sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Taça de Portugal: Nacional - FC Porto (Antevisão)






Antes de mais um compromisso europeu que terá pela frente, o FC Porto desloca-se à Madeira para defrontar neste sábado o Nacional em jogo a contar para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, opondo duas equipas do mesmo escalão. 





Para chegar a esta fase os azuis e brancos derrotaram na ronda anterior o Santa Eulália por uma bola a zero, enquanto a turma madeirense levou a melhor no seu reduto sobre o Sp. Espinho por 4-0, curiosamente um encontro que marcou o regresso do técnico português Manuel Machado aos comandos da equipa, substituindo o Pedro Caixinha que saiu devido aos maus resultados.

Tendo em conta que a meio da semana vários jogadores estiveram ausentes (selecção), alguns deles com pouco tempo de repouso para este desafio, existe a dúvida qual o onze a ser utilizado pelo técnico Vítor Pereira, sendo certo que o brasileiro Fabiano terá certamente oportunidade de ser o eleito para a baliza. Quanto aos jogadores de campo poderá existir uma outra modificação no onze, mas derivado ao adversário que os dragões têm pela frente e num passado recente ter-se dado mal com muitas alterações, o onze base que tem sido utilizado nestes últimos jogos deverá manter-se.

O Nacional tem feito um campeonato bastante discreto até ao momento, no entanto possui qualidade e capacidade para mais. 

Com a vinda do Manuel Machado a equipa ainda não está certamente no "ponto", mas já se notam algumas melhorias no jogo jogado. Atendendo à forma como os madeirenses se têm exibido ultimamente também não é de crer que o técnico proceda a muitas mexidas. A sucederem praticamente deverá passar apenas pela troca de guarda-redes (saindo Vladan do onze e entrando Gottardi). Obrigatoriamente Moreno terá que sair do onze (vai cumprir um jogo de castigo).

O técnico da turma madeirense por norma vai variando a sua equipa num 4-3-1-2 e 4-2-3-1, numa defesa composta por João Aurélio, Manuel da Costa, Mexer e Marçal, povoando o meio-campo com um pivot e dois médios interiores, neste caso Moreno (como estará ausente Claudemir pode recuar no terreno e assim entra Mihelic) e os indiscutíveis Claudemir e Revson (atenção a este jogador), colocando Diego Barcellos nas costas da dupla de avançados, que tem três candidatos para dois lugares, casos de Keita, Rondon e Mateus (entrou muito bem no encontro frente ao Guimarães).

Antevisão de Vítor Pereira em www.fcporto.pt:

"A Taça é claramente um objectivo para nós"








O encontro no terreno do Nacional (sábado, 20h15, quarta eliminatória da Taça) encerra vários obstáculos: para além da valia do adversário e do difícil terreno da Choupana, os Dragões mal tiveram tempo de o preparar, devido aos jogos das selecções. Porém, Vítor Pereira assume a competição como um dos objectivos da época e sublinha que os portistas terão de ser "competitivos".







Ainda faz algum sentido fazer uma análise do jogo com o Nacional à luz do que aconteceu na eliminatória anterior, frente ao Santa Eulália [vitória azul e branca por 1-0, frente a um adversário da III Divisão], ou os madeirenses são um adversário que coloca de imediato o FC Porto em alerta?

Faz sentido para voltar a atribuir mérito à equipa do Santa Eulália. Também reconheci que fiz demasiadas adaptações e mexidas, que descaracterizaram o nosso jogo. Em termos competitivos, não vejo qualquer “transfer”. Vamos jogar com uma equipa da Primeira Liga e, a meu ver, a classificação do Nacional não reflecte a sua qualidade individual e colectiva. Tive oportunidade de ver o último jogo deles em Guimarães e é uma equipa muito perigosa nas transições, com jogadores muito rápidos na frente. A Choupana transporta-nos para um contexto que é complicado para qualquer equipa. Independentemente disso, sabemos o que queremos. Para ganhar temos de ser competitivos e estar ao nosso melhor nível, porque o resultado não terá retrocesso. É preciso ganhar para seguir em frente e a Taça de Portugal é claramente um objectivo para nós.

Este calendário misto, com jogos das selecções pelo meio, prejudica o FC Porto face ao Nacional?

Quem quer preparar um jogo tem de ter os jogadores presentes. Às vezes, quando os atletas chegam dois ou três dias antes de um encontro, ainda é possível fazer alguma coisa. Neste caso, com tantas viagens e minutos nas pernas, não vai ser possível trabalhar, a não ser do ponto de vista teórico.

Vai ser obrigado a mexidas profundas na equipa?

Vou ter de fazer a gestão da melhor forma, depois de perceber como os jogadores chegarão e quais estão em melhores condições para garantir a passagem da eliminatória. O facto de termos muitos internacionais traz-nos coisas positivas, mas também nos coloca este tipo de dificuldades.

O James e o Jackson, que chegam hoje ao Porto, já não contam?

Uma resposta obrigava-me a divulgar a convocatória e a equipa. Não tenho conhecimento do estado de cada jogador e ainda não fiz a convocatória. Ainda tenho mais um dia para pensar.

A Taça de Portugal passou a ser um objectivo mais forte depois do que aconteceu na época passada frente à Académica (derrota por 3-0, também na quarta eliminatória)?

Admitimos que não estivemos ao nosso nível e pagámos caro a factura. Não é um jogo para esquecer mas sim para recordar, de forma a não cometermos os mesmos erros. A abordagem mental não foi a que se exigia e saltámos fora da Taça. Normalmente, reflectimos sobre os erros e as condições que nos levaram a comete-los. Frente ao Nacional, se tivéssemos a mesma abordagem mental, seria um descalabro. Não nos podemos dar ao luxo de não ter uma abordagem competitiva, de sacrifício. Este jogo vai exigir união e espírito de equipa, mas são esses os predicados que a equipa tem apresentado este ano.

Tendo em conta esse passado, o não apuramento para a próxima eliminatória terá de ser classificado como um desastre?

Este clube é ganhador. Nem empates nos satisfazem – mesmo quando nos permitem a passagem a uma próxima fase, como em Kiev –, quanto mais a eliminação de uma competição como a Taça. Partimos para o jogo com o Nacional com a convicção de que vai ser complicado. As condições não foram as ideais para o preparar, pelo que as dificuldades aumentam.



Lista de convocados :

Guarda - Redes - Helton e Fabiano
Defesas - Danilo, Miguel Lopes, Rolando, Eliaquim Mangala, Abdoulaye e Otamendi
Médios - Lucho González, Castro, João Moutinho e Steven Defour
Avançados - Iturbe, Jackson Martinez, James Rodriguez, Kléber, Varela e Christian Atsu


Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>