sábado, 24 de novembro de 2012

SC Braga - FC Porto (Antevisão)


Transmissão Do Jogo: AQUI




Jogo grande no Estádio Axa neste domingo, relativo à 10ªjornada (primeiro terço da temporada fica concluído) da Liga e extremamente complicado para o FC Porto, o Braga está no terceiro lugar a seis pontos da liderança partilhada entre FC Porto e Benfica, e como tal será um jogo importante para as aspirações da turma bracarense e do seu treinador José Peseiro que inclusive viu a SAD dar-lhe um voto de confiança e em futebol já se sabe o que isso significa.





O Braga é uma equipa que dispensa qualquer apresentação desde a direcção, passando por técnicos e jogadores. Apesar de estar num momento menos bom (todas as equipas passam por períodos assim, o que neste caso até se poderá chamar de dores de crescimento) a qualquer altura pode dar um volte-face na crise pois possui potencial e capacidade para tal.

O facto de ter sido eliminado esta semana das competições europeias (mesmo que vença em casa o Galatasaray não chega sequer à Liga Europa) torna curioso verificar o estado anímico da equipa, no entanto é de esperar um jogo equilibrado, claramente é um encontro de tripla, independentemente dos momentos das duas equipas.

Estrategicamente não acredito que José Peseiro mude a sua filosofia e forma de estar dos seus jogadores. Uma das grandes dúvidas prende-se com a utilização de Éder (está lesionado), caso não recupere existe possibilidade de Carlão ou Zé Luís (tem um tremendo potencial, acredito mesmo que no futuro dará que falar) jogarem de início. 

A equipa do Braga não deverá fugir ao 4-2-3-1, baseado num jogo de posse, desequilíbrios e siutuações de passe profundidade/ruptura na zona central, depois sobre no lado direito tem dois jogadores extremamente ofensivos casos do Salino e Alan, que mesmo sem a velocidade de outrora, ganha em experiencia e acutilancia (certamente Rúben Amorim irá estar no lado esquerdo, procurando fechar mais e auxiliar Ismaily).

Ofensivamente este Braga é uma equipa que ataca bastante e cria diversas situações de golo, mas no outro lado da "moeda" tem tido muitas dificuldades na defesa, a lesões que têm massacrado o centro da defesa não tem ajudado à estabilidade que se exige.


No FC Porto, as novidades acabam por ser o regresso dos brasileiros Alex Sandro e Fernando, eles que no jogo de quarta-feira já tiveram oportunidade de somar minutos após paragem devido a lesão. Tendo em conta as ideias de Vítor Pereira e o momento que o FC Porto atravessa, as únicas mexidas no onze deverão ser estes regressos para os lugares de Abdoulaye (Mangala passa a central ao lado de Otamendi) e Defour.


Lista de Convocados:

Helton, Danilo, Lucho, Castro, João Moutinho, Jackson Martínez, James, Kleber, Miguel Lopes, Varela, Mangala, Abdoulaye, Fabiano, Fernando, Alex Sandro, Atsu, Otamendi e Defour.


Antevisão de Vítor Pereira:

"Vamos procurar trazer os três pontos"

Vítor Pereira não embandeira em arco com as recentes exibições e resultados do FC Porto, mas assume que a equipa está a viver um bom momento. Para o técnico, a visita a Braga (domingo, 20h15) encerra um jogo "extremamente difícil", o que não altera em nada o foco dos Dragões: os bicampeões nacionais vão à Pedreira "com o objectivo claro de vencer a partida". Sem esperar pela sorte.

O FC Porto tem este domingo um jogo muito difícil, enquanto o Benfica joga em casa perante o Olhanense. Sente que o rival tem o trabalho mais facilitado?

Só nos preocupamos com o nosso jogo. O nosso objectivo é claro e passa por ganhar em Braga para nos mantermos na frente do campeonato. Independentemente das expectativas dos outros clubes, queremos chegar a Braga e ser fiéis à nossa identidade e ao nosso estilo de jogo e vamos procurar trazer os três pontos.

Que SC Braga espera encontrar?

Espero um SC Braga de qualidade. Se isto fosse há duas ou três semanas, quem visse os programas desportivos ou lesse os jornais ouvia e via constantes elogios a uma equipa que praticava bom futebol e um futebol positivo. As equipas de Peseiro são assim, gostam de ter a bola e ter a iniciativa. Não acredito num SC Braga diferente para este jogo. Espero um SC Braga de qualidade, num campo que é extremamente difícil, não só para nós, mas para qualquer adversário. Esperamos um jogo complicado, mas acreditamos no nosso jogo e na nossa qualidade e vamos ao AXA com o objectivo claro de vencer a partida.

Considera o SC Braga um efectivo candidato ao título?

Sinceramente, pelo que tem feito nos últimos anos e pelo que tem provado, com resultados, considero que sim.

