quarta-feira, 12 de março de 2014

Milagre de Fátima

#FCPorto #Sporting #benfica #Lisboa #Portugal #Porto



Não se deu o milagre
Por que se havia rezado!
Em Fátima ficou o Papado
Com votos a mais de metade!

E como bons democratas
Saíram antes da votação!
Lá “encerraram” a reunião
Nas decisões iconoclastas!

Que não se pode governar
A terra como no céu!
Aqui quem manda sou eu!
Qual a razão de se votar?

Não se pode competir
Sem as decisões do benfica
Que c’o sporting, classifica
O que val’a pena decidir!

E se se deseja manter
Esse presidente da liga
Porquê tamanha intriga
Nesses jogos de poder?

Sem eles não há futuro
Nas decisões desportivas!
Nem votações “repressivas”
Ou decisões do núcleo duro!

Pois só eles são maiores
Que tod’o resto do país!
E s’houver quem o desdiz:
São conspiradores!

E atente-se na classificação
O primeiro e o segundo!
Diz o Jesus em tom profundo:
É a constatação!

Este ano é da capital
Os dois primeiros lugares!
Estão reservados andares
No Marquês de Pombal!

Pois a festa vai ser forte
C’o esse festejo a dois!
O campeão, e depois
A sua consorte!

Qu’enganada vem à TV
Queixar-se da sua sorte!
É a tragédia, a morte…
No Calimero que se vê!

Qu’o deixem vencer 
O segundo lugar!
Pr’a festejar
O novo poder!

É o BS, o novo clube
Da capital liliputiana 
Ond’a “taprobana”
É um símbolo rude!

Pois pra vencer 
Basta juntar água
Chorand’a mágoa
Até doer!

Que são roubados
Nos trinta anos!
Em tantos planos…
Por si jogados!

Com’o dos penaltis
Do Jardel…
Trint’a tropel…
Marcados no Altis!

Ou aquele do Manaca
Um azar de chinês
E lá foi outra vez…
Jogar c’a pataca!

Nessa digressão
Onde foi o árbitro!
Por sentido prático
Ajudar o leão!

Que coitadinhos
Foram tão roubados
Em trinta anos dados
Em tais pergaminhos!

Só o “Visconde”
S’esqueceu do saldo
Desse peculato
Do homem a monte!

Que de bom Cristóvão
Não foi condenado!
Pois no momento dado
Fê-lo sem intenção!

Se fosse do norte
Era um bom corrupto
E na PJ, o bruto
Tinha logo esse porte!

Como é calimero
É um “inocente”
Chora como gente
E mente como Homero!

Mas é bom rapaz
Um fidalgo estroina
Um verdadeiro moina
Que no choro é ás!

Por isso o milagre
Seria vencer!
Sem deitar a perder
Esse gosto alarde!

Que na próxima jornada
Tudo se compreende!
O qu’o sporting sente
É a casa roubada!

Não por ser roubado
Mas por ser vencido!
E não convencido 
Cham’o amigo do lado!

Que lutem por eles
Nessa união!
E um milagre de mão
Venha pelos Deuses!

E s’apreste em Alvalade
Pr’a vencer o Dragão
Em nome da junção
De tod’a cristandade!

Esquecendo-se o Conde
Que antes foi Mouro
Que no Porto, no Douro
O Condado fez nome!

Por isso é lutar 
De dentes cerrados
Contr’os mouros mijados
Pe’lo segundo lugar?

Não, é acreditar!
Qu’o Milagre D’Ourique
Volte e glorifique
Outro remontar!

Pois eu acredito (que)
Se vencermos esta
Dos mouros o que resta
Senã’o o fino grito?

Que de tão incrédulos
Voltam-se a Marrocos!
Vencidos e loucos
Tidos como vândalos!

E lá criarão
Esse novo reino!
E um clube “eterno”
Jazerá no panteão!



Por: Joker
Enviar um comentário
>