que traja à FC Porto. A semente do portismo estava lançada, no equipamento e no coração, e por mais que o destino fosse sinuoso, e seria, haveria de equipar mesmo à FC Porto, o seu sonho.





Comprovado que o pequeno Tini tinha jeito para a bola, chegava a hora de deixar para trás o pequeno clube da terra natal. Tini avança para Escola Diogo Cão, porventura, a melhor escola de formação de Trás-os-Montes. É na Diogo Cão que Tiago Rodrigues vai crescendo e chamando atenções. É convocado para as selecções jovens da Associação de Futebol de Vila Real e entre as exibições no clube e na selecção distrital, o talento de Tini vai emergindo.







Já no último ano do escalão de iniciado, o menino de Lordelo não passa despercebido à agressiva prospecção do Sporting de Lisboa. O próximo passo é gigante, mas Tiago Rodrigues abandona Trás-os-Montes e incorpora-se na equipa de juvenis do clube Lisboeta. A época não corre como esperado e a distância familiar torna-se pesada. Dispensado, Tini ruma a Norte, para mais próximo dos seus.





É o Vitória de Guimarães quem o acolhe, desta vez, não escaparia! O seu nome já estava sublinhado na agenda do clube minhoto, sempre sagaz na prospecção nos distritos vizinhos, mas havia escapado perante o assédio do clube de Alvalade. Bem mais perto de casa e tirando pleno proveito das excelentes condições que encontra em Guimarães, o futebol de Tini explode. Torna-se peça fulcral do onze juvenil vitoriano e é convocado, pela primeira vez, a um estágio de observação das selecções nacionais. A estreia internacional só aconteceria na época seguinte, já como júnior e marcaria três golos em quatro jogos pela selecção Sub-18. E não se pense que é um acto isolado, no primeiro ano de júnior, acaba a temporada como o melhor marcador do Vitória de Guimarães, o que, para um médio, é um registo notável. Sempre titular no seu percurso pela formação do Vitória de Guimarães, Tiago Rodrigues transforma-se na pérola da formação vitoriana e assina contrato profissional.






Cumprido o último ano de júnior, o Vitória de Guimarães decide rodar o seu jovem talento no Amarante. A época no clube Amarantino tem um começo difícil. Uma lesão no quinto metatarso e subsequente operação tornaram o arranque penoso. Tini só volta aos treinos em Novembro e a equipa já rolava. Começando pelo banco, Tiago Rodrigues espera a sua oportunidade. Quando ela aparece, agarra-a e num instante torna-se o abono de família no clube Amarantino. A defender, a atacar e nas bolas paradas, Tini empresta a sua enorme qualidade à equipa, numa dose tão generosa que impressiona quem vê. Deixa Amarante com 851 minutos jogados e 3 golos marcados.





As informações que chegam a Guimarães são entusiasmantes e Tini é convidado a integrar a recém-formada equipa B e a prolongar o seu contrato. Agarra, de imediato, a titularidade e realiza a primeira metade da época 2012/2013 na equipa secundária do Vitória. Cumpre 12 jogos a titular e marca 3 golos. O seu desempenho em campo impressiona a tal ponto, que, aproveitando a pausa Natalícia. 








Rui Vitória decide incorporar, em definitivo, Tini no plantel principal. Logo no começo de Janeiro, Tini já é titular no meio campo Vitoriano e nunca mais olha para trás. Torna-se peça chave na organização defensiva e ofensiva da equipa e o principal responsável pelo transporte de bola. Volta a ser convocado para as selecções, desta feita, para os Sub-21. Os seus números são arrasadores. Em meia época na equipa principal do Vitória de Guimarães, Tiago Rodrigues soma 1558 minutos de utilização para o campeonato, com 4 golos marcados. Ainda junta mais 380 minutos na Taça de Portugal, sendo titular nos 4 jogos finais, incluindo a própria final, onde ganha o seu primeiro título: a taça de Portugal.






É uma ascensão épica. Da IIB com o Amarante, à titularidade indiscutível no meio campo vitoriano com a taça de Portugal na mão. Um ano bastou, para que o menino de Lordelo se afirmasse no futebol português e passasse a estar debaixo da vigilância do Dragão.

No dia 12 de Junho de 2013, Tini voltou a vestir de azul e branco. Não o azul e branco do seu FC Lordelo, mas do seu FC Porto. Uma semente de Portismo de Trás-os-Montes que promete dar frutos no Dragão.


A análise ao jogador:


Tiago Rodrigues é um jogador tecnicamente evoluído. É um jogador com uma qualidade de passe assinalável, excelente transporte de bola e boa visão de jogo. Dá muita fluência à fase criativa do jogo, jogando ao primeiro toque e sempre à procura das desmarcações diagonais dos companheiros. No entanto, não creio que seja um 10 puro. Falta-lhe a ousadia e a vertigem do risco para assumir essa função. Creio que renderá mais a 8, onde a precisão matemática do seu futebol poderá ser melhor explorada.

Tem um remate colocado e potente. É um médio com um bom índice de finalização, fruto da exactidão técnica com que executa o remate.






Tem tido uma evolução física assinalável e o seu jogo é mais constante. Ainda assim, é um jogador que precisa de ganhar mais disponibilidade física para corresponder em pleno num meio campo mais intenso e de pressão alta. Tem a vantagem de ser um rapaz bem estruturado e equilibrado, o que irá facilitar a sua progressão.





A primeira batalha é ganhar o seu espaço no plantel do FC Porto. Se a vencer, certamente, será uma das boas surpresas da temporada. Tem futebol e atitude.



Por: Breogán
Enviar um comentário
>