Acha que o adversário se vai apresentar mais frágil na sequência da eliminação europeia?

Não. Conto com um SC Braga de orgulho ferido, um SC Braga de qualidade, como já disse, que vai querer ter a bola, porque é característico das equipas de José Peseiro querer ter a iniciativa. Espero um jogo com qualidade entre duas equipas de grande qualidade, colectiva e individual.

Mesmo com a vitória garantida (3-0) frente ao Dínamo Zagreb, o FC Porto continuou a pressionar, a atacar e a roubar a bola ao adversário. É essa a sua imagem de marca? É este o FC Porto que Vítor Pereira quer?

Nós trabalhamos para evoluir enquanto equipa e temo-lo feito. Gostamos de pressionar, de ter a bola e quando a perdemos queremos recuperá-la rápido, mas para isso é preciso ter concentração, ter um bom jogo posicional e ter agressividade. Quanto mais depressa recuperarmos a bola mais tempo teremos para realizar o nosso jogo, para ter iniciativa, para controlar a partida e ir à procura de golos. Gostamos de um jogo de posse, de pressão, somos uma equipa que gosta de fazer golos e gosta de ter o jogo equilibrado, sem permitir que o adversário nos crie oportunidades. Ao fim e ao cabo, queremos um jogo virado para a frente, em que a parte ofensiva nos agrada. Gostamos de um jogo criativo e com qualidade e não gostamos de jogos partidos ou fora de controlo. Pessoalmente, gosto de jogos controlados e não se consegue fazê-lo com muitas transições ou sem ter a bola em nossa posse.

Alex Sandro e Fernando vão ser titulares no domingo?

Essa é uma questão a que nunca respondo. Nunca, numa conferência de imprensa, respondi a esse tipo de perguntas e não é hoje que o vou fazer. Os treinadores estão cá para tomar decisões e fazer escolhas, no sentido do que é melhor para a equipa e em função do jogo que se está a preparar. Vivemos com um espírito competitivo saudável, em que todos os jogadores querem jogar. Quando não jogam, ficam tristes, mas reagem pela positiva e trabalham ainda mais para jogar. É essa a equipa que tenho à minha disposição este ano, o que me dá uma grande satisfação.

O FC Porto tem recebido muitos elogios. Considera que são unânimes?

Não acredito... Acredito muito mais no que vem de dentro, no que se sente, do que aquilo que vem de fora. Atravessei uma época de muita crítica, em que, se a força interior não fosse grande, se o que vem de dentro não fosse forte, teria de certeza desistido a meio. O verdadeiro elogio é sentirmos que estamos no caminho certo: solidários, humildes, com grande qualidade individual e colectiva; mas sabemos que qualquer adversário nos pode causar problemas se não mantivermos isto bem presente. Quando o elogio sai muitas vezes, de muita gente que tanto criticou sem conhecer, é de desconfiar. Por natureza, sou uma pessoa que acredita nos outros, mas também desconfio de muito elogio que tenho lido e ouvido por aí.

O melhor elogio ao FC Porto desta temporada é não falar de Hulk?

O melhor elogio é vermos a equipa bem e chegar ao final de cada jogo e ver os jogadores satisfeitos com o que fizeram. É claro que há jogos mais inspirados que outros, às vezes toca a um ter uma noite de inspiração e no jogo seguinte é outro jogador que se destaca, mas colectivamente a equipa está ligada, unida, sabe o que quer, e sinto claramente que tem os pés bem assentes na terra, quer nas competições europeias quer no campeonato. Este vai ser um campeonato muito difícil; domingo temos já um jogo muito difícil e temos de estar conscientes das dificuldades deste jogo e desta liga e da dificuldade que é jogar uma Champions. É essa equipa ligada à terra e ligada entre si que quero. Esse é o verdadeiro elogio.

Jorge Jesus disse esta sexta-feira que o FC Porto "tem sempre sorte em Braga". Quer comentar?

A sorte dá muito trabalho. Muito trabalho mesmo. É claro que temos de procurar a sorte, mas sem trabalho ela não surge de certeza absoluta. Se o FC Porto tem ganho em Braga é por causa do trabalho, é porque tem sido melhor, tem tido qualidade e um nível competitivo muito alto, como é característico deste clube. Isso não quer dizer que a sorte não surja, em determinados momentos, mas dá muito trabalho.

O campeonato vai decidir-se nestes jogos grandes?

O campeonato decide-se em qualquer esquina, em qualquer momento, contra qualquer adversário. Se os níveis de focalização no jogo não forem os correctos, em qualquer esquina se pode ter uma surpresa desagradável. Este é um jogo grande. O plano táctico e estratégico e a inspiração individual podem vir a fazer a diferença e espero que no AXA estejamos inspirados nesses aspectos, para proporcionar um grande jogo e trazer a vitória, que é o que nos interessa.



Por: Dragão Orgulhoso
Enviar um comentário
>