quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O projecto B (Por Eddie the Head)




Ao fim de 15 jornadas disputadas, é altura de fazer um balanço destes primeiros meses da nova equipa B do F.C. Porto.





O início de campeonato foi atribulado. A equipa nem começou mal, com alguns empates consecutivos, mas com um futebol agradável e com alegria. Com o aparecimento dos primeiros resultados negativos tudo piorou, os jogadores perderam confiança, algumas arbitragens empurraram ainda mais a equipa e nem a primeira vitória, em Guimarães, libertou a equipa. A utilização de jogadores menos rodados no plantel principal, como Iturbe, Kelvin, Abdoulaye, Quino e até Mangala e Fabiano, também não teve grandes efeitos.




Foi preciso esperar pela 12ª jornada, com a recepção ao Marítimo, para que se visse finalmente esta equipa a somar bons resultados consecutivos. De então para cá fez 10 pontos em 12 possíveis, ganhando 3 jogos em 4 e empatando o outro, no difícil terreno do Arouca, num jogo em que esteve reduzida a 10 elementos durante 15 minutos. Curiosamente, ou talvez não, antes desse encontro com o Maritimo, o Presidente Pinto da Costa tinha dado o recado a esta equipa, na gala dos Dragões de Ouro.

No entanto, o grande objectivo duma equipa B é, acima de tudo, formar e projectar jogadores para a equipa A. O único objectivo desportivo é o da manutenção, para que o projecto se mantenha aliciante.

E será que esse objectivo primordial está a ser cumprido?

Actualmente nenhum jogador lançado originalmente nesta equipa B jogou esta época pela A, tirando o caso de Sebá no jogo atípico contra o Santa Eulália para a Taça de Portugal. Por outro lado, alguns jogadores que passaram pela B, originários das equipa principal, acabaram por ganhar um lugar na A mais tarde, como por exemplo Abdoulaye.

Mas haverá jogadores desta equipa B com capacidade para, no futuro, integrarem o plantel principal do F.C. Porto?

A começar pela baliza: 





Stefanovic é um desses jogadores. Um guarda redes com grandes capacidades físicas e técnicas, tem já capacidades para ser uma boa segunda opção para a baliza da equipa A. Se corrigir ainda mais as saídas aos cruzamentos, pois por vezes são demasiado “à maluco”, pode tornar-se no futuro no número 1 das redes portistas.




Na defesa:

Tiago Ferreira também apresenta bons argumentos para um dia ser opção no plantel principal. É um central forte tecnicamente, algo rápido, mas ainda tem de corrigir alguns problemas de posicionamento e tornar-se num jogador algo mais físico. Acredito que poderá dar o salto, mas também mantenho algumas reservas. Quinones não entra para estas contas porque é um jogador que foi contratado directamente para a equipa A, mas também apresenta qualidades técnicas e físicas para poder ser uma boa opção.

Passando ao meio campo:

Penso que há 3 jogadores a seguir com atenção o seu desenvolvimento. O primeiro, e para mim a maior promessa desta equipa B, é Mikel. O nigeriano apresenta características físicas impressionantes para a posição de trinco, tem agressividade (por vezes em excesso) e sabe jogar. Se lhe derem mais responsabilidades na construção de jogo, tem tudo para se tornar num excelente trinco, possível titular na equipa principal portista.



As outras duas promessas deste meio campo são os dois médios ofensivos: Tozé e Sérgio Oliveira. Ambos têm excelente capacidade técnica e visão de jogo. O 1º subiu este ano a sénior e vinha envolto em algumas dúvidas quanto à sua adaptação a este nível, devido, principalmente, às sua características físicas: conseguiu adaptar-se muito bem, e mostra-se um jogador com muita raça e capacidade de luta, a juntar às suas sempre reconhecidas capacidades técnicas. Sérgio Oliveira é um caso diferente: um jogador cheio de talento, desde cedo reconhecido por todos, mas que tarda em confirmar esse mesmo talento. Por vezes parece alheado dos jogos, faltando-lhe alguma intensidade e maior regularidade exibicional. Contudo parece estar a melhorar, e nos últimos jogos já mostrou algo do que pode fazer. Se conseguir focar-se e ultrapassar estes problemas, teremos aqui um jogador de top, com grande capacidade técnica, visão de jogo, bom físico e um excelente remate, característica que, de resto, partilha com Tozé.



No ataque: 

É onde esta equipa apresenta mais debilidades. Sebá e Dellatorre estão no clube por empréstimo e, embora tenham demonstrado alguns bons atributos, não me parece que já tenham feito o suficiente para que o clube os contrate a título definitivo. Sebá é rápido e forte, tem bom remate, mas é muito inconstante e ainda tem de limar alguns aspectos técnicos. Della é um avançado com alguma qualidade técnica, sabe finalizar, mas falta algum físico e é pouco constante. Além disso, o potencial que tem pode leva-lo a um nível razoável, mas nunca ao top. 

Qualquer um destes jogadores é caro, como tal um investimento, com base naquilo que se viu até agora, é um risco que não faz sentido correr. Até ao fim da época algo pode mudar, mas apenas acredito que Sebá poderá ficar.







Vion também é um avançado interessante: tem uma raça extraordinária, é relativamente rápido e sabe jogar com os pés. É um ponta de lança que cai excessivamente nas alas, como tal necessita de minutos e que lhe ensinem que tem de ficar mais na área. Moldado pode dar jogador.




Estes são os jogadores que acredito (mais em alguns casos que noutros, como se percebe) que podem subir ao plantel principal do F.C. Porto a médio/longo prazo. 

A estes juntam-se no plantel jogadores como Zé António, um veterano, ou até Pedro Moreira, para dar experiência a uma equipa muito jovem, nesta liga muito competitiva. Moreira é um bom jogador, mas duvido muito da sua capacidade para integrar um dia o principal plantel. Contudo é um jogador com já alguma experiência de 1ª liga, apesar de jovem, e pode ajudar muito este plantel.

O restante plantel é constituído por alguns ex-juniores, alguns deles com qualidade, mas insuficiente para a nossa equipa, e por alguns estrangeiros contratados esta época mas que dificilmente continuarão por cá para a próxima. Sendo este o ano 1 desta equipa B, é normal que o plantel ainda sofra bastantes alterações.

Apesar dos últimos resultados serem positivos, é necessário não esquecer que é importante ganhar, mas essencial é formar jogadores, como tal os jovens com mais valor devem continuar a jogar e não ser remetidos ao banco em busca de resultados imediatos. E é essencial, também, ter uma atitude aguerrida, “à Porto”, algo que também faltou no início da temporada.

Este é um bom projecto, e vai muito a tempo de dar grandes frutos.






Por: Eddie the Head
Enviar um comentário
>