domingo, 4 de novembro de 2012

Segunda Liga: FC Porto B 1 - 0 Marítimo B (Crónica)


Finalmente!!! Estava difícil mas o primeiro triunfo caseiro da equipa "B" do FC Porto surgiu! 





Vencendo por 1-0 o Marítimo "B" (uma das boas equipas neste campeonato), com o golo a surgir a cinco minutos do fim apontado por Iturbe na sequência de um grande penalidade. Apesar da exibição não ter sido muito vistosa, como referi na antevisão a esta partida o fundamental era mesmo obter os três pontos e só depois pensar numa subida de rendimento colectivo, algo que ainda está muito longe suceder.





Foi um jogo muito dividido sobre o meio-campo, com duas equipas bem encaixadas tacticamente, o FC Porto teve pela frente uma equipa bem organizada que não fugiu aos seus princípios, apostando numa boa organização defensiva e depois através de transições rápidas partir para o ataque, contando com dois extremos bem abertos e um ponta de lança, embora a opção inicial do técnico José Barros tenha sido colocar três jogadores móveis na frente, mas com a lesão de João Vieira e entrada do Edivândio, este fixou-se no meio dos centrais estando as faixas entregues a Kukula e Gonçalo Abreu.

No FC Porto era certa a ausência do Sérgio Oliveira (substituído por Tozé), contudo além de uma novidade no miolo do terreno Rui Gomes fez entrar igualmente Pedro Moreira para o lugar de Edú e diria que não foi de todo uma escolha acertada, não porque Pedro Moreira seja mau jogador (não o é!), mas a equipa precisa de dinâmica e imprevisibilidade na zona intermédia e alguém com capacidade de último toque.

Jogadores como Edú e Sérgio Oliveira são atletas que gostam de estar com a bola e entrar em progressão. É preciso mais e nesse aspecto Tozé encaixa que nem uma luva na forma de jogar que o nosso técnico pretende, para ser superior ao adversário o segredo passa pelo meio-campo.

Da equipa principal além do habitual Quiño, o brasileiro Kelvin e o argentino Iturbe voltaram a ter oportunidade de ajudar a equipa secundária e no caso do camisola nº 7 diria que acabou por ser uma ajuda preciosa, sendo ele o elemento a par de Tozé quem proporcionaram maiores problemas ao sector defensivo contrário, que raramente deu espaço à nossa equipa no último terço para incomodar a baliza defendida pelo brasileiro Welligton.

O golo "caiu do céu" e veio disfarçar algumas lacunas no nosso jogo ao longo dos 90 minutos, mas os miúdos já mereciam isto e se noutros jogos acabou por "morrer na praia" nos últimos minutos, agora foi mais feliz.

Este triunfo certamente vai permitir aos dragões dar um saltinho na tabela classificativa (provisoriamente está no 16º lugar) e num campeonato tão competitivo com equipas muito semelhantes em termos de qualidade, uma ou duas vitórias consecutivas pode ajudar o FC Porto a embalar e estar um pouco mais acima na classificação mesmo que exibicionalmente não apresente um jogo consistente e regular, também é certo que já merecia ter mais uns pontos.


ANÁLISES INDIVIDUAIS:

STEFANOVIC - uma saída em falso que podia ter comprometido, mas de resto apresentou-se seguro entre e fora dos postes.

DAVID BRUNO - muito activo sobre o lado direito, para mim foi dos mais regulares ao longo dos 90 minutos.

ANDERSON - atento às movimentações do ataque contrário, tal como o seu colega do centro da defesa esteve bem.

TIAGO FERREIRA - o capitão esteve sereno, procurou não complicar e quando é assim, os erros dificilmente aparecem.

QUIÑO - não esteve particularmente tão mexido na frente como o seu colega do lado contrário, mas assinalou mais uma exibição positiva sem comprometer na defesa.

MIKEL - tacticamente esteve certinho como nos tem habituado, faltando acrescentar maior velocidade e outra capacidade de passe na saída da primeira fase. 

PEDRO MOREIRA - muito lutador como é seu hábito, procurando ter bola

TOZÉ - um dos melhores em campo! Nem sempre definiu de forma exacta na segunda fase de construção de ataque, mas aquele toque de bola não engana.

KELVIN - não esteve inspirado. Tem momentos que pode aproveitar o espaço e acelerar, mas tem tendência de parar e jogar para trás e assim possibilita ao adversário reorganizar-se.

VION - muito lutador e sempre evidenciando esse espírito em prol do colectivo, está a faltar-lhe mais frieza na hora de marcar.

ITURBE - foi decisivo na vitória. Marcou o golo e proporcionou aos colegas duas excelentes oportunidades para finalizar com êxito. Gostei!

SEBÁ - o seu grande momento acabou por ser a grande penalidade cavada, após lance discutido com o Nuno Rocha. Em jogo jogado, pouco ou nada acrescentou no lado esquerdo do ataque.

EDÚ - não teve muitos minutos em campo, mas sempre deu para um ou dois bons pormenores.

FÁBIO MARTINS - entrou nos descontos para queimar tempo.


Ficha do FC Porto:

Stefanovic; David Bruno, Anderson, Tiago Ferreira, Quiñones; Mikel (Edú 79m), Pedro Moreira, Tozé (Fábio Martins 90m); Kelvin (Sebá 67m), Vion, Iturbe.


Por: Dragão Orgulhoso

Enviar um comentário
>